“Lei da Palmada” e a conjunção coordenativa adversativa

6

Parece que o argumento de que a aprovação da “Lei da Palmada” (PL 7.672) será uma intromissão do Estado na família é o que mais incomoda os promotores desse projeto de lei de iniciativa do Governo Federal, pois ad nauseam negavam esse perigo.

Mas agora que a “Lei da Palmada” será colocada em votação e pode ser aprovada, o jogo começa a aparecer mais claramente.

Segundo o blog da deputada Teresa Surita (25/11/2011), relatora do projeto, o “Estado não vai interferir na educação das famílias, mas que elas terão a obrigação de saber como educar a família dentro de “limites aceitáveis” (o negrito é meu).

Entendeu a tática?

Vou explicar, em uma primeira fase, quando é necessário acalmar a opinião pública, simplesmente se nega as objeções contrárias como loucas e descabidas. Depois, quando a Lei estiver para ser aprovada, então é só acrescentar uma conjunção coordenativa adversativa “mas” logo depois mesma oração que antes se usava para negar o argumento contrário, não esquecendo, é claro, de colocar uma vírgula antes do “mas”.

Bom, agora surge a pergunta. E o que acontecerá com as famílias que não cumprirem essa “obrigação” e continuarem a aplicar pequenas correções físicas aos seus filhos?

Como afirmou o juiz  Reinaldo Cintra, não adianta falar que a nova lei será apenas educativa e não punitiva. “É claro que vai ter uma consequência para os pais, uma sanção. Senão, não era lei”, afirmou Cintra (confira aqui).

Esse é o jogo das “modernas” democracias.

 

6 COMENTÁRIOS

  1. Nós deveríamos ter direito a um PLEBISCITO para “DESVOTAR” (desculpem o barbarismo mas, em vista de tanta barbaridade…) os votos dados a cada um de todos esse políticos que aí estão. Consertando: deveríamos poder convocar novas eleições para VOTARMOS que não queremos mais nenhum deles por aqui neste país. Que entreguem seus cargos, devolvam os dinheiros apropriados, e que possamos procurar, entre o restante honesto da população brasileira, gente de confiança e de princípios dignos de uma sociedade orgânica. O que está aí é a ante-sala do caos absoluto.

     
  2. Caros amigos, infelizmente o governo atual dá mostra de verdadeiro totalitarismo, são mais libertinos que libertários… a revolução se faz a partir da destruição dos valores socias básicos da família… a ingerência na esfera do poder familiar é inaceitável! Cabe a sociedade civil organiza-se e exigir a convocação de PLEBISCITO para dirimir essa questão. A autoridade dos pais não pode ser contestada dessa forma, o direito de educar os filhos é do talante dos pais e não do Estado, que não pode impor limites e métodos educativos nessa esfera!

     
  3. O Brasil não tem promotores!!! A não ser aqueles de supermercados, fazendo reposição de mercadorias nas prateleiras ou demonstrando este ou aquele produto. Tem elementos que, mediante concurso, fazem parte da grossa manada de sugadores do Estado. Apenas imitam os outros países que levam a coisa a sério. á pra ver só pela irresponsabilidade com que conduzem os negócios do Poder Público: a policia prende, eles soltam; o fiscal multa, eles anistiam; só faltava essa. Mas continue o povo brasileiro (não os brasilianos, veja, bem!) a votar em incompetentes. Das pragas existentes em brasilia, só faltava a tiririca. Agora está completo!

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome