Na avalanche do “casamento” homossexual… surge o “poliamor”

O casamento vem sendo esmagado cada vez mais pelas novas “tendências”
A bola de neve que se formou a partir do desfacelamento do matrimônio gerou uma verdadeira avalanche

A agência de noticias Zenit (27/3/2011), traz uma importante matéria sobre os recentes ataques contra o casamento tradicional no mundo e como a deturpação dessa sagrada instituição tende a piorar.

Nessa matéria, John Flynn, autor da reportagem, alerta para o fato de que “as organizações interessadas (no “casamento” homossexual) tentam convencer os legisladores de que o casamento é algo que se pode redefinir para se adaptar às últimas tendências sociais”.

Como exemplo das recentes investidas anti-família, Flynn narra o caso da Irlanda em que a recém-eleita coalizão de governo, acaba de propor mudanças na lei de “pares civil” que favorecerão a união de “casais homossexuais“.

Também nos EUA tem havido graves pressões para a imposição dessa lei. De acordo com o ‘New York Times’ (24/2/2011), o presidente Obama e o promotor geral dos EUA, Eric H. Holder Jr., consideram como inconstitucional a ‘Lei de Defesa do Matrimonio’ (DOMA), que limita o casamento a casais heterossexuais.

Mas a bola de neve que se formou a partir do desfacelamento do matrimônio não poderia parar por ai…

Desde 2005, o casamento homossexual foi legalizado no Canadá e agora, na Columbia Britânica, terceira maior província do Canadá, está sendo desenvolvido um processo legal para estudar a legalização da poligamia.

Nos EUA, ano passado, o jornal ‘Boston Globe’ diário de maior circulação de Boston, Massachusettz e Nova Inglaterra publicou dois artigos sobre as vantagens do que ele chama de “poliamor”, isto é, a prática de ter uma relação, mascarada de casamento, com mais de uma pessoa ao mesmo tempo e com o consentimento de todos os envolvidos.

Grupos inteiros de homens e mulheres, vinculados legalmente todos entre si, constituindo uma pseudo-comunidade familiar. Trata-se do “amor livre” institucionalizado, amparado e beneficiado por leis.

Como para a poligamia não há limites de cônjuges, vinculada ao “casamento homossexual”, que “Babel” não pode vir disso?

Estamos diante de uma verdadeira Revolução Cultural investindo para deformar a instituição familiar, base de toda sociedade civilizada.

 

4 COMENTÁRIOS

  1. Senhores,
    muito interessante a matéria de Ivan R. de Oliveira.

    Em maio do ano passado, o jornal Correio Popular de Campinas, SP, publicou um artigo onde mencionei o “poliamor” (ou polyamory). Foi, na verdade, uma compilação e tradução de outros artigos em inglês, uma forma de “rebater” um artigo publicado anteriormente, que favorecia a adoção de crianças por casais gays.

    Não sabia que causaria tamanha comoção entre os homossexuais… inclusive encontrei meu nome e artigo citados em uma comunidade do orkut. Uma grande pena. Pessoas querem ser ouvidas, mas quando é algo contra o que defendem, elas perdem a compostura.

    Para os mais valentes e corajosos (contém linguagem forte), deixo aqui o link da tal comunidade…
    http://www.orkut.com.br/CommMsgs?cmm=65754&tid=5474088822931636149

     
  2. Por que tanto interesse em defender o casamento homossexual? Não consigo entender o porquê dessas organizações e governos defenderem tal atrocidade. Alguem poderia me explicar? Obrigado.

     
  3. A família é a célula mater da sociedade, isso todo mundo sabe. Deixar de protegê-la é em última análise matar a sociedade. É isso que queremos?

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome