prc_ibsen-73
Dr. Gregório Vivanco Lopes faleceu no dia 28 de setembro. Ele completava 76 anos e entregou sua alma a Deus poucos minutos após chegar à sede do Instituto e sentar-se na Sala da Santa Cruz

Sócio dedicado da Sociedade Brasileira de Defesa da Tradição, Família e Propriedade (TFP) durante várias décadas, nas quais labutou também como escritor, articulista e revisor de Catolicismo e da Agência Boa Imprensa (ABIM), e ainda como membro exemplar do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira e colaborador assíduo de seu site, Dr. Gregório Vivanco Lopes faleceu no dia 28 de setembro. Ele completava 76 anos e entregou sua alma a Deus poucos minutos após chegar à sede do Instituto e sentar-se na Sala da Santa Cruz, junto a um belo Crucifixo. Ali “adormeceu no Senhor”, enquanto aguardava o início de uma reunião. Portava consigo o escapulário de Nossa Senhora do Carmo, o Santo Rosário e a Medalha Milagrosa de Nossa Senhora das Graças.

Em 1956, ainda adolescente, quando estudava no Colégio Estadual Antonio Firmino de Proença, na Mooca, Gregório conheceu o grupo formado por Plinio Corrêa de Oliveira. Em janeiro de 1957 participou da “V Semana de Estudo de Catolicismo”. Na primeira metade dos anos 1960 fez parte do grupo de alunos da Faculdade de Direito do Largo São Francisco, que em pleno regime janguista enfrentava sob a orientação do Prof. Plinio o esquerdismo imperante naquela instituição universitária, na qual se formou.

Com a fundação da TFP em 1960, foi nela incumbido de importantes responsabilidades, entre as quais a formação de jovens membros da entidade e a direção de campanhas e caravanas promovidas pela TFP. É autor dos livros Pastoral da Terra e MST incendeiam o Brasil e, em colaboração, A pretexto do combate à globalização, renasce a luta de classes.

Lúcido palestrante, com frequência pronunciava exposições para seus irmãos de ideal. Também prestou excelentes serviços gratuitos de advocacia para muitos que o procuravam. Foram quase 60 anos de dedicação exclusiva à causa contra-revolucionária, que a Providência Divina recompensará com o prêmio demasiadamente grande que tem reservado para os seus diletos filhos.

*       *       *

dr-barradas-recorte
Aos 87 anos, confortado pelos Sacramentos da Igreja, faleceu no dia 23 de setembro em Porto Alegre Dr. Ildefonso Homero Gonçalves Barradas. Antigo professor de Direito, tabelião na capital gaúcha e jornalista, foi colaborador de Catolicismo desde seus primeiros anos

Aos 87 anos, confortado pelos Sacramentos da Igreja, faleceu no dia 23 de setembro em Porto Alegre Dr. Ildefonso Homero Gonçalves Barradas. Antigo professor de Direito, tabelião na capital gaúcha e jornalista, foi colaborador de Catolicismo desde seus primeiros anos, redigindo artigos, sobretudo a respeito de aspectos pouco divulgados da História do Brasil. É autor do livro O Brasil nos tempos de El-Rei, uma coletânea de artigos publicados em nossa revista. Estudioso incansável desse tema, ampliou sobre ele suas pesquisas em prolongadas estadias em Portugal e proferiu brilhantes conferências em vários estados brasileiros.

No ano de 1953, apesar de não ter podido comparecer, inscreveu-se para a 1ª. Semana de Estudos de Catolicismo, tendo participado de todas as demais. Propagandista entusiasta de nossa revista no Rio Grande do Sul, Dr. Barradas foi diretor da secção gaúcha da TFP e seu principal sustentáculo durante décadas. Seu generoso apoio se estendeu a outras secções da entidade. Encabeçava todos os anos uma importante delegação de rio-grandenses aos Encontros de Correspondentes da TFP, e posteriormente a análogas reuniões do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira.

Num congresso, realizado na Biblioteca Municipal de São Paulo, Dr. Barradas, enquanto representante do Rio Grande do Sul, saudou o Prof. Plinio com palavras que bem revelam sua grande admiração por ele: “Dr. Plinio Corrêa de Oliveira, único chefe autêntico, dos únicos católicos autênticos do Brasil!”.

Era viúvo da Sra. Catharina, que lhe deu os filhos Ildefonso, Maria Felícia, Ondina e José Ricardo.

 

2 COMENTÁRIOS

  1. Nossa solidariedade e pesar pela perda de tão valorosos brasileiros de exemplar fé católica que enobreceram a causa da Santa Igreja Católica no Brasil e dignificaram os ideais e a obra do Dr.Plínio Correa de Oliveira.

    Deus guarde as bondosas almas do Dr. Gregório e do Dr. Barradas, e conforte seus familiares.

    Ney de Araripe Sucupira
    O último chanceler da Soberana Ordem dos Cavaleiros de São Paulo Apóstulo

     
  2. Requiem aeternam dona eis, Domine, et lux perpetua luceat eis.
    Anima eius et animae omnium fidelium defunctorum per Dei misericordiam requiescant in pace. Amem!

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome