11 DE FEVEREIRO

1531: – Na Inglaterra o rei Henrique VIII proclama-se “cabeça da Igreja”. Ele arrogou-se esse título – que foi reconhecido pelo episcopado inglês –, por não ter o Papa anulado seu legítimo casamento com Catarina de Aragão.

1858: – Em Lurdes, ocorre a primeira aparição da Virgem a Santa Bernardete Soubirous.

1906: – O papa São Pio X publica a encíclica Vehementer Nos, dirigida ao clero e ao povo francês, na qual denuncia com veemência a lei francesa de separação da Igreja e do Estado, e a unilateral anulação da Concordata de 1801 entre Napoleão e Pio VII. “Vehementer nos”, significa “Somos plenos de dolorosa inquietude…”, tirada das duas primeiras palavras em latim que iniciam o documento.

Leia: A arte moderna vista em alguns de seus piores aspectos, “Catolicismo” Nº 136 – Abril de 1962

1917: – Falece Oswaldo Cruz, médico e sanitarista brasileiro, figura das mais importantes da saúde pública no país.

1922: – Começa no Brasil a Semana de Arte Moderna, marco inaugural do modernismo em nossa pátria.

1929: – Assinatura dos Pactos de Latrão entre a Santa Sé e o governo italiano, pelos quais se criava a Cidade do Vaticano. A Igreja fica privada de seus seculares Estados Pontifícios.

1945: – Término da Conferência de Yalta no fim da II Guerra Mundial, na qual Roosevelt, Churchill e Stalin concordaram na divisão de poder no mundo.

1976: – O Comitê permanente do episcopado chileno, alinhando-se com a esquerda, condena o livro “A Igreja do silêncio no Chile” e aos seus autores.

1989: – Nos Estados Unidos, Barbara Clementine Harris, “sacerdotiza” da igreja episcopaliana (reunião dos anglicanos com a Igreja Episcopal americana) se converte na primeira mulher a se tornar “bispa”.

1991: – A Islândia torna-se o único país a aceitar a independência da Lituânia. Nesse mesmo dia, em São Paulo, a TFP organiza uma passeata contra o massacre de populares pelo Exército Vermelho na capital daquele país.

2013: – O papa Bento XVI anuncia que renunciará às suas funções no dia 28 do mesmo mês, por razões de saúde. Espalha-se pelo mundo uma impressionante foto de um raio sobre a cúpula da basílica de São Pedro.

1 COMENTÁRIO

  1. Louvado seja DEUS! A Semana de Arte Moderna foi e ainda é a pedra angular da REVOLUÇÃO CULTURAL no Brasil. As linguagens, todas as linguagens foram tensionadas ao extremo; principalmente com a obra literária de Oswald de Andrade, esse Gênio da Linguagem. Para alguns historiadores da Literatura, Lima Barreto foi o precursor; Pré-Modernista. Mário de Andrade, Menotti del Pichia, Graça Aranha, Vila Lobos, tantos, tantos outros Artistas e tantas Artistas a que tanto devemos. Tarsila do Amaral voltou para o Brasil depois da semana, mas foi decisiva para aquela transformação radical nas ARTES. Agora, se não fosse OS SERTÕES de Euclides da Cunha ter-se-ia chegado a tanto? Mas, há uma personalidade a que devemos reputar reiterada gratidão pelo êxito da Semana, nos bastidores: Dona Olívia Guedes Penteado. A Memória dessa personalidade ímpar ainda hoje enobrece o Brasil Artístico. Pena que o analfabetismo que ainda assola e tripudia a população brasileira ofusque tanto as PERSONALIDADES quanto as ARTES que elevaram esforços hercúleos para libertar o Brasil das trevas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here