Excelsa Rainha e Padroeira do Brasil

Nossa-Senhora-Aparecida-1024x647

Na atual quadra que o País atravessa, cercado de problemas de toda ordem, mais do que nunca necessitamos da proteção de nossa Rainha e Padroeira, cuja festa é celebrada no dia 12 deste mês. Especialmente nesta data, peçamos-lhe o auxílio e as graças que tanto precisamos.

Aparecida nas águas do Rio Paraíba em outubro de 1717, Nossa Senhora foi proclamada Rainha e Padroeira do Brasil em 31 de maio de 1931. No ano anterior, no dia 16 de julho, já havia recebido do Papa Pio XI esses gloriosos títulos.

A solene proclamação transcorreu-se na Esplanada do Castelo, no Rio de Janeiro — então a capital Federal — depois de apoteótica procissão com a imagem, que contou com a participação de todos os bispos brasileiros, do Chefe de Estado, ministros, autoridades civis e militares, além de mais de um milhão de fiéis.

Decorridos quase três séculos do aparecimento da milagrosa imagem, à cidade de Aparecida confluem devotos de norte a sul do País para venerá-la, rogar suas bênçãos e graças, ou em agradecimento pelos favores recebidos.

Para recordar a festividade de nossa Padroeira, transcrevo abaixo trecho extraído de um cartão de Natal redigido em dezembro de 1991 por Plinio Corrêa de Oliveira — membro titular da Academia Marial de Aparecida, ele nutria especialíssima devoção à Rainha do Brasil e inúmeras vezes viajou até àquela cidade para venerar a Santíssima Virgem.

“É com os olhos postos em Nossa Senhora Aparecida que transpomos os umbrais desse ano sem nos deixarmos flectir pelas ameaças que o futuro parece trazer consigo, e ao mesmo tempo sem nos deixarmos seduzir pelas perspectivas não raramente ilusórias, que ainda se apresentam por vezes ao homem contemporâneo.

O Brasil terá um esplêndido porvir, se ele seguir o caminho de Nossa Senhora. E é esse provir, carregado de bênçãos, de virtude e de grandeza cristã, que imploro a Nossa Senhora Aparecida para nossa Pátria”.

 

25 COMENTÁRIOS

  1. Paulo Roberto Campos,

    Nilo (e demais), ao sair, mais cedo, dessa nossa longa conversa, tive a curiosidade de fazer algo que há anos não faço – ler as 95 teses de Lutero na Wikipedia esta manhã – graças a nossa conversa – e percebo que vocês têm razão. Os evangélicos deveriam valorizá-lo mais! Por isso voltei para compartilhar o seguinte:

    Não concordo plenamente com tudo o que está aí, mas selecionei algumas teses que mostram o que Lutero tentou fazer – defender o Papa e a igreja. Na época, aparentemente algumas pessoas questionavam práticas relacionadas à venda de indulgências (teses 81 e 90), e é em torno dessa venda e do lucro exacerbado que Lutero redigiu suas teses, para defender a Igreja, e ao mesmo tempo forçá-la a se posicionar.

    Fica óbvio que ele não havia se revoltado contra a igreja, mas sim que desejava exortá-la, lembrá-la das boas obras e da caridade acima das indulgências.

    Ele ia muito bem onde estava – era Doutor, e professor na Universidade de Wittenberg, e não saiu da igreja porque queria se casar, ou enriquecer. Ele foi excomungado contra a sua vontade (O Papa Leão X excomungou Lutero a 3 de janeiro de 1521, na bula “Decet Romanum Pontificem”)e aí sim, depois de anos, se casou (em abril de 1523, Lutero ajudou 12 freiras a escaparem do cativeiro no Convento de Nimbschen. Entre essas freiras encontrava-se Catarina von Bora, filha de nobre família, com quem veio a se casar). E quanto a ficar rico… não aconteceu. Diante da ameaça a sua própria vida (por ocasião da Dieta de Worms [uma espécie de audiência imperial], foi publicado pelo Imperador Carlos V o Edito de Worms, pelo qual qualquer pessoa, ao menos teoricamente, estaria livre para matar Lutero sem correr o risco de sofrer qualquer sanção penal), ele se escondeu e passou a escrever sermões assinando com um outro nome, o pseudônimo Jörg.

    Abaixo, algumas das 95 teses:

    42. Deve-se ensinar aos cristãos que não é pensamento do papa que a compra de indulgências possa, de alguma forma, ser comparada com as obras de misericórdia.
    43. Deve-se ensinar aos cristãos que, dando ao pobre ou emprestando ao necessitado, procedem melhor do que se comprassem indulgências.
    45. Deve-se ensinar aos cristãos que quem vê um carente e o negligencia para gastar com indulgências obtém para si não as indulgências do papa, mas a ira de Deus.
    46. Deve-se ensinar aos cristãos que, se não tiverem bens em abundância, devem conservar o que é necessário para sua casa e de forma alguma desperdiçar dinheiro com indulgência.
    47. Deve-se ensinar aos cristãos que a compra de indulgências é livre e não constitui obrigação.
    48. Deve ensinar-se aos cristãos que, ao conceder perdões, o papa tem mais desejo (assim como tem mais necessidade) de oração devota em seu favor do que do dinheiro que se está pronto a pagar.
    49. Deve-se ensinar aos cristãos que as indulgências do papa são úteis se não depositam sua confiança nelas, porém, extremamente prejudiciais se perdem o temor de Deus por causa delas.
    50. Deve-se ensinar aos cristãos que, se o papa soubesse das exações dos pregadores de indulgências, preferiria reduzir a cinzas a Basílica de S. Pedro a edificá-la com a pele, a carne e os ossos de suas ovelhas.
    51. Deve-se ensinar aos cristãos que o papa estaria disposto – como é seu dever – a dar do seu dinheiro àqueles muitos de quem alguns pregadores de indulgências extorquem ardilosamente o dinheiro, mesmo que para isto fosse necessário vender a Basílica de S. Pedro.
    52. Vã é a confiança na salvação por meio de cartas de indulgências, mesmo que o comissário ou até mesmo o próprio papa desse sua alma como garantia pelas mesmas.
    53. São inimigos de Cristo e do Papa aqueles que, por causa da pregação de indulgências, fazem calar por inteiro a palavra de Deus nas demais igrejas.
    54. Ofende-se a palavra de Deus quando, em um mesmo sermão, se dedica tanto ou mais tempo às indulgências do que a ela.
    55. A atitude do Papa necessariamente é: se as indulgências (que são o menos importante) são celebradas com um toque de sino, uma procissão e uma cerimônia, o Evangelho (que é o mais importante) deve ser anunciado com uma centena de sinos, procissões e cerimônias.
    65. Portanto, os tesouros do Evangelho são as redes com que outrora se pescavam homens possuidores de riquezas.
    66. Os tesouros das indulgências, por sua vez, são as redes com que hoje se pesca a riqueza dos homens.
    69. Os bispos e curas têm a obrigação de admitir com toda a reverência os comissários de indulgências apostólicas.
    70. Têm, porém, a obrigação ainda maior de observar com os dois olhos e atentar com ambos os ouvidos para que esses comissários não preguem os seus próprios sonhos em lugar do que lhes foi incumbidos pelo papa.
    73. Assim como o papa, com razão, fulmina aqueles que, de qualquer forma, procuram defraudar o comércio de indulgências,
    74. muito mais deseja fulminar aqueles que, a pretexto das indulgências, procuram fraudar a santa caridade e verdade.
    75. A opinião de que as indulgências papais são tão eficazes a ponto de poderem absolver um homem mesmo que tivesse violentado a mãe de Deus, caso isso fosse possível, é loucura.
    76. Afirmamos, pelo contrário, que as indulgências papais não podem anular sequer o menor dos pecados venais no que se refere à sua culpa.
    77. A afirmação de que nem mesmo São Pedro, caso fosse o papa atualmente, poderia conceder maiores graças é blasfêmia contra São Pedro e o Papa.
    79. É blasfêmia dizer que a cruz com as armas do papa, insigneamente erguida, eqüivale à cruz de Cristo.
    80. Terão que prestar contas os bispos, curas e teólogos que permitem que semelhantes sermões sejam difundidos entre o povo.
    81. Essa licenciosa pregação de indulgências faz com que não seja fácil nem para os homens doutos defender a dignidade do papa contra calúnias ou questões, sem dúvida argutas, dos leigos.
    82. Por exemplo: Por que o papa não esvazia o purgatório por causa do santíssimo amor e da extrema necessidade das almas – o que seria a mais justa de todas as causas –, se redime um número infinito de almas por causa do funestíssimo dinheiro para a construção da basílica – que é uma causa tão insignificante?
    83. Do mesmo modo: Por que se mantêm as exéquias e os aniversários dos falecidos e por que ele não restitui ou permite que se recebam de volta as doações efetuadas em favor deles, visto que já não é justo orar pelos redimidos?
    86. Do mesmo modo: Por que o papa, cuja fortuna hoje é maior do que a dos ricos mais Crassos, não constrói com seu próprio dinheiro ao menos esta uma Basílica de São Pedro, ao invés de fazê-lo com o dinheiro dos próprios fiéis?
    90. Reprimir esses argumentos muito perspicazes dos leigos somente pela força, sem refutá-los apresentando razões, significa expor a Igreja e o papa à zombaria dos inimigos e fazer os cristãos infelizes.
    91. Se, portanto, as indulgências fossem pregadas em conformidade com o espírito e a opinião do papa, todas essas objeções poderiam ser facilmente respondidas e nem mesmo teriam surgido.

    Ademais, é importante saber, também, que:
    Em 31 de outubro de 1999, foi assinada uma Declaração Conjunta Sobre a Doutrina da Justificação pela Fé, redigida e aprovada pela Federação Luterana Mundial e pela Igreja Católica Apostólica Romana. O preâmbulo do documento diz que a declaração “quer mostrar que, com base no diálogo, as Igrejas luteranas signatárias e a Igreja católica romana estão agora em condições de articular uma compreensão comum de nossa justificação pela graça de Deus na fé em Cristo. Esta Declaração Comum (DC) não contém tudo o que é ensinado sobre justificação em cada uma das Igrejas, mas abarca um consenso em verdades básicas da doutrina da justificação e mostra que os desdobramentos distintos ainda existentes não constituem mais motivo de condenações doutrinais”. A declaração pode ser resumida neste trecho: “Confessamos juntos que o pecador é justificado pela fé na acção salvífica de Deus em Cristo; essa salvação lhe é presenteada pelo Espírito Santo no baptismo como fundamento de toda a sua vida cristã. Na fé justificadora o ser humano confia na promessa graciosa de Deus; nessa fé estão compreendidos a esperança em Deus e o amor a Ele”.

     
  2. Paulo Roberto Campos,

    Mais uma vez nos jogam Lutero acima, como se fosse relevante…
    Entendo que vocês têm o costume de valorizar bastante pessoas que fazem coisas que vocês consideram importantes, mas, mais uma vez, o povo evangélico é devoto de Jesus. Não temos uma imagem daquele homem, nem fazemos procissões ou cultos em memória dele. Nem de ninguém.
    A Bíblia começa falando de Jesus, desde Gênesis e termina falando dele. Ele é o princípio, o meio e o fim de tudo. Pessoas são falhas – TODAS. De acordo com a Palavra de Deus, o único que viveu, morreu e ressuscitou sem pecado foi Jesus.
    Acho que não há mais nada a dizer quando os rumos da conversa são desviados forçada e repetidamente.
    Deixo meu abraço e votos de sucesso a todos.

     
  3. A respeito das objeções protestantes aqui levantadas, apenas recomendo que se leia atentamente as matérias que abaixo indico, caso sejam pessoas que realmente — sem fanatismo por Lutero — estejam interessadas em conhecer a verdade.

    Como aqui não há espaço para responder a tantas objeções, aconselho as seguintes leituras no site da “Revista Catolicismo”: http://www.catolicismo.com.br

    1) Edição de fevereiro de 2004 (matéria de capa intitulada: Resposta a algumas objeções de protestantes contra a Igreja Católica).

    2) Edição de setembro de 1999 (matéria de capa intitulada: A Doutrina Católica face a objeções de protestantes)

    3) As matérias do Monsenhor José Luiz Villac, no referido site, na epígrafe A PALAVRA DO SACERDOTE: As edições de julho de 2001, agosto de 2002, fevereiro de 2003, julho de 2003 e outubro de 2003.

    4) Também a matéria, na epígrafe PÁGINA MARIANA: edição de junho de 2001.

     
  4. Adriana, eu disse que muitos precisam estudar mais a Bíblia porque a interpretam ao pé da letra, quando o estudo tem que ser mais profundo. Você disse que Jesus chamou Pedro de Satanás, quando na realidade Ele disse: “Afasta-te, Satanás! Tu és para mim um escândalo; teus pensamentos não são de Deus, mas dos homens!”. Entenda Adriana, Jesus falou para Satanás que naquele momento usava a boca de Pedro para dizer: “Que Deus não permita isso, Senhor! Que isso nunca te aconteça!”.
    Pois bem, a Bíblia tem que ser lida, estudada, meditada e refletida. Não é ao pé da letra que se fala a respeito do Estudo de Deus.
    Abraços, minha irmã!

     
  5. Fernando Lima,

    Fernando, um texto fora do contexto pode fazer qualquer um parecer associado ao mal. Qualquer um mesmo
    Além do mais, foi você que trouxe Lutero à conversa, não eu.
    Admiro muito o que Lutero fez, mas sou seguidora de Jesus. Parece que você está tendo dificuldade em entender isso.
    Não estou trazendo nova doutrina, estou tentando resgatar a antiga! Tenho me referido o tempo todo a versículos bíblicos, e você me diz que sigo a homens. Você tem se referido o tempo todo a ensinamentos de homens (infalíveis?) e diz que segue a Deus.
    Agora você diz ao seu fraterno que um protestante não consegue enxergar a verdade, e se refere a Lutero de forma negativa, como se eu fosse ignorante, e como se ele fosse um dos deuses a quem eu sirvo.
    Nilo mencionou Mateus 16:18 como base de fé para dar uma posição divina a Pedro. Como entendi que isso era importante para ele, o instiguei a procurar estudar melhor essa palavra, sem mencionar que Jesus, apenas alguns versículos depois, o chama de Satanás. Isso porque não estou aqui para te ofender, nem para ganhar uma discussão a qualquer custo.
    Se você acha que sigo a homens, Fernando, ou que vou me doer por eles, você está enganado. Eu sirvo a Jesus. Amo as Suas palavras e me importo com o que Ele diz. Uma das coisas que Ele me ensinou foi amar, perdoar e ter paciência com as pessoas, e espero estar fazendo isso.

     

  6. Nilo Sergio,

    Nilo, atacar pessoas não muda nada, e o objetivo aqui não é comparar pessoas ou religiões pra ver quem é melhor. Você não precisa fazer isso, se rebaixando desse modo. Eu poderia fazer o mesmo, apontando erros em dogmas e pessoas (quer falar em riqueza?? Se você é católico, pense bem!), mas escolho não fazê-lo, porque entendo que as pessoas são falhas, e que mesmo assim Deus ama a todos.
    A Bíblia nos diz pra ter cuidado antes de apontar um cisco no olho do irmão, porque pode ter uma trave no nosso.
    Jesus não fundou religiões, você disse bem, ele fundou uma igreja – composta por pessoas. A igreja de Jesus pode se reunir em casas, templos, cavernas, campos abertos… ela continuará sendo Sua igreja.
    Se a religião que você escolheu para ser igreja de Cristo é a católica, glória a Deus por isso!
    Vamos encontrar crentes e católicos, ambos bons e ruins, mas não vamos nos basear no comportamento deles para escolher nossa religião, certo?
    Quanto a Lutero, ele fez com que a Bíblia, que era de leitura proibida aos fieis, fosse traduzida, publicada e assim conhecida pelas pessoas comuns. Antes disso, só clérigos a poderiam ler, em uma língua que o povo não entendia, e o que eles ensinavam tinha que ser o certo. Sem questionamentos. Porque? Foi sem dúvida um grande avanço para o cristianismo: que os fieis a Cristo pudessem conhecê-lo através dos seus ensinamentos, e tirar suas próprias conclusões.
    Você já leu as 95 teses de Lutero, que foram o que iniciou todo o ‘protesto’? Faça isso, assim você vai entender melhor a quem você está direcionando seu julgamento! Talvez o que você ouviu falar de Lutero não seja suficiente para criar sua opinião sobre ele. Descubra o que ele mesmo disse, sem intermediários.
    O mesmo você pode fazer com a Bíblia. Hoje todos podemos ler a Bíblia, mas em determinadas religiões, a confiança absoluta nos ensinamentos dos clérigos permanece, mesmo quando estão em desacordo com a Palavra de Deus.

     
  7. Só temos que lembrar aos nossos irmãos separados que a Igreja Católica é Divina, porque foi fundada por Nosso Senhor Jesus Cristo, e as demais são humanas, porque foram fundadas por homens comuns, a começar por Martinho Lutero, que temos certeza que ele deve estar arrependidíssimo de ter se separado da verdadeira Igreja de Cristo, uma vez que depois da divisão causada por ele hoje cada um quer se arranjar com falsidades para arrecadar mais e mais.
    Numa próxima oportunidade vamos colocar o nome dos cinco pastores mais ricos no Brasil, classificando a fortuna de cada um.

     
  8. É pura perda de tempo tentar convencer um protestante a considerar a verdade. O protestantismo deixa obtuso seu seguidor. Entretanto, por vezes se pode encontrar um de boa fé, coisa rara, então ainda é possível entabular alguma conversa. Grosso modo, poder-se-ia dizer que uma metade deles está mais interessada em combater a Igreja Católica e a outra metade em ganhar dinheiro à custa dos pobres coitados que são arregimentados para suas seitas. E estas vivem brigando entre si, pois cada uma interpreta a seu modo a Sagrada Escritura… É um pandemônio!
    O próprio fundador deles, Lutero, deixou registrado no livro “De Massa Angulari” que ele e o demônio eram grandes amigos, que tinham um trato familiar nas conversas e que à mesa tinham comido mais de meio alqueire de sal… (“Diabolum, et se inter se mutuo familiariter nosse, et plus uno salis modio simul comedisse”.

     
  9. Prezada irmã, vou transcrever o que passei em outro comentário:
    O apóstolo São Paulo, falando para a Igreja de Roma, diz claramente:
    “Notem os que promovem divisões e discórdias contra a doutrina que vocês aprenderam. Afastem-se deles, porque eles não servem a Nosso Senhor Jesus Cristo, mas a seus ventres, e com palavras suaves e lisonjas enganam as pessoas ingênuas” (Rm 16, 17-18).
    Há uma ausência de paz internacional, social e política, doméstica e individual no mundo atual, más há uma instituição divina capaz de estabelecer a paz nas almas, na família, na sociedade e entre as nações, promover o reino de Deus no mundo e salvaguardar o caráter sagrado do direito dos povos, uma instituição que é para todas as nações, superior a todas as nações, investida de autoridade soberana e do prestígio religioso de um magistério supremo e perfeito: a Igreja de Jesus Cristo, Uma (Jo 17, 11-23), Santa (Ef 5, 26-27), Católica (Mc 16, 15), e Apostólica (Jo 20, 21). Só ela se encontra à altura de tão sublime missão, pelo mandato que recebeu de Deus (Mt 28, 19-20) por esta incomparável majestade secular que a perversidade de seus inimigos não consegue abater, pelo contrário contribui para seu fortalecimento.
    A Igreja segue, inabalável e irredutível, firme e segura, confiante nas palavras de Jesus Cristo, que prometeu categoricamente, dizendo:
    “As forças do mal não prevalecerão contra ela.” (Mt 16, 18).
    Todo bom católico tem o dever de obedecer a Jesus Cristo e à sua Igreja, respeitá-la, honra-la, engrandece-la e defende-la contra a maldade de seus inimigos, certos de que Jesus Cristo cumpre diariamente Sua promessa: “Eu estarei com vocês todos os dias até o fim dos tempos.” (Mt 28, 20).

     
  10. Nilo Sergio,

    Nilo, tem razão, é necessário estudar mais a Bíblia. Todos nós devemos.
    Te aconselho a procurar a melhor tradução de Mateus 16:18, a mais próxima do original. Essas são palavras de Jesus, então são importantes demais pra passar batido. Saber o que Jesus realmente disse pode ser fundamental para a sua fé.
    Sugiro que você procure na internet o versículo em grego, e peça ao google para traduzir, ou leve a alguém que saiba grego (se você conhecer alguém). Também existe a possibilidade de utilizar o Novo Testamento Interlinear Grego-Português.
    Pense no que eu te disse, você pode se surpreender.
    Quanto a ‘esse povo’, essas são pessoas a quem o Senhor criou, e aquem o Senhor ama, assim como a você. Quando Jesus iniciou seu ministério, ele escandalizava os religiosos o tempo todo, porque andava, comia e bebia com pecadores. Dormia na casa de pecadores. Também havia uma única igreja naquela época, “infalível”. Mas Jesus mostrou o contrário, e provou que ‘todos pecaram, e são carentes da glória de Deus’.
    ‘Todos’ não exclui ninguém: nem a Pedro, nem a mim e nem a você. Por isso veio Jesus (e não uma igreja), que venceu a morte para nos livrar dela, e que até no momento da sua morte salvou a alma de um ladrão, cruscificado ao seu lado. Esse ladrão nunca foi batizado, nem tomou óstia, ou ceia. Nunca frequentou uma igreja, nunca leu a Torah, enfim. Ele foi salvo pela graça de Deus, e isso não vem através de religião, nem de igreja nenhuma.

     
  11. Fernando Lima,

    Fernando, tem toda razão, não podemos odiá-la. É exatamente sobre isso que se trata a matéria. Ao invés de presumir que eu penso alguma coisa, leia o que escrevi, talvez você goste (basta clicar no meu nome, aí em cima). Depois de ler, aí sim, fique à vontade para me contestar.

     
  12. Paulo Roberto Campos,

    1) Sim, nós, ‘protestas’, somos falhos, somos seres humanos.
    2) Sim, temos diferentes denominações, porque assumimos o nosso direito de pensar por si mesmos.
    3) Se a Igreja estivesse constituída sobre Pedro, muita coisa deveria ser diferente, a começar pelo celibato, pois Pedro trabalhava, era pecador assumido e era casado.
    4) É contraditório dizer que há um só mediador e depois dizer que outros podem ser mediadores “secundários”.
    5) Pedro pediu oração a vivos, querido… não a mortos. A Bíblia repele todo tipo de comunicação com mortos. Consultar mortos é necromancia, o que é previsto e condenável pela lei de Moisés.
    6) Por favor, mostre-me na Palavra essa ‘necessidade hipotética’. Os doutores da teologia não vão responder por mim no dia do julgamento final, é preciso, sim, ler e entender o que diz a Palavra de Deus.
    7) Deus não começou e nem terminou a sua obra por meio de Maria. Jesus já existia antes de nascer. Maria foi apenas um lindo instrumento usado por Deus para que Sua vontade soberana acontecesse. Se não fosse por Maria, Jesus teria nascido por meio de outra mulher. O propósito central do nascimento de Jesus foi a sua expiação. Ele é que tem sido anunciado desde Gênesis, e não Maria.
    8) Não rejeitamos aos santos e a Maria, pelo contrário. Respeitamos tudo o que eles nos deixaram como ensinamento. Quando Deus olhou para a terra e no meio de todas as mulheres enxergou uma a quem escolheu delegar essa tarefa, eu tenho certeza que Ele o fez porque Maria era especial e graciosa. Quanto aos santos, glória a Deus pela vida deles, e por tudo o que deixaram escritos para que pudéssemos aprender com a experiência e sabedoria deles. Se os rejeitássemos, não usaríamos suas cartas para aprender e ensinar.
    9) O livro de Cantares é um livro de poesias de um marido para uma mulher, quase erótico, e não tem nada a ver com Maria. Comparar a amada de Salomão com Maria seria uma falta de respeito.

    Estou repetindo o que já estava no blog. Se não se importar de lê-lo, facilitaria mais a nossa conversa. Basta clicar acima, no meu nome.

     
  13. Adriana,

    Posso afirmar, em resposta à sua proposição “Porque os crentes odeiam a Maria”, que é porque vocês não amam verdadeiramente a Jesus, porque não amam não entendem e não podem entender. Razões pelas quais não seguem o verdadeiro caminha ensinado pelo Divino Mestre e são como cegos que guiam outros cegos. Como pode odiar a alguém que Jesus amou com amor divino?

     
  14. Os protestantes — seguindo os passos de Lutero com o livre exame da Bíblia — interpretam como bem entendem as Sagradas Escrituras. Como muitos não entendem nada, ficam publicando os mais absurdos conceitos sobre a Igreja Católica, em particular contra a Santíssima Virgem. “Cada cabeça, uma sentença” — Cada cabeça protestante tem uma sentença diferente. Assim virou um caos a religião protestante. Cada um tem uma doutrina diversa do outro, ainda que próximo da mesma seita.

    Só para refutar um ponto, que os protestas mais repetem, sobre a questão de que Jesus é o único mediador junto a Deus. Veja a resposta publicada na revista Catolicismo. Como notarão, o fato de se glorificar a mediação de Nossa Senhora junto a seu Divino Filho, não diminui em nada a Mediação insubstituível de Jesus Cristo junto a Deus.

    “É certo que São Paulo afirmou, em sua primeira Epístola a Timóteo (2, 5), que “há um só Deus e há um só mediador entre Deus e os homens, que é Jesus Cristo homem”. Mas esse mediador único e insubstituível não exclui que possa haver outros mediadores secundários, pois o próprio Apóstolo dos Gentios é o primeiro a pedir a intercessão de outros junto a Deus. Assim, diz ele em sua Epístola aos Romanos: “Rogo-vos, pois, irmãos, por Nosso Senhor Jesus Cristo e pela caridade do Espírito Santo, que me ajudeis com as vossas orações por mim a Deus” (Rom 15, 30). E na segunda Epístola aos Coríntios, diz que espera que Deus o livrará de futuros grandes perigos, “se nos ajudardes também vós com orações em nossa intenção” (II Cor 1, 11).

    Se simples fiéis podem interceder por nós, exercendo assim o papel de mediadores nossos junto a Deus, quanto mais aqueles que praticaram as virtudes em grau heróico, como são os Santos — que os protestantes rejeitam —, e sobretudo Aquela que teve a dita de ser Mãe de Nosso Senhor Jesus Cristo, e é, por isso, igualmente Mãe dos membros de seu Corpo Místico, que é a Igreja.

    Os católicos estão pois certos em recorrer a Maria Santíssima como nossa grande Medianeira junto a seu Divino Filho. E essa mediação não é apenas possível, mas necessária, como ensinam grandes doutores da Igreja. Não se trata de uma necessidade absoluta, e sim hipotética, de acordo com a terminologia dos teólogos. Isto é, necessária porque Deus quis que assim fosse, e não porque estivesse obrigado a isso.

    Explica-o com sua habitual clareza e calor apostólico São Luís Maria Grignion de Montfort, o grande doutor mariano, em seu célebre Tratado da verdadeira devoção à Santíssima Virgem (Vozes, Petrópolis, 4ª edição, 1949):

    “Confesso com toda a Igreja que Maria é uma pura criatura saída das mãos do Altíssimo. Comparada, portanto, à Majestade infinita ela é menos que um átomo, é, antes, um nada, pois só Ele é ‘Aquele que é’ (cfr. Ex 3, 14) e, por conseguinte, este grande Senhor, sempre independente e bastando-se a Si mesmo, não tem nem teve jamais necessidade da Santíssima Virgem para a realização de suas vontades e a manifestação de sua glória. Basta-lhe querer para tudo fazer.

    “Digo, entretanto, que, supostas as coisas como são, já que Deus quis começar e acabar suas maiores obras por meio da Santíssima Virgem, depois que a formou, é de crer que não mudará de conduta nos séculos dos séculos, pois é Deus imutável em sua conduta e em seus sentimentos” (op. cit., nºs 14-15).

    E mais adiante ele se põe a pergunta: “Nosso Senhor é nosso advogado e medianeiro de redenção junto de Deus Pai; […] é por intermédio dele que obtemos acesso junto de Sua Majestade, em cuja presença não devemos jamais aparecer, a não ser amparados e revestidos dos méritos de Jesus Cristo.[…] Mas temos necessidade de um medianeiro junto do próprio medianeiro? […] Digamos […] ousadamente, com São Bernardo, que temos necessidade de um medianeiro junto do Medianeiro por excelência, e que Maria Santíssima é a única capaz de exercer esta função admirável. Por ela Jesus Cristo veio a nós, e por ela devemos ir a ele. […] Ela não é o sol, que pela força de seus raios nos poderia deslumbrar em nossa fraqueza, mas é bela e suave como a lua (cfr. Cant 6, 9), que recebe a luz do sol e a tempera para que possamos suportá-la. É tão caridosa que a ninguém repele, que implore a sua intercessão, ainda que seja pecador; pois, como dizem os santos, nunca se ouviu dizer, desde que o mundo é mundo, que alguém que tenha recorrido à Santíssima Virgem, com confiança e perseverança, tenha sido desamparado ou repelido” (Tratado da verdadeira devoção à Santíssima Virgem, nºs 84-85).

     
  15. lasaro castro,

    Querido, obrigada pela sugestão. Pus esse título porque são esses os termos pesquisados na internet, de acordo com as buscas do Google. Assim, quando alguém digitar essa pergunta nos sites de busca, vai encontrar minha resposta. Leia a postagem até o fim, tenho certeza que você vai gostar, principalmente pela sua experiência. Se houver algo que você queira acrescentar, me diga que a gente melhora a publicação. Isso também vale pra todos. Abraços!!

     
  16. Não sei por que razão esse povo fica protestando ainda contra a Igreja Católica. Antes de vocês falarem ou escreverem alguma crítica, que lessem a Bíblia em Mt 16,18 – disse Jesus: “Você é Pedro, e sobre essa pedra construirei a minha Igreja, e o poder da morte nunca poderá vencê-la.” Jesus não disse: “Você é Pedro, e sobre essa pedra construirei as minhas Igrejas, e o poder da morte nunca poderá vencê-las.”Portanto, a Igreja de Jesus Cristo é uma só, e Ela tem características que a identificam: Unidade, Santidade, Apostolicidade, Catolicidade, Infabilidade.A Igreja é Santa porque foi fundada pelo próprio Jesus Cristo que, sendo Deus, só faz o que é certo (Mt 16,18). Porque Ela é a continuação de Jesus Cristo no mundo (Jo 20,21)(Lc 10,16) e porque Ela é Sua esposa (Ef 5,25)e o Seu corpo (Cor 12,27).A demais Igreja foram fundadas por homens e homens pecadores. A Igreja Católica é Divina porque foi fundada por Jesus Cristo, cuja concepção de Maria não teve o pecado original.Se vocês contradisserem, por favor estudem mais a Bíblia.

     
  17. acho que eu era cego….mas tem gente que nem olhos tem…pois a bíblia diz a Palavra de Deus….

    siga Jesus….Ele é o único caminho a única verdade e a unica vida para nós

    Jesus é o único intercessor entre nós e Deus….

    estas são passagens limpas e claras de se entender….a não ser quem nem olhos tem e ainda não tem ouvidos.
    amo todos por isso quero que entendam as verdade das escrituras.

     
  18. Adriana,

    amada…fui como sua avó, agora sou esclarecido neste assunto…vivo, não eu mas Cristo vive em mim……mas acho que o título “odiar Maria”
    não bate bem em nenhum sentido, mesmo porque as palavras tem poder, elas carregam em si mesmas o poder da morte e da vida…portanto acho que deveria mudar este título, e demais, quem convence é o Espirito Santo, como foi o meu caso.que Deus ilumine a todos que aqui passarem.

     
  19. Daniel Moreira de Azevedo,

    amo Maria mãe de Jesus o homem …..mas a única religião certa, é seguir a Jesus e seus ensinamentos e não ensinamentos e dogmas dos homens. disse Jesus aquele que guarda os meus mandamentos esse é o que me ama.você ama Jesus? saiba quais os mandamentos que Ele nos deixou..
    amo todo mundo. e não poderia ser diferente…pois está nas leis de Cristo.

     
  20. Daniel Moreira de Azevedo,

    Prezado(s), boa tarde
    Eu já imaginava que receberia respostas desse tipo, tudo bem. Respeito seu pensamento, porque veio de uma tradição passada pela sua família, e ela é solene para você. Minha avó era católica e também foi difícil pra ela romper com algumas tradições. Quando ela aprendeu a ler, aos 32 anos, ela se chocou com o que dizia a Bíblia, em contradição aos costumes religiosos que praticava, e não quis mais continuar na igreja católica.
    Por respeito a este site, que é católico, e que vem desenvolvendo um trabalho excelente, sugiro que continuemos esta conversa no meu blog, Ministério Adriana Mendes, no blogspot. Lá tem uma matéria que se chama “Porque os crentes odeiam Maria”, podemos começar por ali.
    Abraços.

     
  21. Caros irmãos,
    É de pessoas ignorantes e invejosas como nossa “irmã”(no sentido católico)Adriana que o Brasil está cheio.Pensa ela que protestantismo é religião e as centenas que surgiram do mesmo.Como se enganam,desfazem e até xingam a Mãe de Jesus e depois se reunem numa hipocrisia sem tamanho achando que Cristo fica feliz.Tenho muita pena deles,porquê até agora não sabem que o catolicismo é a unica “RELIGIÃO” fundada por Cristo,não existe outra.

     
  22. Adriana,

    Nós , católicos, Adriana, não adoramos ídolos, mas sim veneramos a imagem que representa a Santa Mãe de Jesus que foi deixada por Ele mesmo para que nos protejesse. Somos felizes por poder contar com ela e com os inúmeros Santos que enriquecem a nossa fé com o seus exemplos e intercessão. A Virgem Maria tem a cara dos povos, quer seja o lugar aonde ela apareça. A Virgem Conceição Aparecida é a nossa protetora e a mãe do BRASIL.

     
  23. Até quando vamos nos contradizer à Bíblia para “venerar, rogar bênçãos e graças, ou agradecer favores” a ídolos?

    “A quem me assemelhareis, e com quem me igualareis, e me comparareis, para que sejamos semelhantes?
    Gastam o ouro da bolsa, e pesam a prata nas balanças; assalariam o ourives, e ele faz um deus, e diante dele se prostram e se inclinam.
    Sobre os ombros o tomam, o levam, e o põem no seu lugar; ali fica em pé, do seu lugar não se move; e, se alguém clama a ele, resposta nenhuma dá, nem livra alguém da sua tribulação.”
    Isaías 46:5-7

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome