“Nós perdemos tudo!”, exclamou emocionado o casal que foi obrigado a pagar uma indenização de quase 135 mil dólares – valor equivalente a 418 mil reais – por se recusar a fazer um bolo para um “casamento” de um casal de lésbicas. O fato aconteceu em Oregon, EUA. [i]

O casal Aaron e Melissa Klein (foto ao lado), proprietários da confeitaria “Sweet Cakes by Melissa” reclamam que o “Oregon Bureau of Labor and Industries” – agência estatal responsável por reivindicações de discriminação – violou suas liberdades religiosa e de expressão ao forçá-los a pagar a exorbitante indenização para o casal homossexual.

Os Kleins recorreram da decisão da Corte de Oregon há mais de um ano. Mas até a sentença definitiva, o valor ficará depositado em uma conta especial. O casal foi obrigado a fechar a confeitaria porque ficaram sem recursos para continuar o negócio.

Quando abrimos a nossa padaria, nós gostávamos de servir todos os clientes que entravam na loja, independentemente de sua identidade ou crenças. Meus bolos eram minha tela“, disse a Sra. Klein. “Minha padaria não era apenas chamado ‘Sweet Cakes Bakery’, era ‘Sweet Cakes by Melissa’ porque eu derramo a minha paixão e coração em cada bolo que faço. Minha fé é parte disso.

A Sra. Klein observa que simplesmente não queria ser obrigada a participar do “casamento” de lésbicas porque isso contraria os seus princípios religiosos. Disse ainda que continuará defendendo a sua fé e que a América deveria proteger as liberdades religiosas dos indivíduos: “Eu tenho uma fé forte em Deus, a Quem eu amo de todo o meu coração. A minha vida é dedicada a viver para Ele, da melhor maneira que eu sei. A América é um lugar onde o governo não pode forçar as pessoas a violar suas crenças religiosas ou dizer-lhes o que acreditar, mas sentimos que isso é exatamente o que aconteceu conosco. Perdemos tudo o que amamos e trabalhamos tão duro para construir!”

O procurador-geral adjunto de Oregon, Carson Whitehead, alegou que os Kleins agiram com discriminação  ao se recusarem a fazer o bolo de “casamento” do casal de lésbicas, e considerou aquela atitude “extremamente prejudicial“.

Se evitarmos que isso aconteça a outro casal [homossexual], isso vale a pena“, disse Laurel Bowman-Cryer, uma das lésbicas. “Eu não quero um futuro onde nós tenhamos sinais na janela que diz você é ‘gay’, você não é permitido.”

O escritório de advocacia que representa os Kleins, First Liberty Institute, argumentou que o governo “nunca deveria forçar alguém a violar sua consciência ou suas crenças”.

Tolera-se quase tudo hoje em dia. Só não se tolera que se pratiquem os dez mandamentos da Lei de Deus na sua totalidade. É a intolerância dos tolerantes. O caso dos Kleins, com tal violência – ou virulência -, tem o objetivo de passar a seguinte mensagem: “não se atrevam a se oporem contra o poderoso lobby da ideologia de gênero, pois serão esmagados!”.

Estamos numa luta semelhante à de David contra Golias. Tal fato bíblico, porém, nos ensinou que na batalha contra o mal, vencem os mais intransigentes, os que têm fé!

________________________

Referência:

[i] http://www.faithwire.com/2017/03/03/we-lost-everything-christian-bakers-emotional-appeal-after-govt-forces-her-to-pay-135000-for-refusing-gay-wedding-cake/

 

 

3 COMENTÁRIOS

  1. Quase inacreditável que uma familia, desenvolvendo um trabalho honesto e útil ao Pais, seja objeto de uma intolerância destas. E, receba uma punição que os levou à falência.
    Porque? Por causa da intolerância da agenda homossexual.
    Se precisamos de provas desta intolerância (ou ditadura) aí temos um exemplo.
    CostaMarques

     
  2. Aposto o que for que se o casal dono da confeitaria fosse islâmico, poderiam até ter agredido fisicamente a dupla (casal é formado por homem e mulher) que nada aconteceria, e quem criticasse seria rotulado como “islamofóbico”. Está mais do que clara a perseguição e a intolerância contra o cristianismo. Se há liberdade para ser homossexual, também há para formar sua próprias convicções e valores. Se a dupla de lésbicas teve o pedido recusado, que fossem procurar outra confeitaria, simples assim. Tal postura só recrudesce ainda mais os ânimos entre héteros e gays, exatamente como quer o lobby homossexual.

     
  3. O melhor combate contra todo ativismo intolerante é ser forte na personalidade ou na convicção, ambos, melhor ainda. Pois todo militante de tais ativismos que se baseiam em mentira e demagogia, recuam entrando em contradição, até mesmo diante dos tribunais quando sofrem embate psicológico e são chamados o que realmente são.

    Não sei como é a personalidade e agir desse casal, mas garanto por experiência própria contra marxistas dos direitos humanos, que tais ativistas se apavoram quando encontra alguém mais corajoso e valente do que eles.

    Como as Sagradas Escrituras nos ensina:

    Pedro e os apóstolos replicaram: Importa obedecer antes a Deus do que aos homens. (Atos,5, 29)

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome