23 DE AGOSTO

Falso dilema: comunismo ou nazismo. O pacto Ribbentrop-Molotov deitou abaixo a ilusória inimizade entre as duas ideologias. A satisfação do tirânico Stalin argumenta em favor da unidade de princípios.

 

1793: – Depois do assassinato de Luís XVI pela Revolução, toda a Europa se coligou contra a França. Para fazer face a isso, a Convenção Nacional decretou uma “levée en masse” de 300 mil homens entre celibatários ou viúvos de 25 a 35 anos de idade.

1939: – No início da II Guerra Mundial, assinatura do acordo cúmplice germano-soviético de não agressão entre a Alemanha de Hitler e a URSS, de Stalin, no chamado Pacto Ribbentrop-Molotov, o que mostra a afinidade dos regimes dos dois países. Plinio Corrêa de Oliveira através do jornal católico “O Legionário” que dirigia denunciou com espetacular antecipação esse conluio (Leia aqui, pag. 22).

1979: – Promulgação da Lei da Anistia no governo do presidente João Baptista Figueiredo para reverter punições aos que, entre 1961 e 1979, foram considerados criminosos políticos pelo regime militar. A medida favoreceu cerca de 5 mil pessoas.

1982: – O líder da milícia católica Bashir Gemayel é eleito pelo Parlamento presidente do Líbano.

1989: – Dois milhões de letões, estonianos e lituanos formam uma cadeia humana de 600 quilômetros para exigir a independência de suas três repúblicas do jugo comunista.

1991: – O presidente da Federação Russa, Yeltsin, assina o decreto de dissolução do Partido Comunista Soviético e a posse de seus bens.

2002:- No governo de Lula, o Brasil torna-se o 81° país a ratificar o Protocolo de Kyoto, que teve como objetivo levar os países firmantes a reduzirem a emissão de gases “causadores do efeito estufa” por causa do mito do“aquecimento global”.

Deixe uma resposta