Luis Dufaur

Morte de chefe militar das FARCs desanima esquerdas

O “Mono Jojoy”, chefe militar das FARC, foi abatido pelo Exército colombiano em 21 de setembro (ver “El Tiempo”).

A mídia brasileira, sempre ávida de sensacionalismo, não gostou muito do fato; pelo menos informou pouco e tardiamente.

No momento do bombardeio, Víctor Julio Suárez Rojas – também conhecido pelas alcunhas de ‘Jorge Briceño Suarez’ e ‘Mono Jojoy’ – vestia uma calça verde militar e um ‘poncho’ preto e branco.

O rosto do criminoso ideológico mais cruel da Colômbia estava desfigurado por uma grande ferida na testa. Tinha muitas outras feridas, não se sabendo ainda se morreu por algum disparo ou por fragmento de bomba, segundo “El Tiempo”.

O golpe à organização esquerdista torna-se especialmente grave ao se considerar que nos últimos anos ela perdeu 30 de seus 40 principais líderes e que muitos dos sobreviventes estão refugiados em países vizinhos.

Sobre o líder marxista-leninista e narcoguerrilheiro de 57 anos acumulava uma dúzia de condenações criminais e mais de meia centena de ordens de captura por milhares de assassinatos, terrorismo, narcotráfico e seqüestros.

Ele era o chefe militar das FARC e representava uma das maiores ameaças para a paz e a ordem cristã nas Américas.

Junto com ele morreram outros líderes marxistas, entre os quais presume-se que esteja Henry Castellanos, ‘Romaña’, um dos subalternos da estrutura militar do grupo guerrilheiro.

‘Jojoy’ estava num acampamento de 300 metros de extensão, dotado de bunker e túneis antiaéreos. O bombardeio, feito por 72 aeronaves – helicópteros e aviões Supertucanos, de fabricação brasileira – liquidou com a estrutura do reduto. Em seguida, cerca de 500 soldados desceram dos helicópteros através de cordas e passaram à ação.

Os mais de 600 homens que protegiam ao “chefe supremo” em La Julia, região de La Macarena ‒ mais precisamente no local conhecido como La Escala ‒, não conseguiram resistir ao corajoso assalto das tropas especiais colombianas.

Segundo fontes militares ouvidas pelo jornal “El Tiempo”, o maior da Colômbia, nos últimos 10 meses o líder subversivo ‘Jojoy’ se movia em círculos pela região, que ele conhecia na perfeição.

Relatório do serviço de inteligência colombiano informa que nos três últimos anos ‘Jojoy’ perdeu entre 40 e 50 de seus homens-chave, com os quais articulava desde 1982.

A Casa Branca felicitou o novo presidente colombiano: “Apoiamos firmemente o povo colombiano, as suas forças de segurança e o presidente Juan Manuel Santos em seus esforços para combater as FARC”, disse à agência Efe o porta-voz do Conselho de Segurança da Casa Branca, Mike Hammer.

“O símbolo do terror e da violência foi abatido”, declarou o presidente Juan Manuel Santos em Nova York, onde se encontrava para a Assembléia Geral da ONU. O presidente batizou o operativo de “Boas-vindas” às FARC e advertiu que ainda há muito para fazer.

“As FARC desabavam por dentro”, disse o ministro da Defesa Rodrigo Rivera.

“É o golpe mais duro já desferido pelo exército contra as FARC. O próprio coração da estratégia militar delas foi atingido”, afirmou Camilo Gomez, ex-conselheiro para a paz do governo de esquerda de Andrés Pastrana (1998-2002), citado por “Le Monde” de Paris.

Corpo do chefe narcoguerrilheiro chega a Bogotá

 

12 COMENTÁRIOS

  1. @João Z
    Como católico respondo a João Z e Jadersom que o católico deve amar a Deus sobre todas as coisas e isso se faz odiando o mal. O aborto e o comunismo são coisas péssimas contrárias às Leis de Deus. Não nos é lícito deixar de combater esses males. Devemos alegrar-nos pela morte de elementos que promovem o mal. O pecador quer o pecado, os ócios e larguezas que favorecem sua dissipação. Se odiamos o pecado e queremos a conversão do pecador, devemos desejar que lhe faltem todos os meios necessários para pecar. Assim, devemos apoiar todas as autoridades eclesiásticas, familiares, sociais, políticas, que trabalham por eliminar o que conduza os súditos ao pecado: má imprensa, mau radio, cinemas e teatros imorais, propaganda de doutrinas opostas à da Igreja, etc. Acho muito estranho que vocês se entristeçam com a morte desse assassino e não sintam nenhuma pena daqueles que foram vítimas do cruel e barbaro assassino chamado Mano Jojoy.

     
  2. Concordo com o comentário abaixo:

    O que tem de Católico, comemorar a MORTE de Alguém ???

    Só quem se alegra com a morte são os demônios, cujo líder deles. satanás, a introduziu no mundo…basta ler o Primeiro Lívro da Bíblia, o Gênesis…

     
  3. Este tal de “instituto plinio correa de oliveira” prega o NÃO ABORTO, mas, comemora a morte de um ser humano, sendo ele quem ele era, terrorista ou não, também eles se alegram com a MORTE… portanto, SÃO COBRAS DO INFERNO – bando de HIPÓCRITAS se posando de santos, quando, na verdade, comungam é com a cultura de morte, só que de outra maneira – CUIDADO! – O DEMÔNIO TEM MIL FACES – O IPCO É UMA DELAS…

     
  4. viva as farc-ep,viva mono jojoy,viva ivan rios,viva alfonso cano,viva jacobo arenas,viva todos que lutaram e lutam pela nova colômbia!
    pobres não sabem o que estão dizendo,as farc irão derrotar a oligarquia mais
    sanguinária da nossa américa,só não derrotaram,porque a mesma tem o apoio
    estadunidense! viva os guerreiros das farc-ep!

     
  5. Ninguém é inatingível.Este episódio mostra aos líderes revolucionários que também eles,podem ser atingidos.Semeando violência se colhe violência,tenebroso futuro,espera a liderança revolucionária,se continuarem usando de violência contra inocentes.
    A Democracia deve ser respeitada,não o sendo,o destino não poupará pessoas,só porque são importantes dentro de um grupo que compartilha os mesmos interesses.
    Dentro da nova conjuntura política mundial que se forma rapidamente,ninguém será inatingível.

     
  6. Que boa notícia! Um alívio!

    Este “camarada” ainda foi tarde, mas foi-se. Deo Gracias! Podemos cantar um Magnificat pela Colômbia.

    Mas enquanto cantamos, os petistas choram a morte do “cumpanhero” Mono Jojoy. Se não estivéssemos nas vésperas de eleições, certamente eles estariam amaldiçoando o novo governo colombiano por continuar na trilha de Uribe no combate ao comunismo-narco-traficante. Faço votos de que o presidente Santos não abandone a luta, saindo dessa trilha. Avante Colômbia!

    E se Dilma já estivesse eleita? Se tal desgraça para nossa Pátria acontecer — contra a vontade da maioria dos brasileiros, mas de acordo com as urnas fraudadoras de resultados — com toda certeza ela decretaria 3 dias de luto e a bandeira brasileira a meio-pau em sinal de dor, em homenagem ao camarada terrorista.

    Como podemos constatar, até o Chavéz está em silêncio. Por que? Hoje é dia de eleiçoes na pobre e infeliz Venezuela. Curioso, em épocas de eleiçoes tudo muda…

     
  7. Pelo que eu li e escutei o Rambo não precisou atuar as valentes forças colombianas demonstraram capacidade e heroísmo real e não holywoodiano. Parabéns Colômbia.

     
  8. Que grande ação pacifista do exército colombiano!

    Ação em defesa da vida!

    Mandar para o Inferno esse bastardo, terrorista e assassino covarde e cruel é um acontecimento singular no combate ao comunismo na América Latina!

    A grande jornalista Graça Salgueiro, em seu notável blog Notalatina, profetizou acertadamente a deserção de milhares de guerrilheiros após a morte do pestilento Mono Jojoy, chefe militar das FARC…

    E onde estão as felicitações dos governos brasileiro, venezuelano e boliviano?

    O Lula deve estar inconsolável… E o sr. Hugo Chavez? Coitadinhos…

    Eles que não se preocupem: um dia estarão todos juntos na companhia de Satanás!

    Abaixo, a cobertura (sensacional e exclusiva) da sra. Graça Salgueira:

    http://notalatina.blogspot.com/2010/09/morre-um-homem-mau-e-colombia-respira.html

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome