Cruz de Bréscia

Não apenas com palavras podemos nos comunicar com os nossos semelhantes, mas também por gestos e outros meios.

Um movimento vertical da cabeça pode indicar assentimento, enquanto o movimento horizontal significa negativa.
Os exemplos são tantos que seria supérfluo deter-se neles. A linguagem dos gestos é tão extensa que, utilizando-a, dois mudos podem conversar entre si com toda comodidade.

Na célebre peça teatral Cyrano de Bergerac, seu autor, Edmond Rostand, imagina Cyrano sendo repreendido por um amigo por ter lançado fora um saco cheio de moedas. Este lhe diz: Que tolice! Ao que Cirano responde: Mas que gesto!

Se até os hereges podem falar por gestos, conforme artigo publicado nesta revista por Arnaldo Xavier da Silveira, em dezembro/1967, intitulado “Atos, gestos, atitudes e omissões podem caracterizar o herege”, quanto mais os santos.
Santa Terezinha, por exemplo, “oferecia a Deus todos os gestos e sacrifícios, do menor ao maior, pela salvação das almas”.

Se por essa forma podemos nos manifestar, pergunta-se: Deus também pode comunicar-se com os homens por gestos? O que seriam esses gestos divinos?

A resposta não pode deixar de ser positiva. A abertura do Mar Vermelho, para que através dele se salvassem os judeus perseguidos pelos egípcios, é um exemplo frisante. Nosso Senhor chicoteando os vendilhões do Templo, é outro exemplo.

Vamos dar um passo a mais. Hoje em dia, Deus ainda fala através de gestos? Essa pergunta me foi sugerida por um amigo.
Para um espírito timorato, a questão pode incomodar, mas é difícil, e pode chegar a ser temerário, negar a Deus essa possibilidade.

Talvez até uma atitude de indiferença ante os gestos de Deus possa caracterizar uma falta que faça Nossa Senhora chorar.

O terreno pode parecer escorregadio e afirmações peremptórias nem sempre encontram eco na realidade. Mas isso não significa que seja vedado levantar hipóteses a respeito. Essa possibilidade de arriscar interpretações possíveis, desde que razoáveis, é uma das faculdades mais preciosas que Deus nos deu. A própria ciência progride através de hipóteses, a serem depois confirmadas ou infirmadas.

Feitas tais ressalvas, alguns fatos poderiam, talvez, incluir-se na categoria de gestos de Deus. Exemplifiquemos.

1 – Na noite da renúncia de Bento XVI, um raio atingiu a Basílica de São Pedro.

2 – No início de 2014, um temporal de violência inusitada se abateu sobre o Santuário de Fátima, Portugal, danificando todo o seu perímetro. Nesses dias se comemoravam 75 anos da grande aurora boreal de 25 de janeiro de 1938, considerada como a realização do aviso de Nossa Senhora de catástrofes que viriam.

3 – Na antevéspera da canonização de João XXIII e João Paulo II, em 24 de maio, uma pesada cruz caiu em Bréscia (Itália) sobre um grupo de jovens, matando um deles e ferindo outro. A cruz havia sido erigida em comemoração da visita de João Paulo II à cidade em 1998. O rapaz morto morava na Rua João XXIII e alguns lembraram que Bréscia é a província natal de Paulo VI.

4 – Em 2013, com menos de um mês de intervalo, duas enormes calamidades atingiram as Filipinas. No dia 16 de outubro, um terremoto de magnitude 7.2 produziu grande destruição, inclusive de igrejas. Em 8 de novembro, o tufão Haiyan causou por volta de 2.500 mortes. Nas duas imensas tragédias registrou-se o mesmo fenômeno: imagens de Nossa Senhora e do Sagrado Coração de Jesus ficaram admiravelmente incólumes em meio aos escombros.

O leitor arrisca uma interpretação para esses fatos? Se quiser, pode escrever-nos.

 

5 COMENTÁRIOS

  1. “Atos, gestos e omissões podem caracterizar o herege”, só esse enunciado nos deve levar a uma profunda reflexão sobre …atos,…gestos,…e omissões. Poder-se-ia escrever um livro sobre esse tema, relacionando esses pontos com a História e com os grandes personagens – hereges ou santos – que a protagonizaram.
    Até as omissões podem servir de sinais…. .Devemos pensar muito sobre isso. Bela lembrança !

     
  2. Posso atestar que isto é um fato real, pois Deus se “serviu” de um acontecimento em minha vida para me converter!Louvado seja o seu amor misericordioso!

     
  3. Acredito,sim, que Deus se serve de sinais e gestos para nos converter. De muitas formas Deus quer nos alertar a fim de que nos voltemos para Ele.

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome