Atilio Faoro

As pesquisas de opinião são necessárias aos governos, embora tragam muitas vezes resultados amargos difíceis de engolir.

Foi o que se passou com uma consulta de opinião sobre “a visão da população brasileira a respeito dos direitos humanos”. Organizada pela Secretaria de Direitos Humanos (SDH), do ministro Paulo Vannuchi, a pesquisa foi publicada em forma de livro pelo referido órgão, acompanhada de 18 artigos de acadêmicos e defensores de direitos humanos.

“Há resistência, mas essas questões de cunho mais universal, de interesse geral, tendem a avançar e receber o apoio da população se forem pautadas”, afirma Gustavo Venturi, hoje professor de sociologia da Universidade de São Paulo (USP) e organizador do livro, em entrevista a Agência Brasil (3-7-2010).

Na pesquisa que dá origem ao livro, praticamente uma em cada seis ou sete pessoas entrevistadas fez associação negativa (em relação aos direitos humanos) nas respostas espontâneas, vinculando a idéia com a defesa de bandidos, da elite ou de algum tipo de privilégio. Em outras palavras, uma boa porcentagem de brasileiros (17%) acha que a defesa dos direitos humanos é igual à defesa de bandidos. O que é decepcionante para o governo.

Falando do PNDH-3, Venturi se mostra preocupado com as reações suscitadas pelo programa. Servindo-se de um jargão marxista, o sociólogo acusa “a burguesia”.  “O que houve em relação ao PNDH 3 tem a ver com o sentido clássico de opinião pública: quando a burguesia começa a fazer-se ouvir como uma classe emergente, que torna públicas suas opiniões por meio da articulação de jornais, partidos, clubes etc.”

Traduzindo em miúdo, os erros da “burguesia” são: falar, articular-se e tornar públicas suas opiniões. Pergunta-se: é delito “tornar públicas suas opiniões” no Brasil? Onde está a liberdade de expressão? E onde fica a promessa do ministro Vannuchi de ouvir todos os segmentos da sociedade sobre um programa que faz uma revolução no Brasil?

Reafirmando seu desagrado com as reações, responsabilizou os “preconceitos” dos brasileiros, que não embarcaram na onda do PNDH-3: “A maior parte da resistência ao reconhecimento dos direitos [humanos] está centrada em preconceitos. Estamos longe de realmente chegarmos à universalidade dos direitos humanos: uma igualdade plena independentemente de raça, etnia, cor, gênero e orientação sexual”.

Na mesma linha de pensamento, Venturi critica “uma espécie de rede de gritaria” contra o PNDH-3 lançada por “uma opinião pública organizada, que é bastante influente, sabe fazer lobby e tem seus canais de manifestação. Foi muito mais uma articulação de alguns setores, diga-se de passagem muito díspares, cada um com seu ponto específico”.

Mais uma vez, o organizador do livro do SDH mostra sua antipatia pelo debate de idéias. A seguir nessa direção, acabaremos adotando o regime do pensamento único existente em Cuba, na Venezuela, no Irã e na China. Para Venturi, o PNDH-3 não pode ser discutido; tem que ser aprovado sem debate. Todos devem alinhar-se à cartilha do governo.

 

7 COMENTÁRIOS

  1. José Antonio, Hoje, 4.6.2012, leio sua manifestação e realmente gostria de ler sobre
    “Restaurar a Civilização Cristã”, de 28.7.2010, pode me indicar o SITE, para eu poder saber o que significa Ordem e Direitos Humanos no caso.
    Se puder me ajudar escreva para Iris – royersbrasil@yahoo.com.br.

     
  2. Estarei escrevendo para esse pseudo-sociologo comentando que o direito da discordância oferece o contra-ponto para crescimento das discussões e não o papel esquerdista se “há governo sou contrta”…

     
  3. O governo não tem que se meter onde NÃO FOI CHAMADO que é na família, para isto já temos a Igreja, a catequese auxiliando pais na boa educação e formação moral e religiosa dos filhos. Já não basta terem excluido das disciplinas escolares a Educação Moral e Cívica, Ensino Religioso e outros? Um exemplo de que o governo só está acabando com a boa cultura do povo por exemplo o de querer trabalhar, pois no meio rural não se encontra mais jovens (disponíveis) que queiram trabalhar, e trabalhar para que, se eles já tem do governo o básico: o arroz e o feijão, bolsa pra estudar, bolsa pra não fazer nada, bolsa pra isso, bolsa ‘praquilo’…? Há uns poucos anos atras não se via tanta gente debaixo duma arvore tomando terere o dia todo como vejo hj. Se vc chega e pergunta se algum deles está interessado em carpinar eles riem, ninguém quer saber de trabalho! Estão tornando-se um monte de gente podre facil de manipular no período político, pois é só oferecer uma cesta básica e pronto, o voto está vendido! Eu falo o que eu presenciei, não estou inventando.
    Agora pergunto ao senhor Presidente (NOSSO REPRESENTANTE): QUE FUTURO ELE PLANEJOU PARA NOSSO PAÍS se não foi a implantação da preguiça (neste caso), do comodismo, das mentes treinadas a obedecer a ‘lei da moleza’…?
    Lamentável ver tantas crianças e jovens sem fazer NADA, e todos sabemos que um desocupado tem mais tempo de pensar em fazer o que não presta, já diz o ditado popular: “cabeça desocupada: oficina do diabo”!
    Gostaria que o governo me explicasse melhor então seu PNDH 3 se eu errei em minha conclusão!

    Que Deus nos ajude dando discernimento para acertar nas escolhas, coragem para não desanimar e perseverança para alcançar nossos objetivos de cabeça erguida e com dignidade!

     
  4. O que nós precisamos fazer é ficarmos atentos. Usarmos os meios de comunicação disponíveis para denunciarmos todas as farsas pseudo-humanistas e, mobilizarmos conhecidos, parentes, amigos e demais cristãos e homens e mulheres de bem para lutarmos contra o projeto de implatanção do comunismo no país. O inimigo é astuto e conta com uma rede bem montada de ongs, mídias, instituições privadas e grupos de guerrilhas! No entanto, tudo podemos naquele que nos fortalece DEUS!!

     
  5. Passos já dados para implantação do comunismo: Exaltação da criança em detrimento a autoridade dos pais, estabelecimento do aborto livre, casamento entre pessoas do mesmo sexo, divórcio igual casamento civil: ( Destruição da família ): Eliminação do direito de propriedade: ( Dar a invasores de terras direito de discutir com proprietário em juízo à propriedade:: ( amanhã será as propriedades urbanas, é o mesmo que legalizar o direito de assaltar):Proibição da utilização de símbolos religiosos: ( Eliminação da religião e da liberdade de pensamento, direito sagrado das pessoas) O descaso com segurança publica: (Quanto pior melhor, dá motivos para a implantação de leis ditatorias ): Criação de Força Especial do governo para ser usada em qualquer lugar esporádicamente,Igual KGB, russa, Gestapo Alemã,e, secreta cubana): O que faz as FA, a PF, e, as Polícias Estaduais?IPCO, ajude como tem feito abrir os olhos dos brasileiros. As famílias que tem filhos, precisam não é de C$ 45.00, que está servindo para comprar eleitores, precisam é de um salário mínimo na pior das hipóteses, para a mãe ou o pai ficar em casa e cuidar deles.

     
  6. Para Venturi, o PNDH-3 não pode ser discutido; tem que ser aprovado sem debate. Todos devem alinhar-se à cartilha do governo.
    Esse elemento não deve ser brasileiro não!!!
    As vezes chego a ter saudades dos anos 60-70-80… ao menos tinhamos ordem e disciplina nesse Pais, onde se cantava o hino nacional com fervor.
    Esses lacaios nem sabem cantar nosso hino nacional, não comemoram nossas datas historicas e heroicas, porem, criam mais outras datas como semana da diversidade, estatua do araguaia etc.
    Tenhamos muito cuidado com esses elementos estranhos ao nosso pais….

     
  7. Bastaria ler o artigo sobre Restaurar a Civilização Cristã, publicada hoje neste site para se ter a ideia clara do que siginifica Ordem e Direitos Humanos, uma vez que se entender que o homem é umser social e não escravo ou tirano de outros.

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome