Notícia de https://summit.news/2019/04/18/france-statue-of-virgin-mary-decapitated/ (França: Imagem da Virgem Maria decapitada), 18 de abril, Paul Joseph Watson, descreve o “mais recente em um dilúvio de ataques anticristãos na França, que somavam quase 900 em 2018”.

      “A imagem, localizada na comuna de Marlhes, foi decapitada, apesar de ser feita de ferro fundido com reforços de metal” e de acordo com “um relatório da LeProgres, os vândalos “tinham que estar bem equipados” para causar o dano”.

      Informa ainda que o ataque “ocorreu apenas 48 horas após o trágico incêndio na catedral de Notre Dame, em Paris”.

           Se fosse uma mesquita a midia reagiria com horror…

           “Como o jornalista francês Maxime Lepante apontou, enquanto a reação da mídia às mesquitas sendo vandalizadas é de horror, com os criminosos sendo rapidamente capturados, os ataques a sites cristãos são recebidos com muito menos preocupação.

           Acusações fortes e verdadeiras contra autoridades civis e eclesiásticas

         “Duas igrejas foram vandalizadas por dia” (em 2108), disse Lepante, acrescentando: “Este governo, este regime … incluindo o papa, incluindo os cardeais, cala a boca, não diz nada quando nossas igrejas estão sendo vandalizadas e, em contraste, no minuto em que é uma mesquita que tem uma panela de linguiça de porco em frente a ela, imediatamente há prisão e prisão para a pessoa que fez isso … desculpas de toda a França, a estigmatização do racismo e assim por diante, é um duplo padrão absolutamente insuportável!”

      Prossegue a notícia: “Houve 1062 atos anticristãos em 2018 na França, em comparação com apenas 100 atos antimuçulmanos. Ao longo de 2018, não menos de 875 igrejas na França foram alvo (de ataques)”.

* * *

    Comentava o Prof. Plinio Corrêa de Oliveira (1938), sobre a “triste decadência espiritual dos descendentes dos cruzados” face à cegueira da Europa ante o ressurgimento muçulmano:   “antepassados dos alemães, franceses, ingleses e italianos de hoje, isto é, os cruzados, combateram para tirar os Lugares Santos das mãos dos incréus. Os chefes de Estado dos países cristãos hodiernos combatem para saber, dentre os incréus, quais os que devem ter a posse destes lugares. Triste e vergonhoso sinal dos tempos”. Infelizmente, temos que acrescentar a indiferença de grande parte dos católicos, o silêncio das autoridades eclesiásticas, do Vaticano. Auguramos que Notre Dame em chamas sirva para acordar tantos espíritos adormecidos pela civilização neo-pagã de nossos dias.

Legionário, n° 325, 4 de dezembro de 1938, 1ª. página

1 COMENTÁRIO

Deixe um comentário!