Enquete: Qual tema a CNBB deveria ter escolhido para a Campanha da Fraternidade?

26
1

No dia 9 de março a CNBB lançou a Campanha da Fraternidade 2011, cujo tema é “Fraternidade e a Vida do Planeta” que vem causando consternação entre os católicos. Sobretudo se considerarmos os graves problemas morais que o Brasil enfrenta com a destruição da família e a investida da Revolução Cultural – aborto, “casamento” homossexual, legalização da prostituição, etc.

Em vista disso, queríamos ver a opinião do leitor. Que tema deveria ser de maior preocupação para os documentos e campanhas da CNBB? Deveria ser o atual? Deveria ser outro? Responda a enquete abaixo:


 

26 COMENTÁRIOS

  1. Vergonha da cara de quem diz representar Jesus Cristo na Terra, as vezes penso que seria bom
    o Brasil virar comunista, pois os” pastores ” da CNBB seriam os primeiros a subirem a montanha
    para a degola. São na realidade os vendilhões do Templo do Senhor.

     
  2. Conhecemos Jesus pelos Evangelhos principalmente. De forma alguma o vemos como o Paladino da Moralidade. Pelo contrário, isso era uma tendência dos fariseus. Jesus se fez próximo das pessoas de seu tempo, especialmente dos pobres e marginalizados pela sociedade e pela religião. Penso que a Igreja deveria se preocupar de mostrar amor às pessoas, principalmente as mais sofridas, as mais abandonadas, as que a sociedade esquece.
    É claro que Jesus não queria prostituição, mas amava as prostitutas e participava da vida delas. Jesus não aceitava o roubo, mas acolheu e conviveu com Zaqueu e publicanos. É acolhendo e amando que vamos melhorar as pessoas, e não condenando-as. A Paz de Cristo!

     
  3. Não seria ingratidão para com alguém que morreu por nós que nem sequer lembremos do ato que ele praticou para nos salvar chegado o período em que ele praticou a entrega de si mesmo?
    Ficarmos lembrando de nossas preocupações cotidianas e não dedicarmos um tempo para meditar no que aconteceu? Os motivos que geraram o ato heróico? E se esse alguém é o próprio Deus?

     
  4. Deus criou o céu e a terra e tudo que nela existe, sendo o homem por último, e viu que tudo era belo. Água é fonte de vida, tanto que cobre 2/3 da superfície do planeta, mas qual fração o homem está deixando própria para a vida? O Sol é luz para a vida, mas a camada de ozônio que o homem vem “esburacando” o vem tornando prejudiciial à vida. As matas, além de nos fornecerem os frutos, flores, cores, perfumes, que tornam a vida mais bela, fazem a troca gasosa para purificar o Ar, indispensável à vida, estão sendo dizimadas pelo homem, esse mesmo que foi criado por último, ė racional, portanto é responsável, sabe escolher o que fazer com a sua vida. Parabéns à CNBB pela escolha do tema, pois como grita veementemente contra o aborto de uma criança indefesa de lutar pela sua vida, está defendendo a natureza, que nos dá a vida, e garanto que a Mãezinha do Céu está feliz, pois preservando a natureza indefesa, estaremos garantindo a sobrevivência de seus filhos, fortalecendo ainda mais a certeza da Ressurreição de Cristo, que é VIDA ETERNA. Espero que essa consciência não dure só quarenta dias.

     
  5. Um cristão que segue os ensinamentos de Jesus, procura conhecer a vida dos santos e que tem Nossa Senhora como madrinha, sempre será um respeitador das coisas que Nosso Pai criou e que foram feitas para nós.

    A quaresma é tempo para se meditar e rezar. Tudo o que nos faz desviar deste caminho de meditação e oração, ou seja de salvação, nos desvia de Nosso Pai Eterno, do Espírito Santo, de Jesus e de Nossa Mãe Maria.

    Estas campanhas não falam de orações, principalmente do rosário e do terço, que tanto Nossa Senhora nos tem pedido em suas aparições.

    Principalmente o pedido que Ela faz para que peçamos por nossa Santa Igreja, que infelizmente está sendo minada por dentro por falsidades e enganos transmitidos por padres e, freiras, bispos , etc, que se utilizam da Instituição para transmitirem falsos conceitos e preceitos “cristãos”, que na verdade são paganismo puro.

     
  6. Nós devemos de ter o cuidado de nos manifestarmos sempre em favor da Santa Igreja Católica Apostólica Romana. A verdadeira. Há muitas coisas erradas no seio da Igreja. Porque? Porque o demônio se ataca onde está Jesus. E Jesus está presente na Eucaristia.
    Quanto a CNBB, eu não ponhoo minha confiança. A divisão entre os bispos está descancarada. E isso é muito triste. Vocês se lembrar da menina estuprada, da qual Dom Sobrinho foi um arauto do que a verdadeira Igraja prega? E ele falou que todos os envolvidos estavam automaticamente excomungados. Que fez a CNBB? Desmentiu Dom Sobrinho. Agora, por ocasião das eleições: os bispos de São Paulo, ciente do que é o PT, para defender a Igreja e a fé, largaram um manifesto pedindo para não votar no PT. Que fez a CNBB? Foi uma verdadeira marmelada. Redículo. Só vou lembrar algumas coisas de como os bispos não estão em comunhão com o papa:

    – Do seguimento do Catecismo de João Paulo II e Bento XVI? Mas tem por aí, cartilhas ecológicas!

    – Da aplicação do Pro Multis? Faz mais de dois ano que esgotou o prazo dado pelo Papa!

    – Dos confessionários com grades em todas as capelas? Carta Misericórdia Dei! (lá no Movimento, Nossa Senhora explica o porquê)

    – Do cumprimento da Carta Eclésia de Eucharistia? O zelo pela Eucaristia! A adoração!

    – Do cumprimento da Mane Nobiscum? Que faz cumprir a anterior!

    – Da aplicação da carta Dominus Iesus? Mas tem aí o falso ecumenismo, Deus está também nos crentes!

    – Do incentivo a Carta do Rosário de Maria? (João Paulo II, no final do documento disse: – levem a sério isso.

    – Do zelo pela adoração eucarística? Não se ouve ouve mais “Tão sublime sacramento, adoremos…”?

    – Do amor do bispo ao nosso Papa? Quem ama, obedece! Jesus obedecia!

    Nós que amamos a Santa Igreja Católica Apostólica Romana, tomemos o nosso Rosário. Porque a justiça divina está às portas.

    Um abraço a todos

     
  7. Amados de Cristo:
    Resido ha 36 anos no Brasil, e até agora não consigo me acostumar a passar a Quaresma falando de problemas sociais, em vez de meditar sobre o que é principal: a Morte e Ressurreição Redentora do nosso Salvador Senhor Jesuscristo.
    Já passei por Paroquas onde o padre da TL não fala mais na Quaresma de Jesuscristo e do seu Sacrificio Redentor mas, somernte dessa Campanha Social que tira o foco da nossa Redenção.!!!

    Os Senhores Bispos para cumprirem seu “numus de ensino” poderiam escolher uma outra data do tempo Comum.

    BASTA! Voltemos a centrarnos em Cristo durante a Santa Quaresma.

     
  8. Tomo a liberdade de dizer ao sr. Pedro que a CNBB não é a Igreja Católica, diferentemente do que pensam alguns bispos mais apressados.

    De modo que não é desobediência à Igreja de Deus desobedecer a CNBB.

    Quanto à suposição de os bispos terem sido “inspirados pelo Espírito Santo”, eis uma afirmação que beira a heresia. Pois, subjacente a ela, está a convicção (inexistente no sr. Pedro, diga-se) de que Deus ensinaria doutrina errada, o que não é lícito a um católico sequer cogitar.

    Ademais, o Carisma da Infalibilidade, conferido pelo Espírito à Santa Igreja, refere-se ao Papa, ou ao Papa em comunhão com os bispos. Os bispos, sem o Sucessor de Pedro, são tão falíveis quanto qualquer um de nós.

    E mesmo com o Papa as coisas não são tão simples. A infalibilidade pontifícia não exclui, de modo algum, o livre-arbítrio do indivíduo sentado na Cátedra de Pedro. Donde se segue que ele pode simplesmente agir como se papa não fora.

    E mais: a Infalibilidade concerne única e exclusivamente às questões de fé e moral.

    Concluindo: quando um bispo, ou mesmo o próprio Papa, lançando mão de sua condição de ministro de Deus, afirmar algo em desacordo com a Tradição e as Escrituras, é perfeitamente legítima a desobediência dos fiéis.

    E não apenas legítima: é obrigatória. Sob pena de ir-se para o Inferno junto com o mal padre, ou bispo, ou mesmo papa. (Dispensável dizer que estamos falando em casos em que há PLENA CONSCIÊNCIA do que se está fazendo).

    E, por fim, já quanto ao caso da CNBB em concreto, quem é que não sabe que se trata de organismo anti-católico fundado e dirigido por elementos da Teologia da Libertação?

    Mais comunista que a CNBB, só o PCdoB.

    Até quando a gente vai continuar tratando com reverência semelhante coisa?

     
  9. Prezados missivistas
    Eu acho que a Igreja não perdeu o sentido de sua missão no mundo. O cristão deve discutir e opinar sobre tudo que diz respeito a si, seus irmãos, e a obra de Deus que é nosso mundo. Somos todos passageiros desta nave atraves da via-lactea. Aqueles que tem seus negocios e nao guardam o dia do Senhor, já estão dando contra testemunho, os que abrem seus negocios na Sexta feira Santa já estão dando contra testemunho, Nós que aqui estamos contestando a CNBB estamos dando contra testemunho. Primeira virtude deveria ser a obediencia à nossa Igreja. Não concordo com o tem , mas nossos bispos assim acharam melhor inspirados pelo Espirito Santo, eu obedeço. Nos Atos dos Apostolos ha uma passagem que diz:- Veja como eles se amam…. tudo era de todos e ninguem possuia nada, mas obedeciam os apostolos… PENSEM NISSO. Pedro

     
  10. @Ivone salla
    “Será que o cenário mundial não retrata exatamente o tema da Campanha da Fraternidade???”

    Do que vale ganhar o mundo inteiro se vier a perder sua alma? Perguntava Santo Inácio de Loyola.

    A missão da Igreja não é ser uma filial da Greenpeace, mas sim a salvação das almas.

    A CNBB faria bem se ela usasse desses desastres para levar as almas em direção à Cristo, à verdadeira Igreja. Pois só assim os homens teriam a devida prudência e sabedoria para desenvolver a sociedade sem destruir a natureza.

    Nossa Senhora em Fátima, em Akita e em La Salette – em aparições que a Igreja declara ser dignas de Fé – anuncia que essas catástrofes são castigos pelos pecados dos homens.

    Se queremos evitá-las (as catástrofes), evitemos o pecado. Se nós nos escandalizamos pela derrubada das árvores na Amazônia, mas somos insensível à legalização do aborto, do “casamento” homossexual, à destruição da família, como pretender que Deus não nos envie um castigo pior que o do Japão?

    Por mais que tenhamos um planeta ecologicamente correto, do que vale isso se no final as almas forem condenadas?

    Termino repetindo a frase de Santo Inácio: do que vale ganhar o mundo inteiro se vier a perder sua alma?

     
  11. Será que o cenário mundial não retrata exatamente o tema da Campanha da Fraternidade??? tsunamis, terremotos, chuvas, radiação, água, lixo, desmatamento e árvores caindo sózinha, sāo menos importante que discutir casamento de homossexual? É isso aí, Raquel, concordo com tudo o que vc disse.

     
  12. Sr. Jorge Damiao,

    O Sr. querer calar a nossa denúncia contra o lobby gay que quer acabar com a nossa CONSTITUCIONAL liberdade de crença? É o fim da picada!
    Entre o que diz DEUS (Levítico, Romanos etc.) e o que diz V. Sa. ou quem for, é óbvio que ficaremos com DEUS.

    Passar bem.

    @jorge damiao

     
  13. Penso que deveriam ser abordados dois temas simultaneamente: Divórcio: o distrato de um contrato civil, apenas isso! não anula o (sacramento ou casamento religioso), dimensões diferentes. Em segundo plano, abordar com coragem e destemor a questão da pedofilia, chaga que sangra a Igreja Católica e que os religiosos fogem do tema, há que examinar esse capítulo negro da igreja, evitando que não voltem acontecer.

     
  14. boa tarde a todos

    precisamos realmente discutir todos os assuntos sitados na enquete, no entanto, se observarmos de maneira mais profunda e menos minimalista, poderemos notar que os rezultados de pesquisas serias demonstram um panorama critico a respeito das consequencias do mau uso dos recursos naturais. e notoria tambem, a degradacao causada pelo despejo de poluentes de todos os tipos nos rio,mares, na terra e no ar. temos vivido na pele o resultado da desordem causada no clima,assoreamento dos rios, mudancas nas correntes marinhas etc. assim sendo, parece possivel concluir que defender o meio ambiente, que na verdade e muito mais do que foi expostoaqui, e tambem defender a vida. a igreja ja trabalha estes outros temas constantemente de outras maneiras. o tema do homosexualismo ,por exemplo, nao e algo que deva ser tratado em uma campanha nacional, pois a igreja logo seria acusada de promover o preconceiito e como sabemos, muitos destes nossos irmaos precisam mais de um ombro amigo do que uma cura pre fabricada. por outro lado, a igreja nao se nega a ouvir sujestoes para temas futuros que possam produzir transformacoes beneficas para a sociedade como um todo.

     
  15. Pessoalmente defendo o fim da Campanha da Fraternidade que desvia os pensamentos dos católicos das observância tradicional da Quaresma, a saber, sacrifício e penitência em preparação para a Páscoa.

     
  16. @Avani
    Pessoalmente defendo o fim da Campanha da Fraternidade que desvia os pensamentos dos católicos das observância tradicional da Quaresma, a saber, sacrifício e penitência em preparação para a Páscoa.

     
  17. Paz!
    Que bom ter um espaço para podermos nos manifestar. Que bom. Eu tenho a certeza absoluta de que todas as tais de campanhas da freternidade tem desagrado a Deus. Não só desagrado, mas ferido. Justo no tempo mais propício para nossa constante conversão, a CNBB propõe temas que ofuscam o que a Quaresma realmente é. Se não tratarmos das almas não adianta tratar do resto. Jesus disse: “Buscai primeiro as coisas de Deus, e o resto vos será dado por acréscimo”. Do que a CNBB se ocupa? Com o RESTO, e deixa as coisas de Deus em segundo plano. Vejam bem: falo na CNBB, e não nos bispos. Eu sei que tem muitos bispos indignados com estas campanhas. Os católicos não conhecem mais a a Igreja Católica Apostólica Romana. Conhecem outra igreja. Os católicos estão desorientados. Não sabem mais o que é pecado. Não sabem mais o que é confissão. Não sabem mais que faltar à Missa nos domingos é pecado grave. Os católicos não sabem mais rezar. O que deveria ser feito neste tempo de Quaresma? O resgate da milenar espiritualidade. Deveria rezar intensamente para que o Espírito Santo dê o que de mais sagrado precisamos: os dons da Sabedoria, do Discernimento e da Piedade. E o que se percebe com clareza é que Jesus Eucarístico não faz mais parte nossas capelas.
    O que mais a CNBB deveria fazer? Recolocar Deus sobre o Altar. Hoje Deus está destronado. O homem está ocupando o espaço Dele.
    O Rei vem. Não adianta mais falar nas coisas da natureza. Vamos amados irmãos e irmãs nos ocuparmos da almas. Somente elas interessam a Deus.
    Um abraço

     
  18. Não sou a favor desta enquete, mas não podia me calar.

    O tema da C.F. deste ano é super atual, totalmente relevante e que de fato gera fraternidade, pois é um incentivo a nos preocuparmos uns com os outros sendo responsáveis pela saúde do Planeta! Além de mostrar que a Igreja está “antenada” aos problemas contemporâneos, ela continua cumprindo com o seu papel de zelar pela vida humana como um todo. Ou a questão ambiental não diz respeito a vida humana? Claro que sim!

    Devemos confiar nas decisões da Igreja. Quem somos nós para julgarmos se o tema da C.F. deveria ser outro ou não, questionando a decisão da Igreja local através de uma enquete? Que autoridade temos para dizer que a CNBB precisa de purificação ou que não está em unidade com o Vaticano? Não deixemos que nossas opiniões pessoais e falta de adesão se transformem em calúnias. Que cada um se questione e faça como grandes santos: silencie e acolha. Afinal, quem “obedece nunca erra”.

     
  19. Transcrevo aqui uma resposta ao comentário que fiz em matéria relativa à CF:
    Caro Vicente Ezequiel permita-me sugerir que leia a “Mensagem de Bento XVI para a Campanha da Fraternidade 2011 do Brasil: “Fraternidade e vida no Planeta” ( http://www.radiovaticana.org/por/articolo.asp?c=468049 ) de cuja mensagem extraio o seguinte texto que sugere uma correção de rumos no tocante âmago do tema da referida campanha:
    “Por isso, a primeira ecologia a ser defendida é a “ecologia humana” (cf. Bento XVI, Encíclica Caritas in veritate, 51). Ou seja, sem uma clara defesa da vida humana, desde sua concepção até a morte natural; sem uma defesa da família baseada no matrimónio entre um homem e uma mulher; sem uma verdadeira defesa daqueles que são excluídos e marginalizados pela sociedade, sem esquecer, neste contexto, daqueles que perderam tudo, vítimas de desastres naturais, nunca se poderá falar de uma autêntica defesa do meio-ambiente.”
    Ou seja até mesmo Bento XVI ficou “escandalizado” pela forma como foi exposto o tema da campanha@vicente ezequiel do nascimento

     
  20. O tema da C.F deste ano está exelente, não poderia ser melhor, pois é um tema abrangente, inclusive trabalhando tudo, o desperdício, os gastos exessivos sem necessidades, a falta de educação desde jogar um papel no chão.Quem tem o privilégio de participar da abertura do tema da C.F. com uma pessoa que está bem preparada é simplesmente maravilhoso, é um momento de grande aprendizado. Eu como catequista estou adorando trabalhar este tema com os meus catequizandos. E muito temas que foram sugeridos, já foram vistos em outras Campanhas . É uma pena quem não está se aprofundando no tema, inclusive bíblicos.

     
  21. No meu entender o tema está otimo, qualquer outro tema se escolhido iria dar esta mesma polemica. A igreja católica tem hierarquia, e prima pela obediencia, e como católico eu acato e obedeço, se tiver que errar prefiro errar com a igreja, e se a nós começarmos a degladiar entre si, nenhum valor seria agregado, mas enfrequecido…pensem nisso….

     
  22. BEM; APESAR DE TERMOS MUITOS TEMAS; HA SEREM TRATADOS.ESTE EM ANDAMENTO JA ESCOLHIDO ,ESTA ÒTIMO .AS POLEMICAS SAO BASTANTES P/SE DISCUTIR, DEFINIR, FAZER ,REALIZAR ETC…….ETC…….ABÇOS. FIQUEM COM DEUS.

     
  23. Prezados Amigos,
    Também fico abismado que a CNBB, cuja atividade essencial é tratar de preocupações pastorais da Igreja Católica no Brasil, se preocupe com problemas ambientalistas, também importantes, mas não para uma instituição com carisma na defesa da espiritualidade e do senso cristão. Há anos que a CNBB vem se preocupando mais com outros problemas, não de sua natureza, mas problemas que competem a outras instituições civis, como governo e associações – ditas malfadadamente de Ongs, verdadeira deturpação na defesa dos reais interesses da sociedade, e a serviço de interesses inconfessados e interesseiros.
    Lastimo mais uma vez que a CNBB, que por anos andou muito infestada de tendência marxista e nada evangélica, continue ainda influenciada por essa ideologia ultrapassada. Deus inspire nosso egrégio Papa Bento XVI, que segura o timão da Igreja com firme e clarividência, dê um basta a esse desvirtuamento de sua finalidade da CNBB, a serviço de interesses pouco ecumênicos, e muito menos ainda, católicos, do catolicismo evangélico que tanto bem fez à Igreja de tantos séculos.
    Há problemas agudos que deveriam merecer maior atenção da CNBB do que preocupar-se com “água, meio ambiente, reforma agrária e quejandos, por mais prementes e importantes que sejam, mas que não são de sua esfera de atuação. Deus permita a purificação total desse espírito espúrio que perpassa a CNBB desde algumas décadas. O Papa Bento XVI bem que conhece esses problemas, e já “cortou as asas” a muitos falsos profetas e corifeus de ideologias de inspiração duvidosa. Sou pelo espírito da “una, santa, católica e apostólica” Igreja de muitos séculos. Prof. Agostinho Baldin.

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome