“Rezemos pelo Brasil” – Mensagem do Chefe da Casa Imperial do Brasil

8

É com o espírito carregado de graves apreensões que venho considerando os mais recentes acontecimentos de nossa vida pública. As instituições são desrespeitadas, a insegurança jurídica aumenta, a faculdade de opinar vai sendo ameaçada, insuflam-se conflitos entre brasileiros, sobre as forças dinâmicas da Nação se abatem legislações cada vez mais sufocantes e até nossa diplomacia – outrora reconhecida por seu equilíbrio e subtileza – é vilipendiada.

Aumenta, dia a dia, em considerável parte de nossa população – afável, ordeira e laboriosa – o sentimento de inconformidade e rejeição ante os crescentes desmandos de algumas de nossas mais altas autoridades, obstinadamente comprometidas com metas ideológicas avessas ao sentir da alma cristã de nosso povo.

O País assiste nestes dias, estupefato e incrédulo, ao que algumas vozes ponderadas já não hesitam em qualificar de um moderno tráfico de escravos ideológicos.

A classe médica e considerável parte da população vê com aversão a vinda (“importação”!) para o nosso País de médicos cubanos como “solução” para um sistema estatal de saúde em boa medida falido, devido ao descaso do próprio governo.

Enviados para o Brasil – a mando das autoridades que há décadas envolvem a outrora pérola do Caribe nesse ambiente obscuro, miserável e trágico, típico das nações-masmorras sobre as quais se abateu o comunismo – tais médicos são massa de manobra de inconfessados desígnios.

Enquanto é legítimo duvidar dos conhecimentos científicos de muitos deles, não é difícil conjecturar que alguns aqui desembarcarão como agentes da ideologia socialo-comunista vigente em Cuba, como tem acontecido em países como a Venezuela e a Bolívia.

Além disso, muitos, separados propositalmente de seus familiares, aqui ficarão confinados em seus locais de trabalho, sem que seja clara a garantia de sua liberdade de ir e vir, bem como de outros princípios básicos de nosso Estado de Direito. Isso para não mencionar que parte do pagamento deste trabalho escravo hodierno será enviado pelas autoridades brasileiras às autoridades do regime cubano.

A se consolidar esta espúria operação, o Brasil terá sido empurrado decididamente para os descaminhos do totalitarismo. Hoje escravidão de pobres cubanos, amanhã talvez de brasileiros.

É, pois, com repulsa que vejo autoridades da República, com profundos laços ideológicos com o regime comunista de Cuba, fazerem semelhante acordo, favorecendo ademais a sobrevivência de uma ditadura que visa estender pelo território brasileiro os males com que o expansionismo castrista fustiga há décadas países de nosso Continente.

Para que o Brasil prossiga sua trajetória histórica sem conhecer as discórdias, agitações e até morticínios que têm caracterizado as revoluções de índole social-comunista, urge que os brasileiros, das mais diversas condições, abandonem certa inércia desavisada na qual se encontram e se articulem para fazer refluir as ameaças que, contrárias ao modo de pensar, de agir e de viver, da grande maioria de nossa população, vão baixando sobre o País.

É neste sentido que elevo minhas preces a Nossa Senhora Aparecida, a quem Dom Pedro I consagrou o Brasil, logo após nossa Independência, como Padroeira e Rainha.

Dom Luiz de Orleans e Bragança é bisneto da princesa Isabel e Chefe da Casa Imperial do Brasil.

 

8 COMENTÁRIOS

  1. Dom Luis, vejo com muita tristeza todos os acontecimentos que a mídia tem veiculado. Sinto que nem tudo está sendo dito. A imprensa estrangeira sabe muito mais de nós do que nós mesmos .Estrou apreensiva como muitos brasileiros…..Mas ainda vejo uma população desinformada repetindo chavões antigos, cheios de preconceitos, demonstrando ter fugido da escola, se influenciando com falsas ideologias. Só mesmo pedindo a Nossa Senhora Aparecida para nos proteger. A verdade é que o Brasil por ser muito grande está ingovernável. Antigamente alguns Estados tiveram a idéia de se separar do Brasil. Fico pensando…..não será essa uma boa idéia?!!!!

     
  2. Eu aconselharia ao Sr Josias a ler os livros de historias 1808,1822,D.Pedro II,1889 e o livro Guia Politicamente Incorreto da Historia do Brasil pois Garanto que mudara de opinião a respeito de nossa Monarquia e vera o quanto nós Brasileiros fomos e somos enganados por esta republica vergonhosa e esses Políticos corupítos e se Dona Dilma esta preocupada com o Obama estar vigiando ela é só olhar o passado dela

     
  3. Prezados senhores Josias e Abraão(não vem ao caso atacar a democracia aqui), peço que releiam o texto da Declaração de D. Luiz de Orleans e Bragança, se é que o leram deveras.
    Na leitura, notarão que todo o conjunto do pensamento de Sua Alteza Real e Imperial está apoiada em fatos.
    Eu, como brasileiro, participo inteiramente do espírito desta Declaração.
    Digam-me, por favor, no que vocês não concordam.
    Vamos lá, dêem as premissas e cheguem a uma conclusão. Coragem ! É preciso saber conversar.
    Invectivas, xingamentos, não é próprio de pessoas civilizadas.
    Isso vale para todos, inclusive para mim.

     
  4. Concordo plenamente com Dom Luiz e discordo do Josias. A casa Imperial é constituída de pessoas respeitáveis e cultas que conhecem muito bem a História deste País e vê o perigo que ameaça nossa liberdade.

     
  5. Dom Luiz mostra possuir uma lucidez que infelizmente falta a nossos atuais políticos. A História nos mostra que a democracia presidencialista se mostrou incapaz de guiar nossa pátria. Espero que algum dia tenhamos uma REAL mudança para dias políticos melhores.

     
  6. Não existe Casa Imperial do Brasil. Nosso país agora é uma democracia, e é uma lástima ver que uma parte de nossos impostos vai para alimentar essas criaturas que nunca serviram e não servem para nada. Imperialismo sempre foi virtual.

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome