Muçulmanos pedem para retirar a Cruz da bandeira da Suíça

A absurda exigência de abolir a Cruz, símbolo nacional da Suíça, agrada aos muçulmanos e aos movimentos de esquerdas laicista e anticristã.

Imigrantes Muçulmanos exigem a remoção da cruz da bandeira suíça

Second@s Plus, associação de imigrantes muçulmanos na Suíça, anunciou uma campanha nacional visando remover a Cruz branca da bandeira nacional, informou o Hudson Institute, seção de New York, especializado em geoestratégia.

Em linguagem pós-moderna…

O grupo argumenta que é um “símbolo cristão que não mais corresponde à Suíça multicultural de hoje”. Ivica Petrusic, vicepresidente do grupo muçulmano, explicou que a Cruz ofende os imigrantes maometanos e que os suíços, portanto, deveriam escolher outro símbolo.

Para Petrusic, “é necessário separar a Igreja do Estado”. Ele ainda escarneceu dos suíços dizendo que não acreditam mais na Cruz.

Leia: Sharia na Alemanha?

… para atingir uma meta nada moderna

O líder islâmico propôs uma bandeira verde, vermelha e amarela, mais parecida com as da Bolivia e de Ghana. Na verdade, é um meio termo rumo a uma futura bandeira com as cores rituais islâmicas: verde, vermelho, preto e branco.

Líderes islâmicos suíços. Pregadores católicos
são presos em terras de Islã

Símbolos corânicos figuram nas bandeiras de muitos países islâmicos e quem falasse em remové-los poderia ser judicialmente condenado à morte.

E, naqueles países onde há minorias cristãs, ninguém ousa falar em multiculturalismo. Pelo contrário, só se houve falar em perseguição religiosa.

Reação

O conservador Partido do Povo Suíço (SVP), o maior do país, recusou a proposta como “totalmente inaceitável”. Termos análogos foram empregados pelos porta-vozes do Partido Democrata Cristão (CVP) e Liberal.

A reação imediata dos grandes partidos foi um sinal que eles perceberam a periculosidade da proposta e as conotações explosivas que a envolvem.

Outra reivindicação: impor a Lei Islâmica (Sharia)

Na Suíça há por volta de 400.000 muçulmanos, que possuem 200 mesquitas e 1.000 locais de culto. Eles promovem uma infinidade de processos jurídicos para impor os preceitos islâmicos nos costumes do país.

Muçulmanos na Holanda: ousadia
não pára de crescer

O chefe da comunidade islâmica da Basileia foi processado por pregar a implantação da Lei Islâmica (Sharia) no país e a flagelação pública de mulheres, tendo sido liberado em nome da “liberdade de expressão”. Nos países islâmicos, um pregador público do Evangelho pode ser condenado à morte.

Em 2009 os suíços aprovaram em plebiscito a proibição constitucional dos minaretes, e em 2010 exigiram pelo mesmo processo regras severas contra os imigrantes condenados por crimes graves.

Movimentos de esquerda laicista, aliados do muçulmanos

Por causa dessas decisões livres e democráticas de bom senso, o país foi vituperado pelas esquerdas internacionais, inclusive as católicas “ecumênicas”. Hoje, a referida absurda exigência de abolir a Cruz, símbolo nacional, agrada às mesmas esquerdas laicistas e anticristãs.

 


71 comentários em "Muçulmanos pedem para retirar a Cruz da bandeira da Suíça"

  1. Pingback: Musulmanes pretenden que se retire la Cruz de la bandera de Suiza | Familia Uruguaya Cristiana

  2. silvia   5 de fevereiro de 2016 at 7:25

    absurda as pretensões destes muçulmanos sem noção

     
    Responder
  3. Fred Rosa Vieira   14 de dezembro de 2015 at 18:40

    Por que não mandam esses muçulmanos na Suiça para a [CENSURADO]? Afinal, eles não têm o direito de exigir nada, pois são imigrantes, mesmo que naturalizados!!! Se não gostam, então que voltem para onde vieram.

     
    Responder
  4. Laene   24 de outubro de 2015 at 17:39

    Realmente, esses muçulmanos ,povo sem noção , porque eles não voltam, para suas terras de origens. quando vc é um imigrante, você deve aceitar e respeitar as Leis desse país que lhe acolhe. Se não está satisfeito , vá embora!!!

     
    Responder
  5. Naldo de Jesus   11 de outubro de 2015 at 18:05

    Isso realmente é algo abominavel. os Islam acham que sao donos do mundo, podem fazer e disfazer. mas na verdade isso nao acontecerá. estamos a passoa galopante para a distruicao desse mundo. esse é um dos sinais.

     
    Responder
  6. Graça Botelho   15 de setembro de 2015 at 16:59

    Seja como for, é inaceitável! Não?

     
    Responder
  7. Ricardo Sá   15 de setembro de 2015 at 13:57

    Esta noticia tem 4 anos e a sua veracidade é questionável…

     
    Responder
  8. Isabel   15 de setembro de 2015 at 5:22

    Só para começar aquilo nem é a cruz do cristianismo. Isto só para começar….

     
    Responder
    • Edson Carlos de Oliveira   15 de setembro de 2015 at 11:15

      Se isso é verdade, por aí você pode medir o fanatismo dos muçulmanos – para início de conversa.

       
      Responder
  9. António Barata   14 de setembro de 2015 at 7:08

    O problema, reside no facto de alguém querer sobrepor a sua cultura e ideologia, ao restante mundo. Por este andar em pouco tempo seremos escravos, os que sobreviverem. Já à algum tempo se tinha verificado idêntica situação quando o Real Madrid, aceitou tirar a cruz de Cristo do emblema oficial do club (que é centenário). A favor dos seus proporcionadores árabes. É por estas e outras que eles vão ganhando poder!…

     
    Responder
  10. Rahul   14 de setembro de 2015 at 0:43

    HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA HA… grandes idiotas… rsss

     
    Responder
  11. Vera Lúcia Teixeira   13 de setembro de 2015 at 23:20

    Preconceito puro e perigoso!!!!
    Pura ignorância, (desconhecimento do sssunto) de onde advém todo e qualquer pré-conceito!!!!!
    A cruz cristá NÀO ê esta!!!!!
    Esta tem todos os braços de igual tamanho… Representa a solidariedade espalhada pelos 4 cantos…. ( para todos!!!) e é usada em hospitais, Ambulãncias, Farmãcias.. (tudo q se refere à socorro em Saüde)!!!!!!!

     
    Responder
  12. Ivo Wenclaski   12 de setembro de 2015 at 18:05

    Pura ignorância dos muçulmanos. A cruz na bandeira suíça nada tem a ver com a cruz cristã, até o formato é diferente. A cruz suíça representa o auxílio à humanidade, a assistência humanitária. Ela está presente em cada acampamento de guerra onde há um hospital. As ambulâncias no mundo todo, os médicos e enfermeiros nos campos de batalha usam esta simbologia para evitar que sejam atacados.

     
    Responder
  13. Capitan   11 de setembro de 2015 at 9:03

    Penso eu de que uma “cruz religiosa” que faça referencia ao cristianismo teria a ponta inferior com um tamanha superior as restantes… por esta ordem de ideias futuramente vão pedir para eliminar os sinais de soma e multiplicação, os cruzamentos das estrada e terão de deixar de utilizar os aviões devido a sua forma

     
    Responder

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado