INCRA contrata empresa de “serviços de tecnologia da informação” para dar assistência técnica aos assentamentos da Reforma Agrária. Deve ser para a nova “plantação virtual” que além de inflar os números aparece vistosa na internet. Segue notícia de Roldão Arruda:

Empresa sem expertise ganha contrato do INCRA

BK Consultoria incluiu ”serviços de assistência e extensão rural” no objeto social pouco antes de fechar acordo de R$ 19,4 mi com instituto em SP.

O governo de São Paulo decidiu contestar na Justiça o resultado de uma chamada pública realizada pela superintendência regional do Instituto Nacional de Reforma Agrária (INCRA), órgão do governo federal. A chamada tinha como objetivo selecionar uma empresa para prestar assistência técnica aos assentamentos da reforma agrária no Estado. Um dos principais critérios para a escolha seria a experiência no setor. Segundo o governo paulista, porém, a empresa escolhida não tem experiência e cobra preços mais altos.

O governo paulista é representado na ação pelo Instituto de Terras do Estado (Itesp), que participou da chamada, anunciada oficialmente em setembro do ano passado. Com quase 600 técnicos e a experiência de assistência a 172 assentamentos no Estado, o Itesp apresentou ao INCRA uma proposta no valor de R$ 13,4 milhões – para atender, durante um ano, 194 assentamentos espalhados pelo território paulista.

O INCRA optou, porém, pela BK Consultoria e Serviços, que pediu R$ 19,4 milhões pelo mesmo serviço e foi contratada no mês passado. ‘Além do preço, que é R$ 6 milhões mais elevado, o que chamou nossa atenção foi o fato de a empresa escolhida não ter experiência em assistência e extensão rural’, conta o diretor executivo do Itesp, Marco Pilla. ‘Ignoraram a expertise de quase 30 anos que temos nesta área.’

A BK existe desde 1998 oferecendo serviços de tecnologia da informação, apoio à gestão, engenharia e serviços gerais. No dia 30 de setembro de 2010, exatamente 20 dias após o INCRA ter publicado o edital com a chamada pública, seus diretores registraram na Junta Comercial do Estado a inclusão da atividade de serviços de assistência e extensão rural no seu objeto social.

Fonte: http://www.paznocampo.org.br/Blog/Blog_db.asp

 

2 COMENTÁRIOS

  1. Não é por nada que em 1984, meu colega de turma de Agronomia já dizia” INCRA” significa
    Infelizmente Nada Coseguimos Ralizar Aqui. Na verdade pelo exposto na notícia de São Paulo, consguem roubar nosso suor. Cadê o MP, a PF ??? esse país carece de Homens Sérios!!!!!

     
  2. Brasil, terra com ausência de patriotas, terra dos que querem levar vantagem em tudo, terra da falta de educação, falta de saúde, falta de segurança e excesso de maus administradores, maus políticos, maus eleitores. A julgar pela matéria supra citada, só pode se tratar de alguma vantagem existir entre esta contratada e o contratante. È normal os meios políticos fazerem qualquer coisa para levar vantagem principalmente se for monetária. Existe prefeitura que coloca bloquete, e nem cobra dos munícipes, mas se analisar bem quem seria dono da fabrica de bloquete ou deles ou amigos e poderá haver vantagem monetária. O Brasil é assim, enquanto a população não acordar e cobrar de seus políticos, a coisa vai continuar, e neste caso especifico, tudo leva a crer que alguem ou é muito incompetente, sem inteligência sem capacidade de gerenciar um contrato ou foi comprado para aprovar com vantagem extra.
    Tenho fé e entendo que a única coisa que poderá livrar o Brasil das mãos dos parasitas é consciência e patriotismo do povo, que ao escolher seus representantes o façam corretamente, e não por algum interesse. Hoje a única coisa legal a fazer é começarmos a se organizar e cobrar responsabilidades dos que estão lá para governar, administrar em todas as esferas.

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome