Relaxar a moral e a pastoral da família? Veja os desastrosos resultados do protestantismo histórico

Inglaterra. Primeira bispa anglicana. Fiéis fogem em debandada.
Inglaterra. Primeira bispa anglicana. Fiéis fogem em debandada.

Atrair fiéis relaxando os preceitos morais e as “pastorais” matrimoniais? Lutero, Calvino, Zwinglio e compinchas já o tentaram. Com que resultado?

O blog italiano Rossoporpora apresentou dados estatísticos sobre o protestantismo histórico que falam por si próprios.

Na Alemanha, pátria de Lutero, os protestantes somavam em 1990 29,4 milhões e constituíam 36,9% da população. Em 2004, eles caíram para 26,2 milhões e 31,5%. Com a entrada do “casamento” homossexual, em 2013 eles eram 23,3 milhões e 29%.

Os católicos, muito exageradamente apontados como rigoristas, somavam 28,5 milhões e 35,4% em 1990; em 2013, eles eram 24,2 milhões e 30%.

De 2004 a 2013, os batismos protestantes despencaram de 236.000 para 187.000, e os casamentos desceram de 59.000 para 49.000. No mesmo período, a participação no culto dominical desceu dos exíguos 4% para 3,5%.

Na Suíça de Zwinglio, Calvino e Forel, em 1970 os protestantes constituíam 48,8% da população, dois pontos acima dos católicos. Em 2000, sua degringolada atingiu 33,9% e, em 2013, 26,9%.

Os católicos, influenciados pelo relaxamento do ambiente pós-conciliar, também caíram: de 46,7% em 1970 passaram a 42,3% em 2000, e a 38,2% em 2013. Apesar de tudo, tornaram-se o grupo religioso majoritário.

Em 2012, na Suíça e na Alemanha, o protestantismo registrou mais apostasias que o catolicismo.

Na Holanda, os protestantes constituíam 35,9% da população em 1971, mas em 2010 só eram 15,6%. Os católicos gangrenados pelo progressismo também desceram, embora um pouco menos: de 40,4% passaram para 24,5%, permanecendo o maior grupo religioso.

Na Dinamarca, na Suécia, na Noruega e na Finlândia, países oficialmente protestantes – luteranos na sua maioria –, os católicos constituíram sempre minoria muito pequena.

Abandono das igrejas na Republica Checa inspirou esta'obra de arte' de pesadelo de Jakub Hadrava.
Abandono das igrejas na Republica Checa inspirou esta “obra de arte” de pesadelo de Jakub Hadrava.

Esses países exibiam maiorias protestantes superiores a 80%. Hoje, na Suécia, os não crentes ostensivos são 45%, enquanto na Noruega, com o “casamento” homossexual deteriorando, eles constituem 33%.

Na Finlândia, logo após o Parlamento aprovar a união sodomítica, mais de 13.000 protestantes abandonaram suas comunidades.

Na Grã-Bretanha, em 1983 os anglicanos representavam 40% da população, mas em 2012 só eram 20%. Os católicos diminuíram de 10% para 9%.

Após o sacerdócio feminino anglicano, três bispos e 50 sacerdotes se converteram à Igreja Católica.

Os anglicanos também aceitaram as “bispas” e anunciaram padres e bispos homossexuais, além do aprovar a bênção do “casamento” homossexual.

Resultado: em 2013, a participação dos anglicanos nos cultos dominicais caiu de 1,2 milhões para 800.000, ficando por baixo do número dos católicos que assistem à Missa.

Esses números apontam a falsidade da suposição de que se pode atrair fiéis acolhendo a imoralidade e o relativismo sexual.

Pelo contrário, a prática séria e exigente dos Mandamentos divinos como o Magistério Tradicional da Igreja sempre ensinou é a única via para atrair e salvar as almas sinceramente ávidas do Bem, da Verdade e da Fé.

 

8 COMENTÁRIOS

  1. A deforma protestante (com todas as suas heresias), mãe do secularismo, foi um verdadeiro declive escorregadio, tanto que chegou a esse ponto aí. E alguns protestantes, do tipo que chamam a Igreja Católica de besta do Apocalipse, cheios de blasfêmia, ainda vêm falar de conservadorismo, sendo que eles honram esses “reformadores”, ou melhor, deformadores radicais que no espectro político se enquadram exatamente na extrema-esquerda. É cuidar para que a Santa Igreja não caia nessa também. (Mateus 16:18)

     
  2. Lá na França onde Nossa Senhora apareceu e nos deixou mensagens para a reza do terço, estão demolindo as Igrejas Católicas. O mundo está se pervertendo de uma forma tão rápida como aconteceu em Sodoma e Gomorra, e estas cidades foram destruídas pelo Anjo de Deus. No futuro, o que acontecerá a este mundo tão descrente, sem temor a Deus?

     
  3. Jesus instituiu a Igreja Católica, via Pedro, 1º Papa.Depois veio a Ortodoxa, dividindo-a.Após houve a criação do Luteranismo, Calvinista e Zwinglio que não aceitaram a autoridade de Pedro, criando e se auto definindo Bispo.Para melhor estudar indico o Livro de Scoth Hans – Todos os Caminhos levam a Roma como ainda o Sangue do Cordeiro do mesmo autor. Ele é PHD em teologia e filosofia. Ele fez teses com todos os assuntos em que os protestantes não concordavam e não concordam ainda hoje chegando a conclusão de que a Igreja Católica é a única verdadeira.Se tiver coragem leia os livros, invoque o Espírito Santo antes de os ler e você verá o seu coração renovado com a verdade ensinada pelo Deus Criador; pelo Deus Redentor e pelo Deus Espírito Santo, porque são eles que irão libertar seu coração, sua mente e seu espírito para o conhecimento da verdade.

     
  4. Com certeza os números tendem a cair cada vez mais, pois na medida que certas situações vão sendo consideradas naturais, mais esse povo se afasta de Deus e portanto da Igreja.

     
  5. Isso tudo vai acabar como Sodoma e Gomorra.
    Isso é tão antigo como o próprio Inferno.
    Quando tomei conhecimento da Mensagem de Nossa Senhora de Fátima fiquei um tanto perplexo:
    Por que Nossa Senhora faria do dogma do Inferno, tantas vezes registrado nas Sagradas Escrituras, um “Segredo”?
    Todo o relato deste artigo do sr. Dufaur indica, por parte dos que aceitam essas aberrações, a negação da existência do Inferno e seus tormentos eternos.
    Uma vez caído no Inferno jamais sairá. Jamais…,jamais…, jamais.
    Muitos Santos da Igreja Católica se santificaram com esse pensamento.

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome