Talvez o leitor ainda não tenha visto, pois saiu um tanto discreto na mídia, a notícia de que a França rejeitou por 293 votos contra 222 o projeto de lei – de iniciativa do Partido Socialista – que aprovaria o “casamento” homossexual.

Como assinala o jornal O Estado de São Paulo no dia 14 de junho de 2011, isso mostra como “os valores tradicionais” ainda “vigoram em muitas partes da França”.

O Estado ainda informa que o principal tribunal francês decidiu que as leis que impedem o “casamento” homossexual não violam a Constituição e que qualquer mudança a esta medida cabe ao parlamento.

O estranho é que uma notícia como essa deveria estar estampada em todas as manchetes. Mas o próprio Estado que a publicou o fez com certo descontentamento. Se fosse o contrário, nós veríamos a notícia nas primeiras páginas de todo o mundo.

Agradeçamos a Nossa Senhora de Paris esta vitória e peçamos que ela continue protegendo aquele país contra as investidas da Revolução Cultural anti-católica que tanto contrasta com o passado glorioso da Filha Primogênita da Igreja.

 

15 COMENTÁRIOS

  1. A França fez o certo,….porque regular o irregular,……?????que cada um viva sua vida ,isso é respeito e liberdade, agora não precisa enfiar goela abaixo de quem não concorda em [pederastia]. Que a gente tenha que concordar com o que achamos uma anomalia, possível de acontecer com o ser humano, mas que não conta com a minha adesão,…..ajuda eu ofereço, com todo o respeito e compaixão, mas não concordo, OK!!
    Para começar a se respeitar vamos parar com esta ostensividade, será que tem que mostrar pra todo mundo que é [homossexual] ou lésbica, será que não dá para ser discreto e educado,…..pelo amor de DEUS…..!!!!

     
  2. “Conhecereis a Verdade e a Verdade vos libertará” “Se o CRISTO vos libertar, vós sereis verdadeiramente livres” – JESUS CRISTO.

    Portanto, já que a repressão é oposta à liberdade, os reais reprimidos são os contrários aos princípios Cristãos.

    Viva a França!

    @Michel Leblanc

     
  3. Estou com a França. Que o Brasil crie vergonha na cara e siga o exemplo da França colocando um ponto final nessa pouca vergonha que está aí.

    Nós, brasileiros queremos ser respeitados!!!!!!!!!!!!
    Fiiiiiiiiim nessa baderna, pouca vergonha, sacanágem, desrrespeito, falta de pudor e afronto a Deus e a família humana. Nunca se viu união de dois animais do mesmo sexo. Porque isso tem que ser normal entre humanos?

     
  4. Essa probição veio em boa hora!!!!!!!!!

    Não se pode adimitir esse ipo de atitude, ainda bem que existem lugares(paises) em que a fé e a preservação da família ainda são bem fortes, DIFERENTE DO QUE ESTÃO FAZENDO AQUI NO NOSSO PAIS.

     
  5. A frança disse não ao casamento homossexual, por saber que isso não se trata de familía, mas de qualquer outra coisa, e o tribunal deste país respeitou e entedeu que essa decisão cabe ao parlamento(lá parlamento, aqui congresso nacional ou câmara dos deputados) aqui infelizmente não viram isso,os nossos magistrados do STF não tiveram essa atitude.

     
  6. O legislativo procura não colidir com a opinião dominante (nem sempre), mas quando há eleições próximas eles ficam muito sensíveis às opiniões da maioria. Dona Dilma sabe disso e por isso até “aprendeu” a fazer o sinal da cruz (ao contrário) nas vésperas do segundo turno das eleições presidenciais que a elegeu.

     
  7. As vezes penso que o problema não são os homossexuais, mas os que aprovam a conduta deles. Estes se posicionam entre a minoria e a maioria utilizando os homoafetivos como ariete com finalidade de destruir os valores éticos e morais, as familias e as instituições seculares. E o fazem, não com neutralidade, mas com tendencias declaradas, mesmo contra outros principios legais e a Constituição Federal, como vimos acontecer. Tanto os poderosos quanto os curiosos que comparecem as manifestações por curiosidade engrossando as estatíticas que a midia divulga. A meu ver o Supremo deixou de ser supremo, uma vez que ele próprio deveria zelar pelos valores que o contituiram desde que foi constituido. O que mudou não foi o Supremo, mas seus juizes que perderam o juizo.

     
  8. Amados, a França precisa urgentemente contar os seus homofóbicos, para não perder do Brasil. Na verdade essa decisão é uma proteção para o resto das familias francesas dos tempos dos miseráveis, do corcunda de Notre Dame de Paris. Como aqui no Brasil não tem tradição e o a novidade, se enquadra bem não na miseria mas na DEPRAVAÇÃO, então vamos esperar pela nova Sodoma, onde vamos encontra muitos justos e muitos Abraãos decepcionados, com a população de gays e lésbicas. HALLELUJAH.

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome