Protegendo a Família do Inimigo Interno

4

PS-Kroyer

Muitos pais se dão por satisfeitos se alcançam êxito em proteger seus filhos das péssimas influências externas. Só que eles também precisam considerar as más-influências e distrações que aparecem dentro do seio familiar. Os pais deveriam dedicar uma grande atenção ao desenvolvimento de relações amistosas; numa atmosfera de carinho intenso.

A vida moderna tende a conspirar contra essas relações. Com muita frequência, as famílias vivem nas mesmas casas, mas não se comunicam. Os membros da família trazem, para dentro do lar, o ritmo frenético, a agitação e as agendas ocupadas que orientam suas vidas fora de casa.

Evan_Davis_at_the_Royal_Wedding_Apr_2011-233x300“Frequentemente, na fragmentação da família”, escreve o Dr. Peter Whybrow, “os membros voltam-se para seus próprios interesses – jogar videogames, assistir televisão, escrever e-mails, trabalhar no computador, falar ao telefone – de modo que a casa não seja mais um lar, mas uma estação para outro mundo” (Peter C. Whybrow, American Mania: When More is Not Enough, W. W. Norton, Nova York, 2005, p. 242).¹

Perdidas são as refeições que deveriam ser partilhadas. Atividades familiares espontâneas como conversar, cantar e se distrair são substituídas por ocupações sem qualquer interação. Enquanto tudo isso ocorre, muitos pais vivem a ilusão de que essas falhas podem ser compensadas se eles tiverem um “tempo de qualidade” com as crianças. Tais intervalos, frequentemente, não possuem nem qualidade nem tempo, visto que todos estão comprometidos com suas próprias rotinas estafantes.

Qualquer retorno à ordem deve se basear no retorno à vida familiar. Deve-se incluir a presença física do pai, da mãe e dos membros da família – já considerando isso um grande feito; nesses tempos de divórcio e guarda compartilhada. Entretanto, deve-se instituir, especialmente, aquela interação natural e espontânea que une os membros da família na alegria e na tristeza, e que faz da família uma unidade social insubstituível para a sobrevivência da sociedade.

¹ Título do livro: “Mania Americana: Quando Mais Não é o Bastante”, em tradução livre.

(Tradução: Fabio Ramos)

Link original da notícia: http://www.returntoorder.org/2014/04/protecting-the-family-from-the-enemy-within/

 

4 COMENTÁRIOS

  1. Hoje em dia, é considerado correto deixar os filhos fazerem o que quiserem. É uma tristeza ver filhos gritando com os pais, desonrando-os. E os pais não têm a mínima consciência de que estão descumprindo os preceitos da Bíblia.

     
  2. A destruição da Familia é consequência de diferentes situações na vida de um ser humano. Uns levam a risca seus deveres para conseguir uma sociedade coesa, bem disposta e sadia para um futuro melhor de correção,trabalho e bem estar visando o futuro dos filhos.
    Em contra partida existem os outros prestes para destruir todo aquilo que signifique valor, princípios, respeito, ordem criando instabilidade caos e deturpando, caluniando, separando, mentindo e perseguindo a quem não compactua com esses arautos da desgraça.
    Por isto é muito importante sempre ter tempo para trocar ideias com sua própria Familia e especialmente com os filhos, eu não tive essa sorte, porém sempre peço a Deus pela união familiar.

     
  3. Estou apavorado. Sou estudante de odontologia e neste curso, possui uma disciplina chamada”Saúde coletiva”. Em um relatório, critiquei de forma contundente a disciplina e, parece que fez efeito. A linguagem mudou (lembrei do Papa São Pio X),a professora passou a nos contar que a “Saúde” não é exclusividade do governo, que o sistema não exclui a participação da iniciativa privada e família. Bom, ela é vinculada a partido de esquerda, é mentirosa e imbecilizada, evita o debate e manobra, colocando aqueles que podem a contradizer distante de certas pesquisas.
    Estou enviando o que coloquei no Facebook da turma, como também o tal relatório. No final, precisarei abrir os olhos dos senhores para um fato que esta passando desapercebido.
    No facebook:
    Olha a mentira que está sendo contada: nós não teremos direito a escolha, o governo vai nos obrigar a usar o “SUS”. Em breve esses ditadorezinhos da saúde coletiva iram nos impor isso: Diretriz da 14ª CNS. E a lavagem cerebral começa com aquela disciplina eufemística “Saúde Coletiva”. É preciso repudiar, antes que vire “Venezuela”.Leiam o que diz a diretriz Nº 1 parte 2:
    2 Garantir que o SUS se mantenha como Política de Saúde Pública e oficial do
    Estado brasileiro, assegurando a gestão das políticas específicas e de todos os seus
    serviços próprios, nos três níveis de governo, exclusivamente pelo setor público.
    Considerando-o como grande gestor, não segmentado, que deve exercer o controle, a
    regulamentação e a fiscalização de todos os serviços e ações de saúde, inclusive os de
    natureza privada, de modo a estabelecer a preponderância do interesse público sobre
    o privado e a garantia dos direitos dos cidadãos em todos os âmbitos institucionais.
    Foram quatorze conferencias, todas elas definiram metas e foram todas colocadas em pratica. A 8ª em 1986, definiu o “SUS”, a 12ª em 2003 definiu a regulação do setor privado. Bom a 14ª, está ai, parte dela. Ainda não contei o pior: existe para cada esfera de governo um conselho DE SAÚDE com poderes enormes e participação “popular”. Na esfera municipal(conselho municipal de saúde) possui os poderes de execução e fiscalização. Na esfera federal possui enorme capacidade de articulação e, a nova presidente deste conselho é uma representante do CONTAG,seu nome é Maria do Socorro de Sousa.
    Que a verdadeira Maria Do Socorro nos socorra.
    O tal relatório:
    Relatório:
    O autor da apostila ligada à odontologia legal deste curso, assim concluiu; “de acordo com os avanços tecnológicos e científicos, recomenda-se a discussão pelos órgãos competentes (Conselhos regionais e federais de odontologia Associações e Sindicato) e a constante atualização, analise e arguição da categoria odontológica para a sua melhor interpretação.”.
    Ao participar em uma dessas reuniões, como acadêmico, foi esclarecedor e confirma a opinião do antropólogo Gilberto Freyre ao comentar o distanciamento da elite brasileira com as verdadeiras necessidades do povo brasileiro, chegando a ser pernóstica prolixa e sem espirito empreendedor.
    Observando o ambiente coletivista, me senti um peixinho no mar (o mar seria o ambiente coletivista), assim procurei praticar o exemplo de Xi Jinping(presidente da China pós Mao Tsé Tung) que sobreviveu ao período do “Louco Mao”, mantendo a boca calada. Sensações a parte, agora é possível compreender o motivo da disciplina “Saúde coletiva”, o nome em si, é eufemístico, republicano seria “Politicas Publicas para Saúde”. Esta disciplina revela a história da universalização da saúde e, como os governos brasileiros arquitetaram para roubar o direito à saúde, buscando implantar um estado totalitário (ao estilo “Gramsci”).
    Como esta disciplina parece ser ministrada de forma ideológica e evitando uma reflexão epistemológica, logo, seria uma imposição ditatorial. O que nos remete ao patriarca desta nação, José Bonifácio;
    “Sem liberdade individual não pode haver civilização nem sólida riqueza; não pode haver moralidade, e justiça; e sem estas filhas do céu, não há nem pode haver brio, força e poder entre as nações”.
    Já sobre o que se pretende com a saúde, via inclusão, igualitarismo, coletivismo, o então Cardeal Bergoglio (Papa Francisco) em entrevista a um repórter “engajado” Mathews… (igualitarista que se considera mais igual que os outros), assim denunciou;
    O “cardeal respondeu:” – Primeiro na Europa e agora nas Américas, alguns políticos têm se dedicado a endividar as pessoas, fazendo com que fiquem dependentes. – E para quê? Para aumentar o seu poder. Eles são grandes especialistas em criação de pobreza e isso ninguém questiona. Eu me esforço para lutar contra esta pobreza. – A pobreza tornou-se algo natural e isso é ruim. Minha tarefa é evitar o agravamento de tal condição. As ideologias que produzem a pobreza devem ser denunciadas. A educação é a grande solução para o problema… – ”Devemos ensinar as pessoas como salvar sua alma, mas ensinar-lhes também a evitar a pobreza e a não permitir que o governo os conduza a esse estado lastimável”.
    Mathews ofendido pergunta: – O senhor culpa o governo?“- Eu culpo os políticos que buscam seus próprios interesses. Você e seus amigos são socialistas. Vocês (socialistas) e suas políticas, são a causa de 70 anos de miséria, e são culpados de levar muitos países à beira do colapso. Vocês acreditam na redistribuição, que é uma das razões para a pobreza. Vocês querem nacionalizar o universo para poder controlar todas as atividades humanas. Vocês destroem o incentivo do homem, até mesmo para cuidar de sua família, o que é um crime contra a natureza e contra Deus. Esta vossa ideologia cria mais pobres do que todas as empresas que vocês classificam de diabólicas”.
    Replica Mathews: – Eu nunca tinha ouvido nada parecido de um cardeal.
    “- As pessoas dominadas pelos socialistas precisam saber não têm que ser pobres”
    Como recebi a missão de apresentar um relatório, ai esta, no mais, ficarei, enquanto não for provocado, calado e observando esta turma, como nos conta sobre o tema o cantor e compositor Lobão “ é uma turminha que masturba com o membro alheio”. .

     
  4. A defesa da família torna-se a cada dia mais importante neste mundo em que vivemos em que mais parece que a Terra foi virada de pernas para o ar.
    O dever de pais e mães é manter a família unida, reunida e educada sob princípios Cristãos!

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome