Boeing 777 da Malaysia Airlines: raio que mata, mas esclarece!

4
O Boeing 777, da Malaysia Airlines, derrubado por um míssil terra-ar da Rússia. Certamente atingido por um AS-11, míssil russo conhecido com Buk, que pode alvejar aviões a 22 mil metros de altitude.
O Boeing 777, da Malaysia Airlines, derrubado por um míssil terra-ar da Rússia. Certamente atingido por um AS-11, míssil russo conhecido com Buk, que pode alvejar aviões a 22 mil metros de altitude.

derrubada do Boeing 777 da Malaysia Airlines por um míssil russo, no dia 17 último, traz à memoria uma inevitável recordação de setembro de 1983: a trágica derrubada do jumbo sul-coreano da Korean Air Lines atingido por um caça soviético, matando 269 passageiros. Naquela ocasião a Sociedade Norte-Americana de Defesa da Tradição Família e Propriedade (TFP) lançou um manifesto com o título “Jumbo sul-coreano: raio que mata, mas esclarece!”. Sua tradução foi publicada na revista Catolicismo, Nº 393, Setembro/1983.

 

Destroços do boeing da Malaysia Airlines misturados com corpos de passageiros
Destroços do boeing da Malaysia Airlines misturados com corpos de passageiros.

Nos presentes dias, tal manifesto, mutatis mutandis, aplica-se ao atual crime cometido contra o avião malaio numa região ucraniana, controlada de certo modo por milicianos separatistas pró-Russia, fortemente armados por esse país — ato covarde que matou 298 civis, entre os quais 60 crianças!

Atualmente a mídia tem publicado notícias que revelam o plano da Rússia de expandir sua influência, e mesmo seu domínio, sobre nações sul-americanas, inclusive o Brasil, onde isso já se faz notar. Memento 1: a recente visita de Vladimir Putin a nosso País… Memento 2: a pobre Crimeia que já sente o peso da dominação russa.

Que, ao menos, sirva-nos de lição a derrubada criminosa do Boeing 777 da Malásia e que o Ocidente não capitule frente às investidas da Rússia e saiba reagir enquanto é tempo. Para servir de alerta nesse sentido, transcrevo abaixo alguns trechos do aludido manifesto da TFP norte-americana, que distribuiu só em Nova York 120 mil cópias desse documento intitulado “Jumbo sul-coreano: raio que mata, mas esclarece”.

Foto do presidente russo Vladimir Putin, durante uma entrevista a jornalistas em Brasília, em 16 de julho
Foto do presidente russo Vladimir Putin, durante uma entrevista a jornalistas em Brasília, em 16 de julho.

“O crime perpetrado [em 2 de setembro 1983] por um avião de caça soviético contra o jumbo sul-coreano produziu no povo norte-americano o efeito de um raio noturno: matou infelizmente a vários, mas — precisamente como fazem tais raios — iluminou com uma claridade terrível um panorama então coberto de densas trevas.

“Densas trevas, sim, que há anos vêm toldando progressivamente os horizontes de nossa política externa, com óbvios reflexos sobre nossa política interna. E com prejuízo inestimável para toda a Nação.

Três das crianças mortas no vôo MH17, de 17 de julho, da Malaysia Airlines
Três das crianças mortas no vôo MH17, de 17 de julho, da Malaysia Airlines

Coreia-do-Sul-Seul-227x300“Convém que a realidade assim posta em evidência com o fulgor irresistível, mas tão transitório, de um raio, não seja esquecida pela nossa opinião pública. Lembrem-se sempre da tragédia. […] O fato tragicamente noticiado pelos meios de comunicação social contém para nós uma lição esclarecedora, a indicar por muitos anos o rumo de nossas cogitações e de nossas atitudes políticas. […]

“O crime, como um raio mortífero, mas esclarecedor, nos faz ver o que há de falacioso no mito da ‘psicodulcificação’ dos soviéticos. Ficou claro que os homens que tenham preferido ficar vermelhos a morrer, cairão nas mãos dos verdugos opressores do Vietnã, dos artífices no Cambodge”.

 

4 COMENTÁRIOS

  1. Euclides,

    Prezado Euclides, vamos além de seu comentário: “a burguesia adormecida entregou aos bolchevistas russos, a corda com a qual serão enforcados”. De fato, Vladimir Lênin — xará do atual presidente russo… — disse que “os capitalistas nos vão vender a corda com a qual os enforcaremos”. Entretanto, Plinio Corrêa de Oliveira afirmou que “em um ponto, apenas, Lênin se enganou. Os seus sucessores não têm necessidade de comprar essa corda. Os capitalistas lhes estão dando. Estão lhes pagando dinheiro, e muito dinheiro, para que a aceitem…”
    Nos presentes dias, estamos assistindo exatamente essa relação espúria dos capitalistas iludidos com o neo-comunismo com o xará de Lênin…

     
  2. E a mídia que tanto atacava Putin por proibir a revolução homossexual na Russia – que ele quer manter forte, agora defende Putin de todas as maneiras querendo que se paire uma duvida de quem realmente derrubou o avião.

    Neste dia Putin estava ao lado da Dilma no Brasil naqueles Brics, cujos planos são tranformar o Brasil em escravo dos paises comunistas da Russia, Cuba e Venezuela.

     
  3. Acho que ainda não foi emitido um laudo técnico. Essas informações foram fornecidas por um dos lados. A UCRÂNIA já derrubou um avião de passageiros que ia de Israel para Rússia, por engano. Demorou meses para assumir a responsabilidade.
    Perguntas:
    1- Porque não se fechou o espaço aéreo da região de guerra inclusive com derrubadas de aviões militares?
    2- A Companhia aérea manteve a rota sobre área de guerra para economizar combustível?
    3- A quem interessava a queda de um avião comercial?
    4- Porque os EUA já tinha proibido o sobrevoos de aviões americanos sobre essa área de guerra?
    5- Quem planejou isso tudo?

     
  4. Inacreditável como ninguém lembra do artigo ‘ A burguesia deverá ser adormecida ” do Sr. Doutor Plínio , na FSP, em fins da década de 1970.
    Hoje a Europa Ocidental está de mãos atadas.Corre o risco de se ver sem energia no próximo inverno, caso intente retaliar a ação imperialista russa. Basta a eles fechar a torneira do gasoduto.
    Em suma, a burguesia adormecida entregou aos bolchevistas russos, a corda com a qual serão enforcados…..

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome