Família de 11 filhos suscita admiração, simpatia e espanto nos EUA

Famillia de Larry Kilmer 02A família de Larry e Jen Kilmer com seus onze filhos atraiu uma onda de simpatia quando o esquerdizante diário “The Washington Post” lhe consagrou uma página entre incrédulo, escandalizado e estupefato.

Quando o censo diz que há menos de uma criança por lar nos EUA, a família Kilmer parece uma anomalia inimaginável e ingovernável.

Larry, o pai, é professor e Jen, a mãe, é dona de casa. Porém, a despeito de anos de ingentes tarefas para manter os filhos, eles ostentam grande alegria.

“Ri-se muito em casa”, diz Jen, e os jogos começam em instantes. “Poucas famílias podem dizer o mesmo”, acrescenta.

O lar dos Kilmer não é rico, mas bem arrumado, as camas sempre feitas, as roupas nos armários e as crianças ajudando nas tarefas caseiras.

“As pessoas sempre perguntam: ‘como é que você arranja tempo para você mesma?’ – Mas, quando você se dá conta de que há algo na vida que vale mais do que ‘viver para você mesma’ […] você acredita que esse ‘tempo para si próprio’ está exageradamente supervalorizado”.

Larry e Jen se conheceram em 1994, quando trabalhavam num colégio católico. Jen sempre desejou ter muitos filhos e Larry não tinha idéias preconcebidas. Os dois concordaram em aceitar os filhos que Deus quissesse enviar.

Santuário do Rosário de Judas Tadeu
(São Domingos), Washington DC

O dia de Jen começa às 5 da manhã. Às 6:30 ela assiste à Missa no santuário católico de São Judas Tadeu, Washington DC, e em seguida Larry leva os filhos mais velhos para a escola.

Os menores ficam em casa ajudando Jen na limpeza da casa, fazendo os leitos, pondo a roupa para lavar.

As crianças estão de volta às 15:00 h, tomam um lanche e começam as tarefas escolares.

A família janta reunida à mesma mesa. E a preparação para dormir começa pelas 19:30, com as crianças tomando banho.

Por volta das 21:00 h todas as crianças estão dormindo. É o primeiro momento de repouso de Jen no dia, após a Missa assistida 14 horas antes.

“Eu aprendi a trabalhar duro, diz ela. Deus estava me preparando”.

As dificuldades econômicas não são pequenas e o ordenado de Larry é mediano. As crianças vão a uma escola católica e a família chega com o justo ao fim do mês.

Porém, o exemplo do casal comove os vizinhos. “Achamos malas com roupa na nossa porta e nem mesmo sabemos de onde vieram”, diz Jen. Jarry acrescenta que eles ganham também móveis, alimentos, brinquedos que nunca pediram.

“Cada ano isso acontece mais e mais”, diz ele. “E a generosidade deles nos leva a sermos generosos com os outros”. Os Kilmers com frequência dão roupas a outras famílias. É uma lição maravilhosa para as crianças, explicam eles.

Uma vez, quando quase toda a família ficou doente, a notícia se espalhou no bairro e, em poucas horas, parentes, amigos, vizinhos e colegas apareceram na porta para cozinhar, limpar e vigiar as crianças.

“Você tem sempre alguém com quem brincar”, diz Michelle, 10, sobre os benefícios de ter muitos irmãozinhos. “Voce nunca está chateada”, explica Cristina, 12. “Quando você tem irmãos da mesma idade, você aprende a fazer amigos”.

Quando cresce o coro dos apelos “mãe!”, Jen permanece calma e carinhosa. É evidente, comenta o jornal laicista, que sua paz de alma vem da fé católica.

“De alguma maneira, Deus sempre providencia”, diz ela frequentemente, “por vias que você nem imagina”. Essa fé inspira também as crianças.

Provavelmente não vão nascer mais crianças por causa da idade do casal. “Mas nós gostaríamos. Aceitaremos todos os que vierem”, diz ela.

O “The Washington Post”, tribuna habitual da revolução antifamiliar, encerrou atônito a reportagem diante de tão bom exemplo de família.

É que de fato o lar bem constituído, quando voltado para a Igreja Católica e Deus Nosso Senhor, tem qualquer coisa de inexprimível e atrai as bênçãos e os auxílios divinos. E isso não tem preço.

 

10 COMENTÁRIOS

  1. Maravilhoso testemunho !!! Reitero aqui a finalização do IPCO : “É que de fato o lar bem constituído, quando voltado para a Igreja Católica e Deus Nosso Senhor, tem qualquer coisa de inexprimível e atrai as bênçãos e os auxílios divinos. E isso não tem preço.”

    Aqui no Brasil essa família seria desfacelada, HÁ REALMENTE UMA PERSEGUIÇÃO IMPLACÁVEL, EMBORA VELADA, CONTRA A FAMÍLIA !!!

     
  2. Nesse mundo em que vivemos , eu vejo isto como algo sobrenatural e da para ver que realmente Deus está providenciando tudo o que eles necessitam.Familia abençoada que graças a Deus não vivem aqui no Brasil.

     
  3. Fala sério!! é isso mesmo… as vezes vimos que o estatuto não é tão certo como deveria, os pais não sabem, ou não conseguem, usar seus direitos de pais. os professores, coitado deles…agora,tem gente que sabe e usa, muito bem os direitos a eles concedidos através do estatuto,acho que nem preciso dizer quem!!Sim, são eles, as crianças e os adolescentes,estes deixam-nos de boca aberta quanto ao que entendem, de seus direitos.Que saudade do tempo em que família era sagrada,e não precisava de nenhum documento pra sabermos disso,a não ser a palavra de DEUS!!!!Vendo esta família ,lembrei-me da minha,sou a nona filha de uma família de doze,que foram criados dez.

     
  4. É inacreditável, mas, aqui no Brasil os pais e sobretudo a mãe encontraria muita dificuldade para criar estas crianças todas porque o ECA (Estatudo da Criança e do Adolescente) impediria. Pelo relato as crianças ajudam nos afazeres da casa isso seria considerado pelo ECA “trabalho infantil” e todas as crianças seriam recolhidos para a guarda do estado “protetor” contra a opressão dos pais.

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome