O que a ecologia não diz

3

Ecologia é a palavra de ordem da moda. Tudo tem que se dobrar ante as exigências ecológicas: a agricultura, as construções, as barragens, as fábricas, o lazer, o próprio homem. A natureza é intocável.

Se o leitor se der ao trabalho de analisar o fundo do pensamento ecológico contemporâneo, no que ele tem de mais central, verá que ele repudia a ideia de uma natureza criada por Deus e que reflete as perfeições do Criador. É o culto do meio ambiente pelo meio ambiente, da natureza pela natureza.

Deixando à margem o que essa concepção tem de ateia, panteísta e gnóstica, fixemos apenas um ponto: com que olhos um católico deve ver a natureza? Qual é a verdadeira e mais elevada ecologia?

De um lado, é claro, ela contém tudo de que o homem precisa para manter-se. Dela tira ele o sustento para a vida, os medicamentos para as doenças, os abrigos nas intempéries, além de infindáveis outros elementos de apoio. Mas sobretudo o meio ambiente é o habitat criado por Deus para o homem nele crescer e formar sua alma, de modo a estar apta, no fim da caminhada desta vida, para o encontro com o Criador.

Essa finalidade mais alta do ser humano, a natureza nos ajuda a atingi-la de dois modos: a) admirando aquilo que ela tem de belo, reflexo do Supremo Artista que a modelou; b) tendo horror aos aspectos hediondos com que o pecado original marcou certos aspectos dela. De fato, Deus disse ao homem: “Porque comeste do fruto da árvore que eu te havia proibido comer, maldita seja a terra por tua causa” (Gen. 3,17).

*   *   *

cisneA foto ao lado, representando uma paisagem de outono no hemisfério norte, é um exemplo característico de beleza a ser admirada, e que eleva a alma. O colorido exuberante da vegetação espelha-se nas águas, formando um quadro impressionista de rara beleza. O casal de cisnes parece, mais do que nas águas, banhar-se naquela feeria de cores que sua alvura completa e contrasta. A cena, na sua simplicidade, é paradisíaca. Admirá-la, e encantar-se com ela, prepara a alma para o Paraíso.

*   *   *

cobraNa foto à esquerda, pelo contrário, a natureza nos apresenta um símbolo do mal e do pecado existentes nesta Terra: uma sucuri estufada após ter engolido um animal de grande porte. Dir-se-ia uma imagem do demônio, digna de ilustrar o inferno de Dante.

Estes aspectos pelos quais a natureza se nos apresenta como símbolo, ora do Céu, ora do Inferno, a corrente ecológica atual os ignora, voltada que está apenas para o endeusamento de minerais, plantas e animais, quando não é utilizada como instrumento para patrocinar o miserabilismo comunista…

 

3 COMENTÁRIOS

  1. Mauri Dutra Junior,

    Estou até agora tentando entender o objetivo deste texto. Qual o problema da cobra se alimentar? Acaso minha avó, que mata periodicamente as galinhas que cria em seu quintal (para comer)também é um “símbolo do mal digna de ilustrar o inferno de Dante”? Acaso um sabiá que arranca do solo uma minhoca para comer e a mata é uma imagem do demônio??
    Tudo bem que a Bíblia utiliza o simbolismo da serpente para representar o tentador, mas entender isto literalmente ou fazer certos tipos de aplicação (como o que está aí em cima) cheira a fundamentalismo protestante.
    É bom ressaltar também que o ambientalismo é um movimento histórico que possui expoentes muito sérios e bem intencionados, inclusive com opiniões conservadoras e de direita. Vale citar o falecido militar Ibsen Gusmão e o ambientalista ainda atuante Marc Dourojeanni como exemplos de pessoas assim.

     
  2. Sinceramente, costumo refletir todos acontecimentos com olhos de um Cristão, não vejo na 2ª foto nenhum mal, na minha humilde visão se trata de uma questão de sobrevivência, coisa natural que não causa nenhum desequilíbrio (presa e predador), pelo contrário essa relação quando não tem manipulação humana, sempre acontece de forma harmoniosa, como todo universo funciona (pois seu CRIADOR é perfeito). O Ser Humano sim por motivos capitalistas e políticos vem causando o desequilíbrio em nosso Planeta. Considerando que a Criação não é somente o nosso Planeta, que o universo é um todo, estamos talvez causando um desiquilíbrio maior que os apontados por estudos. Pois nossa tecnologia por mais avançada que seja é apenas o ABC diante de todo o poder do CRIADOR. Quanto mais nossos cientistas avançam em conhecimentos, cada vez mais, por mais que neguem, estão provando que Somos e fazemos parte de um Universo criado e não fruto de um mero acaso.

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome