Suaves Milagres de Jesus Menino

4

Conto de Natal“Entre Enganin e Cesareia, num casebre desgarrado, sumido na prega de um cerro, vivia a esse tempo uma viúva.” Assim começa o célebre conto de Eça de Queiroz, intitulado Suave Milagre, e ao filho aleijado dessa viúva vai a atenção do leitor.

“A criancinha pediu e pediu à mãe que lhe trouxesse Jesus, mas ela lhe explicou que nem Obed nem Públio Sétimo que eram homens ricos e poderosos o conseguiram.

“— Oh filho! E como queres que te deixe, e me meta aos caminhos, à procura do Rabi da Galileia? Obed é rico, e tem servos, e debalde buscaram Jesus, por areais e colinas, desde Chorazim até ao país de Moab. Sétimo é forte, e tem soldados, e debalde correram por Jesus, desde o Hebrom até o mar! Como queres que te deixe? 

“ — Jesus anda por muito longe e a nossa dor mora conosco, dentro destas paredes, e dentro delas nos prende. E mesmo que O encontrasse, como convenceria eu o Rabi tão desejado, por quem ricos e fortes suspiram, a que descesse através das cidades até este ermo, para sarar um entrevadinho tão pobre, sobre enxerga tão rota?
 
“A criança, com duas longas lágrimas na face magrinha, murmurou:

“— Oh mãe! Jesus ama todos os pequeninos. E eu ainda tão pequeno, e com um mal tão pesado, e que tanto queria sarar!

“E a mãe, entre soluços:
 
“— Oh meu filho, como te posso deixar? Longas são as estradas da Galileia, e curta a piedade dos homens. Tão rota, tão trôpega, tão triste, até os cães me ladrariam da porta dos casais. Ninguém atenderia o meu recado, e me apontaria a morada do doce Rabi. Oh filho! talvez Jesus morresse… Nem mesmo os ricos e os fortes O encontram. O Céu O trouxe, o Céu O levou. E com Ele para sempre morreu a esperança dos tristes. 

“De entre os negros trapos, erguendo as suas pobres mãozinhas que tremiam, a criança murmurou: 

 
“— Mãe, eu queria ver Jesus…
 
“ E logo, abrindo devagar a porta e sorrindo, Jesus disse à criança:

“ — Aqui estou.

*       *       *

O que falta ao século XXI, tão roto, tão trôpego, tão triste, para obter por meio de Nossa Senhora graça semelhante à que teve o menino do conto? O que é preciso é reconhecer-se pequeno e roto, diante da grandeza de Quem que de alguma maneira vai nos atender, se pedirmos.

Observadas estas condições, também nos nossos tempos o milagre se repete. Mas um milagre de realidade total, e não de imaginação como o de Eça. Por exemplo na Hungria, durante o regime, comunista — nos últimos tempos desta chaga da Humanidade — naquele abençoado país católico. Gertrudes, a professora, ateia e provavelmente comunista, imaginou uma cilada para tornar suas alunas ateias: sugeriu que todas O chamassem. Se Ele existisse, Ele certamente viria, diante do brado das meninas. Como Ele não surgiria, seria uma prova de que Ele não existe.

O medo, a dúvida, por um momento jugulados, podiam renascer, mas o sentido da camaradagem deu o impulso, que as reuniu em torno daquela que se revelava ‘chefe’(Angela) e esperava o milagre. Tinham os olhos fixos, não na porta, por onde poderia entrar o Menino, mas na parede branca, em que se destacava a figurinha de Angela, e continuavam a repetir:

‘Vem, Menino Jesus! Vem, Menino Jesus!

“Nesse instante, a porta abriu-se sem ruído, e as crianças pensaram que toda a luz do dia entrava por ela. Era uma claridade intensíssima, que crescia, crescia como a chama violenta dum enorme fogo. No meio desse clarão, um globo cheio de luz. O medo invadiu-as , mas nem tiveram tempo para gritar ou fugir; o globo abriu-se e apareceu um Menino lindo e risonho como nunca tinham visto. O Menino sorria sem proferir uma palavra, e todas sorriram também, tranquilas e contentes. Algumas garotas esfregavam os olhos para melhor contemplarem o Menino vestido de luz, outros olhavam-no de olhos espantados, sem pestanejarem. O Menino sorria, não falava, sorria para todas.

“Depois, o globo fechou-se de mansinho, e desapareceu devagar. A porta fechou-se sem que ninguém lhe tocasse, e as crianças emocionadas, os coraçõezinhos inundados de felicidade, sem uma palavra abraçavam-se, a chorar de felicidade. O Menino as ouvira! O Menino viera!

“As crianças olhavam ainda a porta. Subitamente, um grito agudo quebrou a emoção desse silêncio. Aterrada, os olhos esgazeados, braços estendidos, mãos enclavinhadas, a professora gritava como louca:

“Ele veio! Ele apareceu!

“Em seguida fugiu, batendo com força a porta. A Sra. Gertrudes deu entrada em um manicômio”.

Isto se passou na paróquia do Pe. Norberto, o vigário dessa paróquia, que é quem narra o ocorrido. Testemunha da revolução anticomunista ocorrida em 1956, ele testifica a realidade destes acontecimentos, declarando sob juramento ter interrogado as meninas e não ter encontrado em suas palavras contradições.(*)

________________

(*) Retiramos os dados referentes aos maravilhosos acontecimentos da Hungria da revista Catolicismo, nº 756, de dezembro de 2013.

 

4 COMENTÁRIOS

  1. seba,

    Pois é, Seba, há relatos de aparições de ovnis, mas confundir este relato com aquelas aparições é faltar um pouco com o senso do maravilhoso.

    Deus não precisa desses meios, porém, o homem é feito de carne e osso que necessita de manifestações visíveis para sentir Sua presença. Eis uma das diferenças. Geralmente as aparições dos ovnis deixam a pessoa perturbada, enquanto que a das sobrenaturais deixam sentimentos e impressões que elevam e traz uma mensagem que toca no sobrenatural.

     
  2. Muito estranho o relato do globo com porta que se abre…um veículo para transportar o menino. Veiculo de luz, faz nos lembrar de luzes que se movem nos céus, em várias formas, ovnis. Tenho estranhado relatos de apariçōes de Maria com avistamento de clarão no céu pouco antes do avistamento, barulho como um trovão, ou do potente motor. Se estas apariçōes são do céu, por que a presença dessas naves extraterrestres. É preciso veículo no céu??? Como não nos resta duvidas que os avistamentos ufologicos são fenomenos da grande decepção, devido os relatos dos abduzidos, são os demonios com seus enganos e prodígios do mal. Também é preciso veículo no abismo??? Não são dúvidas as questōes, são descobertas.
    Lendo o Diario de Conchita, ” ela pergunta a Nossa Senhora o que era uma luz vista nas nuvens e Nossa Senhora lhe diz que veio naquela luz”
    A revelação está proxima com a vinda de Jesus em sua glória.

     
  3. Excelente a publicação deste artigo, no neste Site do IPCO – A uma pessoa pessoa a quem eu contei me disse: eu quero um xerox deste artigo, ele devia ser difundido no mundo todo.

     
  4. Que outro comentário poderia fazer diante de tão sublime milagre a não ser dizer : Louvado seja Deus . Para sempre seja louvado.

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome