Uma caravana do setor estudantil da TFP Americana (TFP Student Action), está percorrendo o litoral leste dos EUA, numa campanha em defesa da família, ameaçada por projeto de lei que visa a instituir o chamado “casamento” homossexual.

Os jovens estão distribuindo um folheto intitulado 10 razões pelas quais o “casamento” homossexual é prejudicial e deve ser combatido. Sendo o tema de atualidade também para nosso país, pareceu-nos oportuno apresentar aqui a tradução de seu texto.

10 razões pelas quais o “casamento” homossexual é prejudicial e deve ser combatido

Por TFP Student Action  (Ação Estudantil TFP)

1. O “casamento” homossexual não é casamento

Chamar algo de casamento não faz disso um casamento. O casamento sempre foi uma aliança entre um homem e uma mulher, ordenada por sua natureza à procriação e educação dos filhos, assim como à unidade e bem-estar dos cônjuges.

Os promotores do “casamento” homossexual propõem algo completamente diferente. Eles propõem a união entre dois homens ou duas mulheres. Isso nega as evidentes diferenças biológicas, fisiológicas e psicológicas entre homens e mulheres, que encontram a sua complementaridade no casamento. Nega também a finalidade primária específica do casamento: a perpetuação da raça humana e a educação dos filhos.

Duas coisas completamente diferentes não podem ser consideradas a mesma coisa.

2. O “casamento” homossexual viola a Lei Natural

Casamento não é apenas qualquer relacionamento entre seres humanos. É uma relação enraizada na natureza humana e, portanto, regida pela lei natural.

O preceito mais elementar da lei natural é que “o bem deve ser feito e buscado e o mal deve ser evitado”. Pela razão natural, o homem pode perceber o que é moralmente bom ou mau. Assim, ele pode conhecer o objetivo ou finalidade de cada um de seus atos e como é moralmente errado transformar os meios que o ajudam a realizar um ato em finalidade do ato.

Qualquer situação que institucionalize a  defraudação da finalidade do ato sexual viola a lei natural e a norma objetiva da moralidade.

Estando enraizada na natureza humana, a lei natural é universal e imutável. Ela se aplica da mesma forma a toda a raça humana. Ela manda e proíbe de forma consistente, em todos os lugares e sempre. São Paulo, na Epístola aos Romanos, ensina que a lei natural está inscrita no coração de todo homem (Rom 2,14-15).

3. O “casamento” homossexual sempre nega à criança ou um pai ou uma mãe

O melhor para a criança é crescer sob a influência de seu pai natural e sua mãe natural. Esta regra é confirmada pelas evidentes dificuldades enfrentadas por muitas crianças órfãs ou criadas por só um dos genitores, um parente, ou pais adotivos.

A lamentável situação dessas crianças será a norma para todos os “filhos” de “casais” homossexuais. Esses “filhos” serão sempre privados ou de sua mãe natural ou de seu pai natural. Serão criados, necessariamente, por uma parte que não tem nenhuma relação de sangue com eles. Vão ser sempre privados de um modelo paterno ou materno.

O chamado “casamento” homossexual ignora os interesses da criança.

4. O “casamento” homossexual  valida e promove o estilo de vida homossexual

Em nome da “família”, o “casamento” homossexual serve para validar não só as referidas uniões, mas todo o estilo de vida homossexual em todas as suas variantes, bissexuais e transgêneros.

As leis civis são princípios que estruturam a vida do homem na sociedade. Como tais, elas desempenham um papel muito importante, e por vezes decisivo, que influenciam os padrões de pensamento e comportamento. Elas configuram externamente a vida da sociedade, mas também modificam profundamente a percepção de todos e a avaliação de formas de comportamento.

O reconhecimento legal do “casamento” homossexual necessariamente obscurece certos valores morais básicos, desvaloriza o casamento tradicional e enfraquece a moralidade pública.

5. O “casamento” homossexual transforma um erro moral num Direito Civil

Os ativistas homossexuais afirmam que o “casamento” homossexual é uma questão de direitos civis, semelhante à luta pela igualdade racial nos anos 1960.

Isso é falso.

Primeiro de tudo, comportamento sexual e raça são  realidades essencialmente diferentes. Um homem e uma mulher querendo casar-se podem ser diferentes em suas características: um pode ser preto, o outro branco; um rico e o outro pobre; ou um alto e o outro baixo. Nenhuma dessas diferenças são obstáculos insuperáveis para o casamento. Os dois indivíduos são ainda um homem e uma mulher e, portanto, as exigências da natureza são respeitadas.

O “casamento” homossexual se opõe à natureza. Duas pessoas do mesmo sexo, independentemente da sua raça, riqueza, estatura, erudição ou fama, nunca serão capazes de se casar por causa de uma insuperável impossibilidade biológica.

Em segundo lugar, características raciais herdadas e imutáveis não podem ser comparadas com comportamentos não-genéticos e mutáveis. Simplesmente, não há analogia entre o casamento inter-racial de um homem e uma mulher e o “casamento” entre duas pessoas do mesmo sexo.

6. O “casamento” homossexual não cria uma família, mas uma união naturalmente estéril

O casamento tradicional é geralmente tão fecundo, que aqueles que querem frustrar o seu fim tem de fazer violência à natureza para impedir o nascimento de crianças, usando a contracepção. Ele tende, naturalmente, a criar famílias.

Pelo contrário, o “casamento” homossexual é intrinsecamente estéril. Se os “cônjuges” querem ter um “filho”, eles devem contornar a natureza por meios caros e artificiais ou empregar maternidade de substituição [“mães de aluguel”]. A tendência natural de tal união não é criar famílias.

Portanto, não podemos chamar de casamento a união de pessoas do mesmo sexo e dar-lhe os benefícios do casamento verdadeiro.

7. O “casamento” homossexual desvirtua a razão pela qual o Estado beneficia o casamento

Uma das principais razões pelas quais o Estado confere inúmeros benefícios ao casamento é que, por sua própria natureza e desígnio, o casamento proporciona as condições normais de uma atmosfera estável, afetuosa, e moral, que é benéfica para a educação dos filhos, frutos do mútuo afeto dos pais. Ele ajuda a perpetuar a nação e fortalecer a sociedade, o que é um evidente interesse do Estado.

O “casamento” homossexual não fornece essas condições. Seu desígnio principal, objetivamente falando, é a gratificação pessoal de duas pessoas, cuja união é estéril por natureza. Não tem direito, portanto, à proteção que o Estado concede ao casamento verdadeiro.

8. O “casamento” homossexual impõe a sua aceitação por toda a sociedade

Ao legalizar o “casamento” homossexual, o Estado se torna o seu promotor oficial e ativo. O Estado exige que os servidores públicos celebrem a nova cerimônia civil, ordena as escolas públicas a ensinarem sua aceitação pelas crianças, e pune qualquer funcionário que manifeste sua desaprovação.

Na esfera privada, pais contrariados vão ver seus filhos expostos mais do que nunca a esta nova “moralidade”; as empresas que oferecem serviços de casamento serão obrigadas a fornecê-los a uniões de pessoas do mesmo sexo; e proprietários de imóveis terão de concordar em aceitar “casais” homossexuais como inquilinos.

Em todas as situações em que o casamento afete a sociedade, o Estado vai esperar que os cristãos e todas as pessoas de boa vontade traiam suas consciências, coonestando, por silêncio ou ação, um ataque à ordem natural e à moral cristã.

9. O “casamento” homossexual é a vanguarda da revolução sexual

Na década de 1960, a sociedade foi pressionada para aceitar todos os tipos de relações sexuais imorais entre homens e mulheres. Hoje estamos presenciando uma nova revolução sexual, na qual a sociedade está sendo convidada a aceitar a sodomia e o “casamento” homossexual.

Se o “casamento” homossexual for universalmente aceito como a etapa presente da “liberdade” sexual, que argumentos lógicos podem ser usados para parar as próximas etapas, do incesto, pedofilia, bestialidade e outras formas de comportamento antinatural? Com efeito, os elementos radicais de certas subculturas de vanguarda já estão defendendo essas aberrações.

A insistência na imposição do “casamento” homossexual ao povo norte-americano torna cada vez mais claro que o ativista homossexual Paul Varnell escreveu no “Chicago Free Press”:

“O movimento gay, quer o admitamos ou não, não é um movimento de direitos civis, nem mesmo um movimento de libertação sexual, mas uma revolução moral destinada a mudar a visão das pessoas sobre a homossexualidade.”

10. O “casamento” homossexual ofende a Deus

Esta é a razão mais importante. Sempre que se viola a ordem moral natural estabelecida por Deus, comete-se um pecado e se ofende a Deus. O “casamento” homossexual faz exatamente isso. Assim, quem professa amar a Deus deve opor-se a ele.

O casamento não é criação de nenhum Estado. Pelo contrário, ele foi estabelecido por Deus no paraíso para os nossos primeiros pais, Adão e Eva. Como lemos no Livro do Gênesis: “Deus criou o homem à sua imagem; criou-o à imagem de Deus, criou o homem e a mulher. Deus os abençoou: Frutificai, disse ele, e multiplicai-vos, enchei a terra e submetei-a” (Gen 1, 27-28).

O mesmo foi ensinado por Nosso Senhor Jesus Cristo: “No princípio da criação, Deus os fez homem e mulher. Por isso, deixará o homem pai e mãe e se unirá à sua mulher” (Mc 10, 6-7).

O Gênesis também ensina como Deus puniu Sodoma e Gomorra, por causa do pecado da homossexualidade: “O Senhor fez então cair sobre Sodoma e Gomorra uma chuva de enxofre e de fogo, vinda do Senhor, do céu. E destruiu essas cidades e toda a planície, assim como todos os habitantes das cidades e a vegetação do solo” (Gen 19, 24-25).

Uma posição de princípios, não pessoal

Ao escrever esta declaração, não temos qualquer intenção de difamar ou menosprezar ninguém. Não somos movidos pelo ódio pessoal contra nenhum indivíduo. Ao nos opormos intelectualmente a indivíduos ou organizações que promovem a agenda homossexual, nosso único objetivo é  defender o casamento tradicional, a família, e os preciosos restos da civilização cristã.

Como católicos praticantes, estamos cheios de compaixão e rezamos por aqueles que lutam contra a tentação implacável e violenta do pecado homossexual. Rezamos por aqueles que caem no pecado homossexual por causa da fraqueza humana: que Deus os ajude com Sua graça.

Estamos conscientes da enorme diferença entre essas pessoas que lutam com suas fraquezas e se esforçam por superá-las, e outros que transformam seus pecados em motivo de orgulho e tentam impor seu estilo de vida à sociedade como um todo, em flagrante oposição à moralidade cristã tradicional e à lei natural. No entanto, rezamos por eles também.

Rezamos também pelos juízes, legisladores e funcionários do governo que, de uma forma ou de outra, tomam medidas que favorecem a homossexualidade e o “casamento” homossexual. Não julgamos suas intenções, disposições interiores, ou motivações pessoais.

Rejeitamos e condenamos qualquer forma de violência. Simplesmente exercitamos a nossa liberdade de filhos de Deus (Rom 8:21) e nossos direitos constitucionais à liberdade de expressão e à manifestação pública, de forma aberta, sem desculpas ou vergonha da nossa fé católica. Nos opomos a argumentos com argumentos. Aos argumentos a favor da homossexualidade e do “casamento” entre pessoas do mesmo sexo, respondemos com argumentos baseados na reta razão, na lei natural e na Divina Revelação.

Em uma declaração polêmica como esta, é possível que uma ou outra formulação possa parecer excessiva ou irônica. Essa não é a nossa intenção.

Original inglês: 10 Reasons Why Homosexual “Marriage” is Harmful and Must be Opposed – Disponível em http://www.tfpstudentaction.org/

225 COMENTÁRIOS

  1. Não vou discutir sobre sua opinião ignorante ou sobre o fato de que as suas justificativas para qual o casamento homossexual pode ser prejudicial são totalmente preconceituosas, pois isso se deve apenas a você e a lei (e a Deus). Estou aqui para dizer que estamos em tempos de Livre Arbítrio, ou seja,todo individuo tem o direito de escolher suas ações e que caminho seguir, se isso não coincide com o seu jeito de viver, você não tem o direito de interferir nisso, nem mesmo de criticar, pois isso não tem nada a ver com você. Se você segue tanto as leis de Deus, como diz, deve saber que ele é um Deus de Amor, não de ódio, que é um Deus que prega a Paz, e não a guerra, então mesmo que você venha a não concordar com os atos dos outros, deve mesmo assim respeitar e ter uma certo carinho por eles, Pois somos a “geração que denúncia o pecado, mas ama o pecador”, e com com base no seu artigo, é conclusivo dizer que você guarda um certo ódio dos Homossexuais, oque é totalmente contra as Leis de Deus.

  2. Em primeiro lugar, é preciso esclarecer o que é pecado: pecado é o que a Bíblia chama de “erro”, “engano”, “ilegalidade”. Nesse sentido, qualquer ato que produza um efeito contrário ao que Deus espera que façamos é pecado. De igual modo, qualquer ato que esteja em desacordo com os ensinos da Bíblia é pecado. Finalmente, qualquer transgressão à Lei de Deus é pecado. O ato homossexual contraria o mandamento do Senhor para que homem não se deite com homem. Nesse mesmo sentido, o ato homossexual deriva do engano do coração, no qual se acredita que agindo de modo homossexual obtêm-se amor e prazer, tais quais na relação entre macho e fêmea. Logo, trata-se de um engano. Por último, uma “dupla” homossexual NÃO poderá cumprir NENHUM dos ensinos das escrituras para um casal; já que tais ensinos referem-se SEMPRE à união de um homem e uma mulher. Maiores esclarecimentos: [email protected]

  3. Henry, Quando também um homem se deitar com outro homem, como com mulher, ambos fizeram abominação; certamente morrerão; o seu sangue será sobre eles.

    Levítico 20:13

  4. João de Barro disse: “Ninguém impõe aceitação, impõe respeito.”

    Respeito não se impõe: se CONQUISTA.

    E é realmente DIFÍCIL algo inerente e intrinsecamente ERRADO conquistar algum respeito!

  5. Vania,

    Nâo precisaria usar da figura do casamento para se preservar desses direitos. Bastaria qualquer contrato, registrado em cartório e ponto
    final. Se quisesse criar algo, que representasse isto, bastaria
    criar uma figura outra jurídica.

  6. Miguel / Gabriel / Rafael, sobre o Papa Francisco reitero com mais uma citação dele.
    É da época em que Bergoglio era Arcebispo de Buenos Aires:

    “Aqui também está a inveja do Demônio, através da qual entrou o pecado no mundo, que de modo arteiro pretende destruir a imagem de Deus: homem e mulher receber o mandato de crescer, multiplicar-se e dominar a terra. Não sejamos ingênuos, [a união homossexual] não se trata de uma simples luta política. É uma pretensão destrutiva ao plano de Deus. Não se trata de um mero projeto legislativo, mas de uma ação do pai da mentira que pretende confundir e enganar aos filhos de Deus”. (Cardeal Bergoglio, Carta aberta em repúdio à união homossexual enviada aos monastérios de Buenos Aires, julho de 2010)

  7. João de Barro, bonito nome você escolheu para expressar suas ideias. Todos nós sabemos que o “João de Barro” é um pássaro e só vivem em casal para procriação da forma como Deus os criou. Ainda mais, ele é um excelente operário, pois quando sua fêmea está para por os ovos e gerar seus filhotes, ele constrói uma linda casa de barro como todo bom operário. Ele não é preguiçoso e nem vive nas costas dos outros.
    Agora, existe outro pássaro que gosta de viver nas costas dos outros, ele se chama “Grumará”. A fêmea do Grumara quando quer fazer sua postura, ela procura o ninho do coitado do Tico-Tico, que foi construído com o amor da natureza, come os ovos da fêmea do Tico-Tico que ali se encontram e põe no lugar os ovos da Grumará preguiçosa e aproveitadora. Desta forma, o casal de Tico-Tico passa a ser pais adotivos dos filhos da Grumará. Como nós vemos, os filhotes são criados por um casal, macho e fêmea e não por dois machos ou por duas fêmeas.

  8. Isaias Oliveira, o Papa Francisco jamais aprovará casamento gay. Ele em sua humildade disse realmente que “Se uma pessoa é gay e procura Deus, quem sou eu para julgá-la?” Na verdade, ele jamais será contra, porque quem procura Deus dá sinal de arrependimento de seus atos.

  9. João de Barro,

    1. Essa tal de “Lei Natural” – também conhecida como “Lei Divina”, estranho, não? – é tão falsa quanto uma nota de 3 reais. Prove cientificamente algo dito neste tópico, ou é apenas mais um dogma.
    O sexo é para a reprodução? Ok. Somos racionais, não? Então usamos com o que bem entendermos. Talvez a pedofilia na sua religião possa te ajudar a entender um pouco melhor;

    RESPOSTA:
    Ridículus! Pelo visto você nunca leu um livro de biologia.
    Macho + fêmea = Descendentes
    Macho + macho = Extinção;
    Fêmea + fêmea = Extinção.
    Gente como você só merece uma resposta: Volte para a escola, burro!
    A maioria esmagadora dos casos de abuso sexual na igreja católica são praticados contra meninOs. Quem abusa de meninOs? São os gays!!!! Basta expulsar os gays do clero para reduzir os casos de pedofilia em mais de novente por cento.

    2.Quem tem o poder de criar bem uma criança, cria. A figura materna ou paterna não é insubstituível, vide crianças que consideram tias e avós como mães;

    RESPOSTA:
    A exceção são os LGBTs, que querem adotar crianças com interesses nada nobres.
    http://ohomossexualismo.blogspot.com.br/2011/09/nojenta-declaracao-dos-direitos-sexuais.html

    4. Pfff. Idiotice define este tópico. Quem quer ser heterossexual, é heterossexual. Quem quer ser homo, é homo. Hétero, homo, bi, pan… tanto faz! Não há provas de que a convivência com homossexual forma homossexuais. Porque há muitos homossexuais que vieram de um casal hétero;

    RESPOSTA:
    Então você está confessando que essa conversinha de “orientação sexual” é balela. Portanto homossexualismo não é orientação sexual; É apenas um desvio de comportamento (prejudicial) tal qual o tabagismo ou o alcoolismo. Comportamento esse que é o resultado da desobediência aos pais héteros.

    5. Novamente, religião atrapalhando mentes. É o “vírus de Cristo” infestando pessoas. Erro moral? Por quê? Ah, porque tua religião diz isso. Perdão, donos da razão;

    RESPOSTA: Então você é ateu? Qual civilização nasceu do ateísmo?

    6. Como já comentei em outro post, a mínima cola que liga uma relação familiar, são os laços afetivos. E essa intenção de casamento é tão arcaica quanto seus pensamentos;

    RESPOSTA: É mesmo? Então porque os LGBTs querem ter o direito de casarem legalmente (homem com homem e mulher com mulher)?

    7. O estado concede benefícios ao casamento, apenas. Não importa o sexo. E não creio que há famílias “perfeitas” por serem heterossexuais, há famílias “perfeitas” pelo caráter. Apenas.;

    RESPOSTA: Releia o artigo da constituição.

    8. Descriminação é crime, hein? Ninguém impõe aceitação, impõe respeito. Se tu não tens a capacidade de aceitar e cuidar da tua vida, e faz uma postagem tão ridícula como essa, paciência…;

    RESPOSTA: Discriminação? Veja:
    wwww.yoube.com/watch?v=dY28ZKYdDyY
    http://www.youtube.com/watch?v=VhDf4_s7mVQ

    9. Eu até discutiria este tópico. Mas parei ao ler a crítica e comparação do homossexualismo à pedofilia, incesto e bestialidade.
    A pedofilia é bem famosa na tua religião, não? O Papa precisou acobertar vários casos de pedofilia e efebofilia… E o estranho, a maioria dos padres e sacerdotes abusadores, eram pederastas. Que tiro no pé, não?
    Incesto? Comum na Igreja antigamente. Casamento entre primos…
    Bestialidade? Um tal de Papa Bento IX era um zóofilo…
    Tiro no pé, apenas. (Ah, uma dica, leiam o livro Secretos Vaticanos);
    10. Nem me dei ao trabalho de ler tal tópico. Prove que Deus existe, que devemos acreditar nele e nas “leis” feitas por humanos preconceituosos usando o nome de “Deus” para impô-las, e talvez eu discuta isso.

    RESPOSTA: São vocês LGBTS que estão querendo legalizar a pedofilia. Não é por acaso que os casos de pedofilia na igreja católica são praticados majoritariamente contra meninOs. É só a igreja católica detectar e expulsar os homossexuais do clero que os casos de abuso infantil serão reduzidos em mais de noventa por cento.
    Obs: Não sou católico.
    http://ohomossexualismo.blogspot.com.br/2011/09/nojenta-declaracao-dos-direitos-sexuais.html

  10. Artigo muito interessante, bem escrito e fundamentado, dentro de uma visão conservadora e religiosa, que, concordando-se ou não com a mesma, tem que ser respeitada. Afinal de contas, o artigo foi elaborado pela TFP americana e postado no site do IPCO, que é um site católico e conservador. Mesmo abstraindo-se a questão religiosa, os demais argumentos são inteiramente válidos e atuais, dentro dessa visão! Comportamentos alternativos não geram direitos por si mesmos. O direito deriva da lei natural, que transcende convicções religiosas, sejam elas quais forem. Casamento é sinônimo de família, que é a base da sociedade. Desvios de conduta acontecem em todas as instituições, organizações e categorias de pessoas. Não se confundem com a própria instituição, não são justificativa para qualquer tipo de comportamento equivocado e não validam qualquer prática desordenada de vida. Interessante observar o fracasso retumbante dos “casamentos alternativos” nos países onde foi instituído, como na França, por exemplo, com um número inexpressivo de uniões em comparação ao casamento tradicional. Recentemente, logo após a aprovação do “casamento alternativo” na França, realizaram um evento para a promoção dessas uniões, com vários estandes para a contratação de serviços relacionados aos mesmos, que ficou literalmente às moscas. Inclusive, no caso da França, vários ativistas homossexuais se posicionaram contra a aprovação dessa modalidade de “casamento”, pois entendem, e sabem por experiência própria, que são uniões de naturezas distintas. Com certeza, no Brasil essa situação se repetirá no futuro, pois os próprios interessados chegarão à conclusão que suas vidas não se modificarão em nada, e que tudo isso não passa de simples vaidade. Quem viver verá! Conheço vários casais heterossexuais que vivem juntos há vários anos, alguns há mais de 20 anos, e que não tem nenhuma intenção de oficializar sua situação.

  11. Para o crente Deus criou o macho e a fêmea e assim o fez para que houvesse a reprodução da espécie.

    Para os não crentes o processo evolutivo fez com que as diferentes espécies também formassem casais visando à reprodução.

    Se no princípio Deus tivesse criado Adão e Yvo ou Eva e Gyna não haveria reprodução. E se no processo evolutivo os primeiros primatas não formassem casais, ou seja, se macho e fêmea não copulassem também não haveria reprodução.

    Em ambos os casos a humanidade simplesmente não existiria.

    Vamos imaginar uma ilha envie 100 homossexuais para essa ilha e volte daqui a 100 anos não haverá um humano si quer para contar a história.

    Casamento é uma instituição hétero e para os héteros.

    O mesmo se aplica ao Cristianismo, quem pratica ou mesmo defende o homossexualismo, pedofilia, zoofilia e outras aberrações não é cristão.

    O propósito do cristianismo é justamente a de libertar o homem de tais praticas.

  12. 1. Casamento é o vínculo estabelecido entre duas pessoas, mediante o reconhecimento governamental, religioso ou social e que pressupõe uma relação interpessoal de intimidade.
    Ou seja, enquanto o governo reconhecer o casamento homossexual, o choro de vocês é livre, e não adianta nada;

    2. Essa tal de “Lei Natural” – também conhecida como “Lei Divina”, estranho, não? – é tão falsa quanto uma nota de 3 reais. Prove cientificamente algo dito neste tópico, ou é apenas mais um dogma.
    O sexo é para a reprodução? Ok. Somos racionais, não? Então usamos com o que bem entendermos. Talvez a pedofilia na sua religião possa te ajudar a entender um pouco melhor;

    3. Quem tem o poder de criar bem uma criança, cria. A figura materna ou paterna não é insubstituível, vide crianças que consideram tias e avós como mães;

    4. Pfff. Idiotice define este tópico. Quem quer ser heterossexual, é heterossexual. Quem quer ser homo, é homo. Hétero, homo, bi, pan… tanto faz! Não há provas de que a convivência com homossexual forma homossexuais. Porque há muitos homossexuais que vieram de um casal hétero;

    5. Novamente, religião atrapalhando mentes. É o “vírus de Cristo” infestando pessoas. Erro moral? Por quê? Ah, porque tua religião diz isso. Perdão, donos da razão;

    6. Como já comentei em outro post, a mínima cola que liga uma relação familiar, são os laços afetivos. E essa intenção de casamento é tão arcaica quanto seus pensamentos;

    7. O estado concede benefícios ao casamento, apenas. Não importa o sexo. E não creio que há famílias “perfeitas” por serem heterossexuais, há famílias “perfeitas” pelo caráter. Apenas.;

    8. Descriminação é crime, hein? Ninguém impõe aceitação, impõe respeito. Se tu não tens a capacidade de aceitar e cuidar da tua vida, e faz uma postagem tão ridícula como essa, paciência…;

    9. Eu até discutiria este tópico. Mas parei ao ler a crítica e comparação do homossexualismo à pedofilia, incesto e bestialidade.
    A pedofilia é bem famosa na tua religião, não? O Papa precisou acobertar vários casos de pedofilia e efebofilia… E o estranho, a maioria dos padres e sacerdotes abusadores, eram pederastas. Que tiro no pé, não?
    Incesto? Comum na Igreja antigamente. Casamento entre primos…
    Bestialidade? Um tal de Papa Bento IX era um zóofilo…
    Tiro no pé, apenas. (Ah, uma dica, leiam o livro Secretos Vaticanos);

    10. Nem me dei ao trabalho de ler tal tópico. Prove que Deus existe, que devemos acreditar nele e nas “leis” feitas por humanos preconceituosos usando o nome de “Deus” para impô-las, e talvez eu discuta isso.

  13. Evaristo Fernandes de Goes Neto,

    Você tem problema, meu estágiario tem problema.
    Vania,

    Não há coito (penetração) entre dois cães machos. Só seres humanos praticam esta aberração, que aliás sabemos que é extremamente dolorosa. Qualquer tentativa de penetração anal em qualquer outra criatura resultará em uma reação violenta por causa da dor que tal prática ocasiona. Somente um doente psicótico é que sente prazer em ter seu anus sendo penetrado. E isto sem falar nos danos ao esfincter anal que tal prática pode ocasionar.
    Vá se tratar, cara.

  14. O que farão os católicos caso o papa Francisco aprove o “casamento gay”?

    A inédita, surpreendente declaração do papa Francisco no avião que o levou de volta a Roma depois da viagem ao Brasil — “Se uma pessoa é gay e procura Deus, quem sou eu para julgá-la?” – poderá indicar mudanças na rígida condenação católica à união de pessoas do mesmo sexo.
    http://veja.abril.com.br/blog/ricardo-setti/tema-livre/gays-declaracao-inedita-do-papa-ocorre-quando-o-casamento-entre-homossexuais-ganha-apoios-e-esta-prestes-a-ser-aprovado-pelo-governo-conservador-britanico/

    E ele afastou um cardeal americano que era ferrenho opositor de tal abominação e no lugar dele pôs um mais “liberal”.
    http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2013/12/1386801-papa-afasta-cardeal-americano-conservador-de-comite.shtml

  15. Você tem problemas, meu estagiario tem problemas, você deveriam ser presos por homofobia.

    ps.: Você e ele são babacas e enrustidos.

  16. A questão da perpetuação foi muito bem colocada, para determinar o que é casamento, quanto a homossexualidade ATÉ HOJE NÃO FOI PROVADO QUE NÃO É DOENÇA, pois se uma pessoa nasce com corpo de um gênero e possui a mente de outro ISSO NÃO É NORMAL, sou cristão até agora não mencionei esse fato, coloquei meu ponto de vista sem usar a religião e sem ofender ninguém, por favor se alguém tem uma explicação cientifica que um DISTURBIO MENTAL NÃO É DOENÇA EXPONHA.

  17. Razões para aprovação do casamento entre pessoas do mesmo sexo: É natural sim, vcs nunca viram cães machos , bois e outros animais do mesmo sexo transando? E se for aprovado, casais gays com dinheiro virão ao Brasil para regularizar suas questões de herança ( dinheiro e impostos no país)…bom para nós! Detalhe: sou casada e hetero.

  18. Isso não é questão religiosa…. E as pessoas que não acreditam em Deus… Nesse caso infelizmente temos que deixar a bíblia para quem acredita e levar ao ponto psicológico… 90% dos homossexuais tiveram traumas na infância em relação aos pais e mães… Isso não pode ser ignorado… e os outros 10%??? Bom… Simplesmente são aqueles tipinhos que seguem a modinha….

  19. Se casamento heterossexual é validado por ser algo “natural” e que perpetua a espécie, eu então estaria cometendo um pecado sendo hétero e não tendo filhos com o meu marido?

    #semataquepassa!

  20. Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, tanta baboseira, tanta gente com a mente pequena, pessoas como vcs, tão religiosos, moralistas, e julgando o sentimento dos outros, eu sou HOMOSSEXUAL e nem sou doente e vou ter um filho, e ai…..
    Olha só, vou deixar uma dica, o prefixo ISO e classificado na gramatica portuguesa como definição de doença, então quando relata HOMOSSEXUALISMO referem-se a pessoas doentes, e isso é precoceito e crime, e só pontuando essa palavra foi abolida da gramatica brasileira o correto é HOMOSSEXUALIDADE….
    BEIJINHOS E FIQUEM COM DEUS MEUS IRMÃOS. ….

  21. e facil falar dos outros problemas quando não são seus pois se fossem com você estaria desse jeito pois todo são seres humanos e queremos nossos direitos como qualquer pessoa, então imagens com séria você é nosso lugar, e passe a nos tratar como pessoas não seres anormais….

  22. @luciana

    @[email protected]
    claro que sim,,o religioso,ou o cristo esta em todos os ambientes,ele sabe oq o ser humano tem que fazer pra ser feliz,,o casamento é instituição divina e não instituição humana, por isso que esses casamentos que não são regados a ouvir a voz de Deus não dão certo,aí na procura de preencher carencias as pessoas vão atras de outros meios de “estarem felizes”como união de pessoas do mesmo sexo

  23. @Leandra
    uma coisa não justifica a outra,,sentimento engana ,só olhar pela ordem natural [orgão sexual masculino e feminino], o povo acha que qualquer sentimento é amor, homossexualismo é errado, adulterio, fornicação.

  24. 4 mitos sobre filhos de pais gays
    O gays lutaram e conquistaram direitos iguais no casamento. O próximo passo é pensar em família e filhos. Mas o que acontece com crianças que são criadas por gays? A resposta: algumas coisas – mas nenhuma daquelas que você imaginava
    por Carol Castro
    Tweet

    Começo de ano é sempre igual na escola de Theodora: cada aluno se apresenta e mostra as fotos da família. Pode ser que a menina da primeira carteira seja filha de um engenheiro e uma arquiteta e o pai do menino de cabelos vermelhos chefie a cozinha de um restaurante. Theodora, naturalmente, vai contar sobre a escola de cabeleireiros dos pais. Dos dois pais – Vasco Pedro da Gama e Júnior de Carvalho, juntos há quase 20 anos. Theodora não hesita em explicar para os colegas: não mora com a mãe e tem dois pais gays. Ela passou 4 anos num orfanato, até 2006, quando uma juíza de Catanduva, interior de São Paulo, autorizou a adoção. Nos próximos meses, a família vai crescer: o casal espera a guarda de uma nova menina, de apenas alguns meses de idade.

    Na outra metade do mundo, a história com pais gays da americana Dawn Stefanowicz foi diferente. Por toda a vida, Dawn conviveu com a visita dos vários namorados do pai. Ele recebia homens em casa, embora ainda morasse com a mãe de Dawn- o casal já não se relacionava. Ela segurou as pontas em silêncio durante a infância, adolescência e início da fase adulta. Mas depois dos 30 se rebelou contra a situação. “A decisão do meu pai de não gostar mais de mulheres mudou minha vida. Os namorados dele sempre o afastaram, e ele colocava o trabalho e os namorados acima de mim”, diz.

    Dawn e Theodora fazem parte de um novo tipo de família. Somente nos EUA, segundo estimativa da Escola de Direito da Universidade da Califórnia, 1 milhão de lésbicas, gays, bissexuais e transexuais criam atualmente cerca de 2 milhões de crianças. E cada vez mais casais gays optam por criar seus próprios filhos. Segundo o mesmo instituto, em 2009, 21.740 casais homossexuais adotaram crianças – quase o triplo do número de 2000. A estimativa é que cerca de 14 milhões de crianças, em todo o mundo, convivam com um dos pais gays. Por aqui, onde mais de 60 mil casais gays vivem numa união estável (reconhecida perante a lei apenas no ano passado), a história é mais recente. O caso de Theodora foi a primeira adoção por um casal gay. E isso não faz tanto tempo assim – só 6 anos.

    É justamente por ser tão recente que o assunto gera dúvidas, preconceitos e medos. Quais as consequências na personalidade de uma criança se ela for criada por gays? A resposta dos estudos é bem clara: perto de zero. “As pesquisas mostram que a orientação sexual dos pais parece ter muito pouco a ver com com o desenvolvimento da criança ou com as habilidades de ser pai. Filhos de mães lésbicas ou pais gays se desenvolvem da mesma maneira que crianças de pais heterossexuais”, explica Charlotte Patterson, professora de psiquiatria da Universidade da Virginia e uma das principais pesquisadoras sobre o tema há mais de 20 anos.

    Como, então, explicar as queixas de Dawn e a vida tranquila de Theodora? “O desenvolvimento da criança não depende do tipo de família, mas do vínculo que esses pais e mães vão estabelecer entre eles e a criança. Afeto, carinho, regras: essas coisas são mais importantes para uma criança crescer saudável do que a orientação sexual dos pais”, diz Mariana Farias, psicóloga e autora do livro Adoção por Homossexuais – A Família Homoparental Sob o Olhar da Psicologia Jurídica. Enquanto Theodora mantém uma relação próxima dos pais, com conversas abertas sobre sexualidade, Dawn não teve a mesma sorte. Para piorar, ela cresceu em um ambiente ríspido e promíscuo (o pai levava diferentes homens para casa e não lhe deu atenção durante os anos mais importantes de sua formação). Mesmo assim, sobram mitos em torno da criação de filhos por pais e mães gays. Veja aqui o que a ciência tem a dizer sobre eles.

    Mito 1. “Os filhos serão gays!”

    A lógica parece simples. Pais e mães gays só poderão ter filhos gays, afinal, eles vão crescer em um ambiente em que o padrão é o relacionamento homossexual, certo? Não necessariamente. (Se fosse assim, seria difícil, por exemplo, explicar como filhos gays podem nascer de casais héteros.) Um estudo da Universidade Cambridge comparou filhos de mães lésbicas com filhos de mães héteros e não encontrou nenhuma diferença significativa entre os dois grupos quanto à identificação como gays. Mas isso não quer dizer que não existam algumas diferenças. As famílias homoparentais vivem num ambiente mais aberto à diversidade – e, por consequência, muito mais tolerante caso algum filho queira sair do armário ou ter experiências homossexuais. “Se você cresce com dois pais do mesmo sexo e vê amor e carinho entre eles, você não vê nada de estranho nisso”, conta Arlene Lev, professora da Universidade de Albany. Mas a influência para por aí. O National Longitudinal Lesbian Family Study é uma pesquisa que analisou 84 famílias com duas mães e as comparou a um grupo semelhante de héteros. Ainda entre as meninas de famílias gays, 15,4% já experimentaram sexo com outras garotas, contra 5% das outras. Já entre meninos, houve uma tendência contrária: 5,6% nos adolescentes criados por mães lésbicas tiveram experiências sexuais com parceiros do mesmo sexo – mas menos do que os que cresceram em famílias de héteros, que chegaram a 6,6%. Ou seja, não dá para afirmar que a orientação sexual dos pais tenha o poder de definir a dos filhos.

    Mito 2. “Eles precisam da figura de um pai e de uma mãe”

    Filhos de gays não são os únicos que crescem sem um dos pais. Durante a 2ª Guerra Mundial, estima-se que 183 mil crianças americanas perderam os pais. No Brasil, 17,4% das famílias são formadas por mulheres solteiras com filhos. Na verdade, os papéis masculino e feminino continuam presentes como referência mesmo que não seja nos pais. “É importante que a criança tenha contato com os dois sexos. Mas pode ser alguém significativo à criança, como uma avó. Ela vai escolher essa referência, mesmo que inconsciente-mente”, explica Mariana Farias. Se há uma diferença, ela é positiva. “Crianças criadas por gays são menos influenciadas por brincadeiras estereotipadas como masculinas ou femininas”, diz Arlene Lev. Uma pesquisa feita com 56 crianças de gays e 48 filhos de héteros apontou a maior probabilidade de meninas brincarem com armas ou caminhões. Brincam sem as amarras dos estereótipos e dos preconceitos.

    Mito 3. “As crianças terão problemas psicológicos por causa do preconceito!”

    Elas sofrerão preconceito. Mas não serão as únicas. No ambiente infantil, qualquer diferença – peso, altura, cor da pele – pode virar alvo de piadas. Não é certo, mas é comum. Uma pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas com quase 19 mil pessoas mostrou que 99,3% dos estudantes brasileiros têm algum tipo de preconceito. Entre as ações de bullying, a maioria atinge alunos negros e pobres. Em seguida vêm os preconceitos contra homossexuais. No caso dos filhos de casais gays analisados pelo National Longitudinal Lesbian Family Study, quase metade relatou discriminação por causa da sexualidade das mães. Por vezes, foram excluídos de atividades ou ridicularizados. Vinte e oito por cento dos relatos envolviam colegas de classe, 22% incluíam professores e outros 21% vinham dos próprios familiares. Felizmente, isso não é sentença para uma vida infeliz. Pesquisas que comparam filhos de gays com filhos de héteros mostram que os dois grupos registram níveis semelhantes de autoestima, de relações com a vida e com as perspectivas para o futuro. Da mesma forma, os índices de depressão entre pessoas criadas por gays e por héteros não é diferente.

    Mito 4. “Essas crianças correm risco de sofrer abusos sexuais!”

    Esse mito é resquício da época em que a homossexualidade era considerada um distúrbio. Desde o século 19 até o início da década de 1970, os gays eram vistos como pervertidos, portadores de uma anomalia mental transmitida geneticamente. Foi só em 1973 que a Associação de Psiquiatria Americana retirou a homossexualidade da lista de doenças mentais. É pouquíssimo tempo para a história. O estigma de perversão, sustentado também por líderes religiosos, mantém a crença sobre o “perigo” que as crianças correm quando criadas por gays. Até hoje, as pesquisas ainda não encontraram nenhuma relação entre homossexualidade e abusos sexuais. Nenhum dos adolescentes do National Longitudinal Lesbian Family Study reportou abuso sexual ou físico. Outra pesquisa, realizada por três pediatras americanas, avaliou o caso de 269 crianças abusadas sexualmente. Apenas dois agressores eram homossexuais. A Associação de Psiquiatria Americana ainda esclarece: “Homens homossexuais não tendem a abusar mais sexualmente de crianças do que homens heterossexuais”.

    Essa é uma reportagem da Super Interessante de fevereiro de 20121 Leiam!

  25. levítico 20:13
    Quando também um homem se deitar com outro homem, como com mulher, ambos fizeram abominação; certamente morrerão; o seu sangue será sobre eles.
    olha o que fala na palavra de Deus e hoje temos que ver casamento de
    homem com homem
    mulher com mulher
    a palavra de Deus em romano 12:12
    fala que não devemos conformar com este mundo

  26. Dizem que nos somos a especie mais inteligente do mundo.Se nem conhecemos a natureza, Ou fingimos não conhece-la Homem e Mulher = Filhos = Familia = Felicidade a Natureza não se altera.

  27. Engraçado que as pessoas que defendem a palavra de Deus, nem sequer saibam o que é amor… Deviam ter vergonha de usarem a palavra de Deus para andarem a ofender e a dizer tais barbaridades e tal como disseram e muito bem, Deus nao dorme, Deus vê e sabe tudo, e ele vê a vosso carater hipócrita que julga e não olham para voces mesmos.
    Quantos casais hetero sexuais, abusam, maltratam, matam os seus filhos?? isso não é pecado? é a lei natural da vida?
    E não generalizem os homossexuais, existe muito casal gay e lesbico apto para criar crianças que necessitam de uma casa, familia e amor, tal como existe casais que não são aptos, mas isso não é um problema de género mas sim de pessoas, infelizemente vivemos num mundo em que existe pessoas boas e pessoas más, e não venham atirar areia aos olhos das pessoas porque relação carnal também existe nos heteros, em que uma familia “feliz” tal como voces proclamam, com pai, mae e filhos, o pai durante as suas saidas tem sexo com outras mulheres e a mãe anda metida com o padeira, lamento, mas o problema que vos dá tanta “comichão”, não tem a ver com a escolha sexual mas sim da mentalidade e educação das pessoas.
    Deus é amor, ele sabe o que é correto e nada acontece por acaso na vida, deviam era ter vergonha de atitude dessas de discriminação e dizerem tais barbaridades que não cabe na cabeça de ninguém.
    Vocês não são Deus para julgarem, lamento informar. E quero saber, onde na biblia fala explicitamente em homossexualidade e que é pecado… acordem e abram esses corações, porque discriminação sim é pecado.

  28. Essa razões são as mais idiotas que já li, onde já se viu colocar Deus no meio sendo que ele mesmo disse ame o próximo ,e não há nada na bíblia que diz que homem não pode gosta de homem ou mulher gosta de mulher é pecado não existe isso, e devemos aceita-los como são.
    Só sim a favor do casamento gay e pela adoção de crianças com pais gays porque aposto que ele são bem melhores do que esse casais héteros que faz filho e não assume pelo menos ele querem uma família e vai dar muito amor para essa criança mais que os pais e essa sociedade preconceituosa e ignorante.

  29. Quanta ignorância, casamento é direito civil, não religioso.

    Então por favor se atenham a opinar no campo religioso e deixem que o estado legisle sobre os direitos de todos os cidadãos que pagam seus impostos. O casamento , seja ele do tipo que for, legitima os direitos civis de um cidadão …. Não estamos falando aqui de casamento religioso.

    Ou a Igreja vai continuar achando que tem legitimidade para opinar na politica e nos direitos civis do país?

  30. Não estamos dizendo que casamento gay é crime….
    Não existe este crime ainda, teremos que criá-lo…
    A sociedade aceitou vocês como são, e todo gay é feliz sabemos disto, mas não são Cristão e não podemos exigir que sejam, mas podemos exigir que respeitem o meio em que vivem, pois somos o país mais Cristão do mundo. Valorizem este país humano que é o Brasil, pois acreditamos na Palavra e nela nos ensina que quem tira a vida é somente Deus, sabemos que em muitos países, que não predomina o Cristianismo tal ato é “pena de morte” valorizem este direito de ser gay, mas façam com discrição e respeitem está sociedade Cristã que somos. No que se refere a religião, qdo falam que os Evangélicos usam o nome de Deus para ganhar dinheiro, tudo é muito simples qdo tem o Temor na palavra de Deus, tanto Católicos como Evangélicos. Tudo que ganhamos dinheiro é comércio e aquele que recebe na terra não tem galardão no céu.
    Abraços a todos.

  31. Como as pessoas podem ser tão ignorantes como esse cara? É óbvio que existe sentimento. Eu amo muito meu namorado e não é só carnal. Sou muito fiel a ele e ele a mim. É amor mesmo. Não brincadeira de casinha. Gay, não é definição para pessoas que não amam. Que barbaridade é essa? Todos somos humanos. Sentimos dor, medo, sofremos por ansiedade e, claro, nos apaixonamos e amamos. É estranho as passagens que todos citam da Bíblia, né? Mas seguir na íntegra ninguém quer. Primeiro que Jesus é amor. Se a união fosse algo tão depravado como todo mundo fala, em Suas lições ele teria falado isso várias vezes. Erro de tradução, pq na Bíblia diz que um homem não pode se deitar com outro como se fosse mulher…mas não diz que uma mulher não pode se deitar com a outra né? A religião prega o amor, no entanto é a primeira a queimar os outros. A inquisição se repete. Me poupe de comentários sem fundamentos

  32. @Deyved Assis
    Como as pessoas podem ser tão ignorantes como esse cara? É óbvio que existe sentimento. Eu amo muito meu namorado e não é só carnal. Sou muito fiel a ele e ele a mim. É amor mesmo. Não brincadeira de casinha. Gay, não é definição para pessoas que não amam. Que barbaridade é essa? Todos somos humanos. Sentimos dor, medo, sofremos por ansiedade e, claro, nos apaixonamos e amamos. É estranho as passagens que todos citam da Bíblia, né? Mas seguir na íntegra ninguém quer. Primeiro que Jesus é amor. Se a união fosse algo tão depravado como todo mundo fala, em Suas lições ele teria falado isso várias vezes. Erro de tradução, pq na Bíblia diz que um homem não pode se deitar com outro como se fosse mulher…mas não diz que uma mulher não pode se deitar com a outra né? A religião prega o amor, no entanto é a primeira a queimar os outros. A inquisição se repete. Me poupe de comentários sem fundamentos

  33. Eu penso o seguite todo mundo tem o direito de ser feliz e respeitado,mas existem momentos que sinceramente deve-se usar o bom senso, na verdade nos tempos que vivemos hoje CERTO virou ERRADO e vice-versa.

  34. concordo plenamente com vc amigo, eu só contra esse casamento gay, quer saber isso é culpa também desses nossos queridos governantes, que só sabem criarem leis, sem fundamento. não falta dinheiro no bolso deles, por isso que não tão nem ai para o povo. quer saber, o mundo só vai mudar quando realmente jesus descer aqui na terra , acredito e tenho esperança, que vai acontecer, vigiai, não sabemos o dia e nem a hora, mais acredite que deus é pai. ele existe e cuida cada passo que andemos, confie em jesus , plante o bem, que vc colhera . A PAZ DE JESUS PARA TODOS.
    @Deyved Assis

  35. Nao existe uniao entre os gays, nao existe amor, existe um desejo carnal, que na maioria das vezes se da devido valores. Uma pessoa me endagou a respeito do casamento homosexual. ” porque voce é contra os gays ?” nao sou contra os gays, e sim contra o direito de se casarem. “áh mas porque? ” . – porque vai contra a lei da vida, e a humanidade iria acabar. ” mais tem 7 bilhoes de pessoas de pessoas! “. sim assim como a camada de ozonio jamais iria acabar, assim como a Agua doce na face terra seria eterna.

  36. Felizmente todos estes argumentos se invalidam ao repararmos a presença de homens e mulheres que não podem gerar filhos e se casam, crianças para adoção sem casais heterossexuais que as queiram, animais, como golfinhos, pinguins, bonobos etc. que praticam atividades homossexuais e afetivas com outros do mesmo sexo e com a Declaração Universal dos Direitos Humanos, que garante a todos igualdade de direitos perante a sociedade. Da mesma forma como existem maus exemplos heterossexuais, existem maus exemplos homossexuais, e por conta disto não podemos estender a uns os erros de outros. “Se você não é a favor do casamento gay, não se case com um gay.”
    Enquanto nos preocuparmos mais com quem está na cama dos outros do que com quem está na nossa, esta guerra não terminará. E esta é a verdadeira ruina da família.

  37. realmente, querem ser respeitados, mais não respeitam a religião, olha para aquilo na parada gay de são Paulo. um grande desrespeito com as coisas que se diz respeito ao nosso criador. DEUS NOSSO PAI ELE NÃO DORME.. FELIZ É AQUELE QUE SE ARREPENDER ENQUANTO TIVER VIVO, NÃO PENSE QUE A GENTE MORRE E ACABOU. NÃO SE ENGANE COM AS COISAS DO MUNDO , PORQUE O DIABO ESTÁ SOLTO, ACORDA POVO.. ENQUANTO É TEMPO..

Deixe uma resposta