O “desmentido” que não desmente

10

Em um texto que publiquei em meu blog (Cf.: Não posso acreditar: “CNBB e Marta fazem acordo sobre projeto que criminaliza homofobia”?!, 7/12/2011), afirmei que a notícia do “acordo” entre a CNBB e a senadora Marta Suplicy para a aprovação da “Lei da homofobia”, divulgada pela mídia, exigia — caso não tivesse havido acordo algum — um desmentido “urgente e taxativo” por parte daquele órgão eclesiástico.

Hoje pela manhã recebi um e-mail de meu amigo Flávio Matihara, encaminhando-me o“esclarecimento” que, à guisa de desmentido, fez a CNBB. Ele se encontra no site da entidade (http://www.cnbb.org.br/site/) e intitula-se: “Nota de esclarecimento sobre projeto de criminalização da homofobia”. Vejam a nota [click na imagem no final]  e observem que ela não esclarece por que a CNBB não aproveitou a “audiência, no dia 1º de dezembro de 2011”, para então pedir à senadora que desistisse definitivamente de seu infame “Projeto de Lei 122/2006”, por ser ele tão contrário às Leis de Deus e até mesmo restringir a liberdade religiosa e de expressão.

Afirma a nota: “A presidência da CNBB não fez acordo com a senadora, conforme noticiou parte da imprensa. Na ocasião, fez observações, deu sugestões e se comprometeu com a senadora a continuar acompanhando o desenrolar da discussão sobre o projeto”. Mas não diz que observações e que sugestões teria feito à senadora petista… No entanto, Marta Suplicy saiu bem contente do encontro, a tal ponto que falou do fechamento de um “acordo” com a CNBB. Sobretudo — o que também causa MUITA ESTRANHEZA — a nota não manifesta NENHUMA REPULSA à aberrante “Lei da homofobia”, como se o projeto fosse um outro qualquer, que não atentasse profundamente contra a moral católica.

A nota termina manifestando a disposição da Igreja em “combater todo tipo de discriminação”. Ora, para isso não precisa da “Lei da homofobia”. Além de persecutória, seria uma lei completamente inútil, pois nosso Código Penal já protege TODOS os cidadãos contra discriminações, defendendo-os de qualquer agressão.

Para fundamentar o que afirmo, eis o que, em artigo no “Jornal do Advogado” (edição Março/2011), diz a Dra. Helena Lobo da Costa, advogada e professora de Direito Processual Penal na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo:

  • “Ofender a dignidade ou o decoro de outra pessoa, pratica crime de injúria, previsto em nosso Código Penal no artigo 140. Se, na prática de injúria, for empregada violência, configura-se a denominada injúria real, infração com pena mais alta do que a injúria simples… Se for ainda mais grave [uma agressão], consistindo na prática de lesões corporais, aplica-se o artigo 129 do Código Penal… [no caso de] lesão corporal de natureza grave ou de natureza gravíssima… sofrer ferimentos que a impeçam de trabalhar por mais de 30 dias, o agressor ficará sujeito a uma pena de 1 a 5 anos de reclusão. Da mesma forma, se a vítima sofrer perda de alguma função corporal em decorrência dos ferimentos, a pena será de 2 a 8 anos. Também é preciso mencionar que, em todas as hipóteses até aqui mencionadas, o juiz poderá aplicar uma causa de aumento de pena em razão da motivação torpe do agente… [no caso de] homicídio doloso, qualificado por motivo torpe… [pena de 12 a 30 anos de reclusão]. Não é portanto a falta de tipos penais em nossa legislação… Acrescentar novas figuras típicas não apenas seria desnecessário como também acabaria por criar dificuldades interpretativas e espaços de sobreposição de tipos penais que, muitas vezes, resultam em empecilhos à aplicação da lei… A criação de novos tipos penais [“Lei da homofobia”] apenas causará confusão interpretativa e dificuldades na aplicação”.

Logo, não há qualquer necessidade de uma lei exclusivista para proteger e privilegiar só uma determinada classe — no caso, para conceder privilégios a uma classe de pessoas que praticam uma perversão sexual antinatural, um pecado que — por ser contra a natureza — “brada aos Céus e clama a Deus por vingança”, segundo a enérgica linguagem do Catecismo. Linguagem que está de acordo com o recomendado por Nosso Senhor Jesus Cristo no Evangelho: “Seja a vossa linguagem sim, sim; não não” (Mt. 5,37) — bem diferente da empregada na referida nota…

Mas deixando de lado o bla-bla-blá da nota da CNBB, continuemos em nossa importante campanha de protesto contra a aprovação da abjeta “lei da homofobia”. Aqueles que ainda não registraram o seu protesto, poderão fazê-lo agora mesmo no seguinte link:

http://www.ipco.org.br/home/

Click na imagem abaixo para ler a “NOTA DE ESCLARECIMENTO” da CNBB.

 

10 COMENTÁRIOS

  1. Se lembrarmos um pouquinho Paulo quando prega o combate espiritual: “Não é contra carne que lutamos, mais contra os espíritos maus que andam pelos ares”. Esse espírito já se instalou com toda certeza em diversas igrejas católicas e vemos agora nos representantes da CNBB. Que vergonha senhores responsáveis pela CNBB. Lembrem-se: “A quem muito é dado, muito será cobrado”. Quando vocês assim agiram, negaram CRISTO, ou vocês acham que CRISTO está contente com tudo isso que anda acontecendo?Tenho certeza que JESUS também está negando vocês “PADRES”, “BISPOS” etc…, junto ao PAI DO CÉU. E mais assombroso ainda sobre PAULO o que ele nos diz em uma de suas passagens: “Quando acontecer o final dos tempos, começara de dentro da Igreja para fora”
    Fiquemos em PAZ e lembremos a IGREJA é SANTA pois representa JESUS, porém nós(eu, principalmente padres, bispos, etc…) somos pecadores.Acordemos enquanto é tempo. “Buscai ao SENHOR enquanto se pode encontrar, invocai-o enquanto está próximo”.

     
  2. @FRANCISCO AMANCIO

    Não é política. Diz respeito à minha vida e à sua. Diz respeito a criação dos meus filhos. Diz respeito aos valores que teremos enquanto sociedade.

    Se a Igreja, única instituição que preza (ou deveria prezar) pelos valores morais com integridade, não se manifestar sobre essas aberrações, quem irá?? O Chapolin Colorado?

     
  3. 2Tess 2,3: Primeiro deve vir a apostasia…

    Eis aí o mais perfeito dos indicativos, do fim dos tempos. Jamais, em toda a história, houve tamanha reação contra Deus e contra tudo o que é sagrado. Jamais, em toda a história da Igreja Católica, um tão grave dilúvio de heresias se esparramou sobre ela. Porque na história passada, sempre houve hereges com suas abominações, mas sempre por divergência de um ou outro ponto da sã doutrina. Mas o que vemos agora é a explosão de todas as divergências, ao ponto de uma conferência episcopal não APONTAR o caminho. Ficam em cima do muro, com meias palavras. Pelo amor de Deus gente, o que representa O BISPO NA IGREJA ??? Eles já apostataram. Só não declaram a favor porque sempre ocorrem manifestações, como na matéria publicada pelo Paulo Roberto Campos. Caso contrário eles até arriscariam estar a favor. E o pior, as dioceses em sua maioria – infelizmente – também já apostataram. E aí os seminários, consequentemente os padres, conventos, etc. Maranathá vem Senhor Jesus, e SALVAI-NOS !!!

     
  4. O PL122, PRETENDE PROTEGER OS PERVERTIDOS SEXUAIS DA NATURAL REPULSA DAS PESSOAS NORMAIS E TAMBÉM DOS CRISTÃOS FIÉIS.
    DEIXA OS CIDADÃOS EXPOSTOS A TER DE RESPONDER CRIMINALMENTE, SE POR EXEMPLO, ESBARRAREM ACIDENTALMENTE NUM DESTES MARICÕES, ANDANDO PELA RUA, E O MESMO ARMAR UM ESCÂNDALO PÚBLICO, COMO ÊLES GOSTAM, ALEGANDO TER SIDO AGREDIDO.

     
  5. COMO ERA BOM O TEMPO EM QUE A IGREJA NÃO SE METIA COM APOLÍTICA!!!
    AI QUE SAUDADE,MEU DEUS!
    DAS MISSAS EM LATIM;DAS VISITAS DOS PADRES NAS CASAS DOS FIÉIS;
    DA PEREGRINAÇÃO DE NOSSA SENHORA DE FÁTIMA,PELOS CAPUCHINHOS;ETC…
    É SÓ!!!!!

     
  6. A CNBB tem-se caracterizado pela defesa dos direitos dos homens, da terra, da águra, dos animais, etc., porém, quando se trata dos Direitos de Deus nós lembramos que na história da Igreja houve épocas em que quase todo o clero aderiu à heresia.

     
  7. Com algumas honrosas exceções, CNBB = Judas Iscariotes.

    Ambos ligados (formalmente) a CRISTO; ambos traidores.

    Judas parece ter demonstrado ao menos algum arrependimento, pois reconheceu ter entregado o Sangue inocente e devolveu as 30 moedas de prata. Já muitos dos integrantes da CNBB, SE CONTINUAREM NESSE PASSO, poderão puxar a fila para o inferno e receber A MAIS RIGOROSA condenação.

    Que eles se arrependam PUBLICAMENTE e procurem PUBLICAMENTE reparar suas omissões e suas ATROCIDADES contra o CRISTO Total (JESUS + Igreja). Amém.

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome