29 DE MAIO

A derrota de Constantinopla já se havia produzido muito tempo antes do assalto final do islã. A História é pródiga em provas de que quando um povo se afasta do caminho da prática das virtudes a derrota é consequência.

1453: – A cidade de Constantinopla é tomada pelos turcos chefiados por Maomé II, pondo dessa forma fim ao Império Bizantino. Com o nome de Istambul, ela é agora a capital da província do mesmo nome, na Turquia.

1791: – Durante a Revolução Francesa, pela primeira vez se usa o lema “Liberdade, Igualdade e Fraternidade”, na Sociedade de Amigos dos Direitos Humanos, reunida para debater se cada soldado devia levar no peito uma placa com essas palavras.

1942: – A Real Força Aérea britânica lança seu primeiro e brutal bombardeio, com 1046 aviões e 1455 toneladas de bombas, sobre Colônia, destruindo 243 hectares de casas, matando 486 civis, e deixando desabrigadas 59 mil pessoas.

1961: – Pela primeira vez depois da II Guerra, a Republica Federal da Alemanha é autorizada pelos aliados, a construir navios de guerra.

1986: – A nova bandeira da Comunidade Europeia, um círculo de 12 estrelas sobre fundo azul, é içada em frente à sede da Comissão, em Bruxelas.

– Nas vésperas das eleições parlamentares e do plebiscito a respeito da Constituição vigente e de certas reformas propostas pelo Governo, a TFP se pronuncia, numa ótica extrapartidária, em defesa dos princípios da civilização cristã, lançando o manifesto “A TFP à Nação. Para além do plebiscito sobre a reforma constitucional, uma garantia para todos que deve ser reconquistada: a independência do Poder Judiciário” (Cfr. “El Universo”, Guayaquil, 29-5-86). Nele, a entidade faz ver o grave prejuízo para o regime jurídico equatoriano decorrente da nomeação, por parte do Congresso Nacional, e segundo critérios partidários, de organismos do Poder Judiciário.

1990: – É publicado, no Washington Times, o manifesto da TFP americana: “Santo Padre, dizei uma palavra e a Lituânia será salva!”.

2005: – Os franceses rejeitam em referendo o Tratado Constitucional Europeu, com 54,87 por cento dos votos.

Deixe uma resposta