28 de maio

722: – Tem lugar nas Asturias a Batalha de Covadonga entre as tropas muçulmanas e as do levantamento ostrogodo, iniciado em 718 por Pelayo. É considerada o nascimento do Reino das Asturias, e a primeira derrota significativa do Islã na Europa.

1486: – Conquista de Loja, em Granada, aos árabes, por Fernando o Católico, ação na qual se distinguiu Fernandez de Córdoba, o “Gran Capitán”.

1741: – Pacto de Nymphenburg entre Felipe V da Espanha e o príncipe eleito da Baviera, Carlos, a fim de assegurar para a coroa imperial da Alemanha uma parte da Áustria, e à Espanha, suas possessões na Itália.

1871: – Acaba num mar de sangue após uma “semana sangrenta” de incêndios, fuzilamentos e chacinas a Comuna de Paris, que governou a cidade desde 18 de março, com um projeto político popular autogestionário de inspiração comunista. Segundo consta, cerca de 30 mil parisienses foram fuzilados pelos exércitos prussiano e francês.

1917: – O Parlamento britânico aprova o sufrágio feminino no Reino Unido, se bem que ainda limitado às maiores de 30 anos que sejam cabeças de família.

1937: – É fundada na Alemanha a fábrica de automóveis Vokswagen.

1961: – Em Londres o periódico The Observer publica o artigo de Peter Benenson, “The forgottem prisoners” (“os presos esquecidos), que lança uma campanha em pról da anistia. O que deu origem à Anistia Internacional.

Mathias Rust e seu Cessna em plena Praça Vermelha põe por terra o mito do poderio soviético.

1987: – Em plena Praça Vermelha, em Moucou, o jovem alemão Mathias Rust aterrissa seu avião Cessna, pondo em evidência o relaxamento da segurança soviética.

1998: – O Paquistão realiza cinco ensaios nucleares como resposta aos efetuados pela Índia. A ação provoca alarme mundial, e os Estados Unidos anunciam sanções econômicas.

2006: – O presidente da Colômbia Alvaro Uribe é reeleito no 1 turno para o segundo mandato.

2008: – No Nepal, a Assembléia Constituinte abole a monarquia de 240 anos, e instaura a República Democrática Federal do Nepal.

2011: – O ex-presidente do Egito Hosni Mubarak é condenado a pagar uma indenização de aproximadamente 33.5 milhões de dólares, por ordenar o corte dos serviços de telefonia móvel e Internet durante os protestos de janeiro e fevereiro, que forçaram sua renúncia.

Deixe um comentário!