A solução para extinguir incêndios é não combatê-los?

Coliseu-1024x693

Corre o mundo em nossos dias uma teoria extravagante: toda ideologia, quando contrariada frontalmente, com isto mesmo se desenvolve. Assim, quando queremos combater uma ideia, devemos antes de tudo não a atacar de frente. A contradição age sobre as ideias como o vento sobre a brasa. Não é com vento, mas com cinza, que as brasas se apagam. Não se extinguem os grandes erros atacando-os, mas deixando-os cair no esquecimento.

Em abono desta tese, invoca-se um exemplo: o que conseguiram contra a Igreja nascente as primeiras perseguições? Excitaram apenas as convicções dos fiéis.

* * *

Não se pode negar que, em algumas circunstâncias muito especiais, o esquecimento é o melhor modo de combater certas doutrinas. Nem por isto se há de adotar, como regra comum de prudência, o princípio de que o melhor meio de extinguir incêndios consiste em os deixar lavrar à vontade, fazendo completa abstração deles.

A esta reflexão, outra se acrescenta. Os autores de maior peso da Igreja costumam afirmar que as perseguições constituíram uma provação terrível que, humanamente falando, teria dado cabo do catolicismo. Se este não soçobrou, seu triunfo não se deve a razões humanas, mas a motivos sobrenaturais. Visto assim o problema, segue-se que, humanamente falando, a tática dos Neros e dos Calígulas não foi má: foi excelente, e tão excelente que só por milagre não atingiu seu fim.

E é lógico. Porque, do contrário, se a Igreja é uma árvore que só cresce e frondeia a golpes de machado, os grandes benfeitores do catolicismo seriam os Neros, os Calígulas, os Stalins ou os Hitlers.

Ninguém levaria a insânia a ponto de subscrever esta tese.

Fonte: “Legionário”, Nº 745, 17 de novembro de 1946, 7 Dias em Revista.

 
COMPARTILHAR
Artigo anteriorO Papa atenderá à súplica?
Próximo artigoAs relíquias na grande estátua da basílica de São Martinho de Tours
Plinio Corrêa de Oliveira
Homem de fé, de pensamento, de luta e de ação, Plinio Corrêa de Oliveira (1908-1995) foi o fundador da TFP brasileira. Nele se inspiraram diversas organizações em dezenas de países, nos cinco continentes, principalmente as Associações em Defesa da Tradição, Família e Propriedade (TFP), que formam hoje a mais vasta rede de associações de inspiração católica dedicadas a combater o processo revolucionário que investe contra a Civilização Cristã. Ao longo de quase todo o século XX, Plinio Corrêa de Oliveira defendeu o Papado, a Igreja e o Ocidente Cristão contra os totalitarismos nazista e comunista, contra a influência deletéria do "american way of life", contra o processo de "autodemolição" da Igreja e tantas outras tentativas de destruição da Civilização Cristã. Considerado um dos maiores pensadores católicos da atualidade, foi descrito pelo renomado professor italiano Roberto de Mattei como o "Cruzado do Século XX".

2 COMENTÁRIOS

  1. Sempre achei que divulgar noticias de acontecimentos que os terroristas e outros perseguidores contra a Igreja é dar espaço a eles, deixando de ocupar os mesmos e nossos espaços. E o tempo para isso é o mesmo. Portanto, seria o caso de imprimir as nossas considerações e valores que eles rejeitam. Quem sabe os inimigos publiquem ele as nossas mensagens. Penso que quando Cristo disse para amar os nossos inimigos está mais para nossa causa e muito menos por eles. E a palavra de Deus demonstra que temos competência para isto.

     
  2. Gostaria de lembrar que nas grandes regiões da África setentrional, incluindo o Egito; do Oriente Médio, incluindo a atual Turquia,a Pérsia ou Irã e a Arábia,o Cristianismo foi completamente extinto pelo Islamismo, restando apenas pequenos grupos sem qualquer influência entre os muçulmanos. Aqueles cristãos foram perseguidos ferozmente, mas o “fogo” de sua fé não se acendeu, contrariando essa teoria.

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome