Plebiscito para limitar a propriedade

Veja trecho abaixo publicado em “O Globo”. Infelizmente, clérigos e prelados continuam a usar o nome de católicos para espalhar “os erros da Rússia”, condenados e denunciados por Nossa Senhora em Fátima, e veementemente condenados pela doutrina católica.

Com efeito, o direito de propriedade é um direito sagrado, protegido por dois mandamentos da lei de Deus: 7º – Não roubarás e 10º – Não cobiçarás as coisas alheias. E essa limitação da propriedade reivindicada pela CPT não é senão um passo para igualar as propriedades e depois coletivizá-las, sufocando o incentivo à produção e levando às misérias da Rússia comunista.

O Globo, quinta-feira, 27 de maio de 2010

Panorama Político

Plebiscito para limitar a propriedade

O Congresso da CPT, ligada à CNBB, decidiu realizar um plebiscito com o objetivo de “colocar um limite à propriedade da terra”. A consulta foi marcada para a Semana da Pátria, quando também ocorre o Grito dos Excluídos.

A iniciativa é parte de uma campanha pela emenda constitucional que “estabelece um limite máximo à propriedade da terra no Brasil”.

 

4 COMENTÁRIOS

  1. Penso que o dia das eleições é divisor de interesses; até a vespera da eleição temos os candidatos a favor do povo, com discursos inflamados em defesa da educação, saúde, etc, coisas que sabemos que prometem mas não cumprem. Depois do dia da eleição os eleitos voltam as costas ao povo para comporem a maioria para a governança dos gestores. Assim ficamos mais quatro anos na anarquia, no caos social. E passam a atuar em áreas totalmente diferentes das propostas sociais.
    Há uma mobilização dos homossexuais em torno dos candidatos elegíveis para que se cmprometam com eles em aprovarem Leis que os favorecem, quandoeleitos forem.
    Está na hora de também nós, cristãos conscientes, a listarem e divulgar os nomes dos que são a favor das aprovações de certas ideologias tidas como direitos humanos, para que possamos não eleger a quem se posiciona contrarios desde já.
    Sabemos que há um problema embutido nesse contexto, é que os tais ainda permanecerão em seus partidos, influenciando resultados, assessorando os eleitos nesses mesmos interesses. A ficha limpa é e será um papel higiênico usado e deixado fora do cesto.
    Outro problema é a lábia de quem se posiciona a nosso favor, mas no fundo camufla o interesse em ver aprovado aqueles projetos.
    Mesmo assim devemos lutar e divulgar a lista. E depois, no dia seguinte as elelções, manter a pressão sobre os candidatos elelitos, marcar presenças no Congresso para pressionar a que não votem lei que contrarie a Vontade de Deus, que sabemos ser Sagrada ao Povo de Deus, em todo mundo.
    Quanto aos clerigos e prelados, devem seguir o exemplo do Mestre Jesus, que foi solicitado para resolver uma questão de terra em dois irmãos e Ele recusou. Não entra em questões materiais dessa natureza. Deus criou a terra para todos, como o ar que respiramos a água que bebemos.

     
  2. Essa é boa. Plebiscito para limitar a propriedade.

    Vão pegar outra taca, assim como aconteceu no referendo sobre o desarmamento. Esses comunas não aprendem mesmo.

     
  3. Prezados leitores,

    Acima das paixões politicas de clérigos e mandatários temporais do poder politico em especial na esfera do executivo, a grande maioria silenciosa de eleitores, obrigados por lei a compareçer as urnas e que pagam com suor de seus rostos a maior carga tributária do planeta atualmente, irão decidir no proximo pleito eleitoral para renovação de cargos politicos.

    Assim saberemos logo após outubro vindouro o que vira daqui por diante na matéria e certamente todos nós pagaremos o alto preço social e politico pelos eventuais erros de escolha politico eleitoral destes.

    Por manterem no poder tais ditas lideranças populistas etc…seduzidos por marketing politico inteligente e bem pago com o erário público e ditas doações financeiars de seus correligionários,

    Nada mais em bom senso a acrescentar.

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome