Realidade-1

O “número 2” da segurança chavista, Leamsy Salazar, que fugiu para os EUA, denunciou que Hugo Chávez morreu de fato no dia 30 de dezembro de 2012, e não em 5 de março de 2013, como anunciou o regime.

Era generalizada a suspeita de que o chefe bolivariano já estava morto na ocasião em que Maduro anunciava haver despachado com ele durante várias horas… As fracassadas tentativas de embalsamar o corpo de Chávez e as circunstâncias estranhas de seu velório e enterro acentuaram ainda mais a desconfiança da existência de um arcabouço de mentiras. Análogos estratagemas propagandísticos envolvem hoje o estado de saúde (terminal?) de Fidel Castro.

 

5 COMENTÁRIOS

  1. Desde quando foi criado o comunismo as mentiras tem sido a tônica dos comunistas, até mesmo ocultar cadáveres.
    Não me causará surpresa se a mídia brasileira não descobrir que o Lula e a Dilma que estão aparecendo não sejam eles, talvez eles também já foram cremados.

     
  2. Nada surpreendente, a mentira a deturpação a difamação sempre foram as armas junto ao fuzil que o comunismo utilizou e continua a utilizar para dominar o mundo.
    A “pedagogia” da guerrilha já é bem conhecida e também seus resultados por tudo isto é que os arautos da desgraça NUNCA VÃO TER VEZ !!

     
  3. Uma pessoa morrer em idade avançada, no caso de Fidel Castro, muito avançada – 84 anos, não? -, está na linha de um fato normal.
    Mas, não para o marketismo filo-comunista da mídia internacional, sobretudo no contexto do momento presente da política da América Latina. Pelo menos, é isso que deduzem os “cabeças” da Revolução.
    TAL É A DEBILIDADE A QUE SE CHEGOU NO PROCESSO REVOLUCIONÁRIO, precisam de uma múmia para sustentar um mito, que de resto já está podre.
    No caso do Hugo Chaves, enterraram na Venezuela um boneco de cera. O corpo já havia sido enterrado, ou cremado , em Cuba, DOIS MESES ANTES..

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome