14 DE JULHO

1789: – Tomada da Bastilha em Paris, que supôs o fim do Antigo Regime e o começo da Revolução Francesa. O populacho, impulsionado por revolucionários, ocupa essa prisão, libertando 7 prisioneiros. Isso é tido como o início da queda da monarquia francesa.

1790: – Festa da Federação em Paris, durante a Revolução Francesa. O bispo apóstata Talleyrand, assistido por 300 sacerdotes, celebra a Missa. Luís XVI jura a Constituição revolucionária, e La Fayette, que comanda a Guarda Nacional, presta seu juramento “à Nação, à Lei…”, e por último, “… ao Rei”.

1795: – “A Marselhesa”, marcha revolucionária de Claude-Joseph Rouget de L’Isle, passa a ser o hino nacional da França durante a Revolução.

1899: – O espanhol Luiz Galvez declara a independência da “República do Acre” em relação à Bolívia. Essa “República” (ou “Estado Independente do Acre”) teve breve duração, e situava-se no território ocupado pelo atual Estado brasileiro do Acre. No vai-e-vem, ele foi proclamado mais duas vezes até que, por fim, com o Tratado de Petrópolis, em 17 de novembro de 1903, foi legitimada sua posse pelo Brasil.

1889: – No centenário da queda da Bastilha, é fundada em Paris a Internacional anarquista.

1933: – Na Alemanha, todos os partidos são dissolvidos, com exceção do Nazista, que se converte oficialmente no único partido legal.

Corpos são vistos no chão após caminhão dirigido por muçulmano avançar contra a multidão em Nice (Foto: Eric Gaillard / Reuters)

1961: – Publicação da encíclica de João XXIII Mater  et Magistra, sobre a “evolução social à luz da doutrina cristã”.

1979: – O Vaticano e a Grécia restabelecem relações para favorecer a aproximação entre a Igreja Católica e a Igreja Ortodoxa cismática grega.

1997: – Milhões de pessoas se manifestam em toda a Espanha na maior mobilização popular da história do país, contra a violência do grupo terrorista ETA, que assassinou o conselheiro do Partido Popular, Miguel Anjo Blanco.

2016: – Em Nice, na França, um terrorista muçulmano ao volante de um caminhão, vai contra uma multidão de pessoas que estava celebrando o 14 de julho, matando 84 e ferindo de modo crítico outras 50.

Deixe uma resposta