Novo presidente da China acaba com Estado de Direito e expurga dissidência

Estão se multiplicando as prisões de ativistas pelas liberdades
Estão se multiplicando as prisões de ativistas pelas liberdades

Um documento interno do PCC – Partido Comunista da China – acaba de alertar os chineses para os perigos dos “valores ocidentais”.

Segundo o “New York Times”, a iniciativa é do próprio presidente Xi Jinping que assumiu a liderança do partido em novembro do ano passado.

O “Documento Número 9” enumera os sete perigos maiores voltados contra o poder do PC. O primeiro seria a “democracia ocidental constitucional”.

Os outros incluem “valores universais”, direitos humanos, liberdade de imprensa, conceitos “neoliberais” de economia de mercado e críticas “niilistas” à história do Partido Comunista.

Xi Jinping: proibido falar em democracia, direitos humanos, Constituição e "capitalismo" condenável
Xi Jinping: proibido falar em democracia, direitos humanos,
Constituição e “capitalismo” condenável.

“Forças ocidentais hostis à China e dissidentes dentro do país continuam infiltrando constantemente a esfera ideológica”, diz o texto.

A linha dura da nova liderança decepcionou os liberais e até ex-dirigentes moderados, que esperavam mudanças com a ascensão de Xi.

De fato, as recentes prisões de ativistas demonstram que as ameaças do documento estão sendo levadas a sério.

Xi também ordenou o combate aos que defendem a independência do Judiciário e a limitação da onipotência do Partido pela Constituição.

“O constitucionalismo pertence só ao capitalismo”, fulminou o “Diário do Povo”, jornal do PCC.

“Constitucionalismo se tornou palavra ameaçadora ao governo. Sob a liderança anterior, ao menos havia alguma discussão”, lamenta Hu Jia, dissidente que passou três anos preso, acusado de subversão.

Dessa maneira nenhuma lei pode ser objeto de debate livre e democrático.

Para o governo socialista da China comunista nenhuma lei é digna de respeito.

Mas, apesar de isso ter sido sempre assim, também sempre existiram aqueles que acreditavam na vigência do que estava escrito na Constituição chinesa.

 

7 COMENTÁRIOS

  1. é verdade infelizmente muitos professores do curso de serviço social são extremamente marxistas e ferrenhos defensores do castrismo de Cuba e do comunismo Chinês.

     
  2. Muito bom o comentário de Fernando Lima, a imprensa brasileira levanta uma gigantesca onda contra a “espionagem americana”
    mas não move uma “marola” para os “mal feitos” chineses! Parece que “pega bem” falar mal dos americanos! Nossa elite intelectual não
    enxerga erros na China, Coreia do Norte ou Cuba! Sociedades
    perfeitas! Na visão deles!

     
  3. Nossa imprensa está a serviço do socialismo (comunismo); nossos jornalistas passaram por uma mudança mental durante o curso que fizeram na universidade, agora o alvo deles é transformar o mundo; e nossos políticos já foram “comprados” por um Mensalão modificado.

    De onde virá uma reação contra esse avanço socialista?

     
  4. Por que a mídia mundial está levantando uma onda gigantesca contra os EUA por causa das espionagens? Como se não houvesse de parte a parte ações como a que condenam veementemente. Porém, o que está descrito neste importante artigo não merece, da parte da mesma mídia, nenhum destaque. Onde estão os tais direitos humanos? Ora, conclui-se que direitos humanos são só pretexto para favorecer a ideologia de esquerda. No Brasil ela é utilizada na Comissão da Verdade que só quer apurar os supostos crimes contra a esquerda guerrilheira.

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome