Isolado na América Latina até o advento do Foro de São Paulo – segundo declarou Lula em vídeo-mensagem à 18ª. versão do referido foro, realizado em Caracas, o regime comunista cubano está em vias de “exportar” para o Brasil, entre janeiro de fevereiro de 2013, nada menos que 1.500  médicos, para atender às regiões do interior do País. A escolha dessa data teria sido para não repercutir no resultado das eleições municipais de 2012.

O principal “mercado consumidor” de tais médicos – cuja capacidade para o exercício da profissão é mais do que duvidosa, como se verá, ao passo que sua formação ideológica não deixa lugar a nenhuma dúvida – foi até o momento a Venezuela chavista, onde não se sabe bem até que ponto eles se restringiram a simples atendimentos médicos e com que resultados.

Contudo, nos termos do referido vídeo-mensagem de Lula, no qual ele se jacta da militância hegemônica do PT e de seus aliados cubanos e bolivarianos para a implantação da “democracia” em todo o continente latino-americano (a Alemanha comunista também se chamava República Democrática Alemã – DDR), a pergunta que se depreende é se os tais 1.500 médicos não serão agentes comunistas destinados a colaborar na consecução de tal fim.

Tanto mais quanto ficou patente aos olhos de todos a inconformidade do bloco petista-bolivariano em face do impeachment inteiramente legal do ex-presidente paraguaio Fernando Lugo, a exemplo do que ocorrera em Honduras em relação a Manuel Zelaya, quando o então ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, declarou que era algo inadmissível, porque a direita não podia ter mais vez na América Latina. Que democracia sui generis é essa, que só admite a esquerda?

Existe grande preocupação de que Hugo Chávez não se reeleja pela terceira vez ao cargo (sua nova candidatura foi obtida graças a mudanças arbitrárias feitas por ele na Constituição, sem que a esquerda protestasse – a mesma esquerda que gritou furiosa quando Álvaro Uribe quis fazer o mesmo na Colômbia, só que com fortíssimo respaldo popular) –, e foi para evitá-lo que o internacionalismo petista deslocou para a Venezuela a equipe de marketing de João Santana, sob os protestos da opinião pública, que reclama de interferência externa.

Não se sabe se além do João marqueteiro e de outro João – o “João de Deus”, curandeiro goiano que teria viajado à Venezuela em avião da FAB para tratar de Chávez –, a solidariedade petista enviará também, a exemplo do que ocorreu nas eleições anteriores do período chavista, as urnas eletrônicas brasileiras, as quais, não se sabe bem por que, Hugo Chávez, responsável pelo “excesso de democracia” em vigor na Venezuela, como disse Lula, quis introduzir sorrateiramente em Honduras antes da queda de Zelaya.

Voltando ao tema de Cuba – para cuja sobrevivência o regime chavista foi até aqui imprescindível –, cumpre lembrar que tudo, menos a “exportação” de médicos, poderia ser o resultado imediato da vultosa soma de dinheiro destinada pelo governo da presidente Dilma para a reforma do Porto de Mariel.

Para o leitor aquilatar a qualidade do “produto” a ser importado pelo governo petista, finalizo transcrevendo estes dois trechos de um artigo publicado por “O Estado de S. Paulo” em 3 de janeiro de 2011, sob o título de “Médicos reprovados”:

“Os resultados do projeto-piloto criado pelos Ministérios da Saúde e da Educação para validar diplomas de médicos formados no exterior confirmaram os temores das associações médicas brasileiras. Dos 628 profissionais que se inscreveram para os exames de proficiência e habilitação, 626 foram reprovados e apenas 2 conseguiram autorização para clinicar. A maioria dos candidatos se formou em faculdades argentinas, bolivianas e, principalmente, cubanas.

“[…] As faculdades cubanas – a mais conhecida é a Escola Latino-Americana de Medicina (Elam) de Havana – são estatais e seus alunos são escolhidos não por mérito, mas por afinidade ideológica. Os brasileiros que nelas estudam não se submeteram a um processo seletivo, tendo sido indicados por movimentos sociais, organizações não governamentais e partidos políticos. Dos 160 brasileiros que obtiveram diploma numa faculdade cubana de medicina, entre 1999 e 2007, 26 foram indicados pelo Movimento dos Sem-Terra (MST). Entre 2007 e 2008, organizações indígenas enviaram para lá 36 jovens índios.”

 

8 COMENTÁRIOS

  1. Só falta algum de vocês conseguir explicar como todos os órgãos mundiais, como a OMS, a UNESCO, o Banco Mundial, etc, afirmam que os indicadores de saúde de Cuba são bem melhores que os do Brasil e semelhantes aos de países desenvolvidos.

    Tentem explicar como um país com a população supostamente miserável e médicos supostamente incompetentes conseguiria isso.

     
  2. ESSA ESTORIA JÁ É BEM CONHECIDA DESDE O PASSADO…….. CAVALO DE TROIA……..
    É MAIS UM CAVALO DE TROIA DESEMBARCANDO Nessa terra de bananas.

     
  3. Viendo el Video adjunto a esta, en que habla Lula, se nota claramente que el cáncer a la garganta lo tiene mal: es claro que tiene que hacer un esfuerzo fuera de lo normal para hablar y coordinar los movimientos de los labios. En realidad, en la gran mayoría de los casos, esa enfermedad es irremediable. Hay casos en que se la consigue moderar, retener y hasta aislar, dependiendo de un muy buen tratamiento. Ahora, si por alguna confusión mental de Lula decide terminar de tratarse en Cuba, habría que aconsejarle que antes de viajar deje la parcela de algún cementerio pagada de antemano, para no cargar innecesariamente a sus familias, con gastos extras.

     
  4. Realmente, la medicina cubana es un de los cuentos más descarados lanzados a rodar por la midia en general y toda la izquierda latinoamericana. Una prueba reciente? El gran protector y salvador de la Cuba actual, como bien menciona Vianna, el nuevo chacal del Caribe, Chávez, en su tratamiento por el cáncer, se lo descubrieron cuándo lo abrieron por primera vez a raíz de un diagnóstico errado y luego de la segunda operación, cuándo le hicieron el tratamiento de radioterapia, lo quemaron muy por encima de lo que puede ser normal, por mal aplicada la dosificación. Ya hubo varios casos se personas que fueron hacerse operar en la isla y se quedaron en el quirófano. En Argentina fue muy comentado el caso de un ministro del ex-presidente Alfonsín, que fue intervenido de un cancer en Cuba y regresó al país en una bolsa negra.

     
  5. Fico imaginando na qualidade do sistema de saúde atual brasileiro. Mesmo pelo quadro de médicos brasileiros formados em nossas universidades, alguns conseguem ter algum mérito de competência e uma parte majoritaria é insuficiente na competência imaginem com essa importação de médicos cubanos? Seus conhecimentos em medicina é semelhante a de uma simples auxiliar de enfermagem e prevejo uma situação alarmante quando estaremos colocando nossas vidas em altíssimo risco.

    Você entregaria sua saúde a um destes médicos?

     
  6. Preocupação a Vista: SERÁ QUE ESTES 1.500 MÉDICOS CUBANOS que irão pisar nosso SOLO PÁTRIO NÃO FAZEM PARTE DE UMA CONSPIRAÇÃO PARA APROFUNDAR A INSTALAÇÃO DO ABORTO NO BRASIL. VAMOS FICAR VIGILANTES, POIS, O DEMÔNIO TOMOU CONTA DE VEZ DA PÁTRIA BRASILEIRA. NOSSA CRIANÇAS CORREM PERIGO.

     
  7. Amigos, o que podemos esperar de militantes que se norteiam apenas por ideologias?
    Recordam-se do episidio do acidente do avião da TAM em Congonhas? o seu Marco das Coves (vermelha por ser de esquerda), levantou o dedo médio após ouvir divulgação que a falha teria sido do piloto (avaliação duvidosa por não conjugar fatores climaticos e falta de ranhuras na pista e liberação da pista sob tais condições) sem se importarem quanto as vidas perdidas e familiares que choravam seus mortos e ainda choram.
    Tudo por ideologia esquerdista que pretendem sufocar a sociedade com sua ditadura.

     
  8. Eis mais uma imposição da cúpula esquerdista. Qualidade de vida? Não! Liberdade, democracia, bem estar social? Não! Só ideologia de esquerda.

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome