REFORMA AGRÁRIA, ESSA CINQUENTONA (III)

O jogo vale a vela?

Na verdade, o INCRA mantém a política de não conceder o título de propriedade da terra ao assentado sob a alegação de que ele poderá vendê-la…

Segundo dados mais atualizados do INCRA, apenas 2,54% dos assentados teriam recebido título de propriedade e outros 2,81% teriam apenas um contrato de concessão de uso.

Os demais 94,66% – equivalentes a 1.058 milhões de assentados – se encontram na terra do Estado sem nenhuma garantia.

Não se pode deixar de concluir que a quase totalidade dos assentados se encontra totalmente dependente de seu patrão, o todo poderoso governo.

Na prática, os assim chamados ‘sem-terra’ estão longe de se tornar proprietários, enquanto esperam pela promessa de mera concessão de uso. Portanto, os ditos sem terra continuam sem terra.

Este governo-patrão (INCRA) está constituído por 6.500 funcionários, com um ativo imobilizado na ordem de 230 milhões de reais e com despesas anuais 2.400 bilhões.

 

2 COMENTÁRIOS

  1. A cinquentona Reforma Agraria ésta velha e desdentada, mas, tem seu veneno. Fidel Castro também acha que a velha desdentada já deu o que tinha para dar e até ele resolveu dizer que é bom que se aposente.

     
  2. A falta de politica agraria clara e transparente é mais um obstaculo real que mostra a ineficacia do modelo federal de gestão de terras da União sem duvidas.

    Fatos reais recentes e criminosos da exploração e manipulação do grande contingente de chamados “sem terras” por movimentos sociais ditos socialistas democratas tais como MST e congeneres denunciados pela midia nos mostram claramente que os objetivos escusos
    se concretizam em nome da tao decantada DEMOCRACIA por tais artifices bem conhecidos que vivem dos recursos publicos e nada de concreto e eficaz fazem em prl da tal REFORMA AGRARIA.
    Enfim uma grande farsa financiado pelo dinheiro público ja que as ditas lideranças de pseudos movimentos sociais nao abrem ao TCU e ao grande publico pagante de impostos federais sua contabilidade por nao terem ademais nem mesmo registro no CNPJ do MF.

    A midia nacional e internacional ja expuseram tal dramatica problemática aos leitores cosncientes e bem informados e qeu esperam silenciosamente a real solução ;

    Ate quando iremos esperar tal solução e o correto e competente uso de recursos publicos na questão agraria d evital importancia a qualqur nação séria?

    Portanto sem manipulações duvidosas e criminosas de tais mesmos recursos financeiros de repasses a tais ditas lideranças soiciais que vivem em viagens e foruns pelo mundo inteiro em especial a Cuba e nações de governos ditos socialistas atraves de ONGS e outros artificios legais para tais pseudo entidades diats sociais sem mesmo regsitro oficial para que nao sejam alvos do MPF,TCU e etc.como ja comprovado em denuncias sérias de meios de comunicação.

    A omissão do Estado a tal seria matéria feita por orgãos ineficientes ocasiona tal situação ora em tela, de alto custo financeiro com folhas de pagamentos vultuosas sem eficaz gestão de tais ditos orgãos de controle federal e profissional, loteada por partidos politicos em seus cargos de comando, sem competente e realista resposta as demandas sociais preementes da atualidade nacional na vertente agrária.

    Este é o triste panorama visto da ponte enquanto o Brasil mantem-se com seu agronegocio em debacle de acordo com fontes oficiais, diante da politica tributaria erronea adotada na atualidade ná nação por seus mandatarios.

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome