Um desvario de nossa época: direitos dos animais ao nível ou acima dos direitos do homem

"Afirmar a igualdade entre homens e animais é negar a espiritualidade da alma humana" (Plinio Corrêa de Oliveira)
“Afirmar a igualdade entre homens e animais é negar a espiritualidade da alma humana” (Plinio Corrêa de Oliveira)

É expressivo o que li em um matutino. Dizia o autor do artigo: “Não tenho muita paciência para comprar roupa, perfume ou relógio. No entanto, me largar numa loja recheada de artigos para animais é uma temeridade. Um risco para a minha conta bancária”.

Fica assim bem estabelecida as prioridades: o “cliente”, um animal, tem larga precedência sobre seu dono, que confessa ter pouca paciência para se incomodar com sua própria roupa, perfume ou relógio.

O autor alerta para “exageros consumistas” que também aparecem. “Tente hoje comprar um xampu para o seu cachorro. Quer de chocolate? Pode optar ainda entre as versões guaraná, açaí, coco, melancia ou morango”. E ainda: “Bifinho com ervas finas ou com maçã e cenoura? Sabor calabresa ou fígado? Achatado ou cilíndrico?”

Trata-se de um artigo com caráter um tanto irônico. O problema é que, mesmo retirando os “exageros consumistas”, ao que parece ainda restam muitos exageros…

O glorioso gênero humano é tratado com a mesma diversidade? Tem a mesma escolha que um cão no mega pet shop? Diz uma articulista:

Em qualquer lugar do mundo você come exatamente as mesmas coisas e pode comprar a mesma bolsa no Rio, em São Paulo, em Nova York, em Tóquio ou Cingapura, todas rigorosamente iguais; as grifes se banalizaram, o que foi lançado na semana passada em Londres já chegou aqui, e para ter acesso às coisas é apenas uma questão de conta bancária.”[1]

Esta é a tendência. Mas procurando, “sem ir atrás das modas”, ainda se pode encontrar “um pequeno restaurante que não faz parte de nenhum guia gastronômico e uma artesã de uma pequena cidade no interior de Pernambuco que faz lenços bordados de puro algodão, sem um só fio sintético, com suas iniciais bordadas. Esse restaurante nunca vai ter filiais, e essa bordadeira nunca vai vender suas peças para nenhuma cadeia de lojas”.[2] Mas até quando, em contraste com as modas de nossa época, este artesanato vai poder subsistir?

Em contra partida, existe um Código dos Direitos dos Animais, certamente inspirado no Código Universal dos Direitos Humanos, da Revolução Francesa.[3] Nele se lê entre outras coisas que “todos os animais [inclusive o homem] nascem iguais diante da vida, e têm o mesmo direito à existência” (art.1). O mesmo.

Diz o art. 6 desse código que “o abandono de um animal é um ato cruel e degradante”. Pergunta: como fica o aborto, esse verdadeiro ato cruel e degradante? Os seres humanos são “menos iguais”? Carinho para os cães e outros animais, igualdade niveladora para o sofrido gênero humano.

E é claro que não se ia esquecer o “lado social”: uma mulher gastou R$ 500 mil em um casamento de cachorros![4]

Ainda um exemplo do mesmo fenômeno: “Cachorros que ficam sozinhos e apresentam sintomas de depressão já podem ser tratados com um remédio similar ao antidepressivo Prozac”![5]

Até onde isso vai? Até onde irá?

Para ser corente com o código universal dos direitos dos animais, nunca dê um tapa para matar um mosquito. E não pratique o genocídio de aplicar um inseticida num quarto. Nem use antibióticos eliminando indefesos micróbios. Todos os citados são animais de pleno direito. Lembre-se: segundo a UNESCO, os bichinhos tem o mesmo direito à existência que você!

Tudo isso se ordena a doutrinas específicas. Uma delas é o igualitarismo. Outra é o ateísmo, pois “afirmar essa igualdade é negar a espiritualidade da alma humana. É fazer uma profissão de fé de materialismo. E quem nega a alma humana nega a Deus. Portanto, é afirmar o ateísmo”.[6] Irão todos os povos até lá?

De qualquer forma estamos diante do esboço de uma nova religião, “que pretende justificar e implantar uma sociedade humana igualitária e neotribal, lastreada num misto de pseudociência com filosofias arcaicas e pagãs”.[7]


[1] Danuza Leão, Folha de S.Paulo, 18-9-11.

[2] Danuza Leão, Folha de S.Paulo, 18-9-11.

[3] UNESCO, 15/10/78.

[4] OESP, 13-7-12.

[5] OESP, 23-10-12.

[6] Plinio Corrêa de Oliveira, conferência em 8-11-78.

[7] Dom Bertrand de Orleans e Bragança, Psicose ambientalista, IPCO, São Paulo, 2012. p. 17.

 

12 COMENTÁRIOS

  1. SEM HABILIDADE COM NÚMEROS, Junia Oliveira, O Estado de Minas, 08/06/2010

    Fonte: http://wwo.uai.com.br/EM/html/sessao_18/2010/06/08/interna_noticia,id_sessao=18&id_noticia=141062/interna_noticia.shtml

    Consta em relatos disto em:
    http://www.exkola.com.br/scripts/noticia.php?id=34579041
    http://blog.opovo.com.br/educacao/sem-habilidade-com-numeros/
    http://isaude.net/z9h8, europsicologia e genética decrifram causas e
    consequências da discalculia, Saúde Pública
    http://vghaase.blogspot.com/, acesso, ag/10
    http://discalculialnd.blogspot.com/, acesso, ag/10
    – Decifrando uma incógnita, http://www.ufmg.br/boletim/bol1698/4.shtml, acesso, ag/10
    – Pesquisa dos Laboratórios de Neuropsicologia e de Genética da UFMG pode ajudar a desvendar causas e consequências da discalculia, 7 de junho de 2010
    http://www.ufmg.br/online/arquivos/015678.shtml
    – Neuropsicologia e genética decrifram causas e consequências da discalculia,
    ISaúde.Net, Saúde Pública, http://isaude.net/z9h8, acesso ag/10

    Doença que dificulta aprendizado de matemática é alvo de especialistas

    http://saude.ig.com.br/minhasaude/doenca+que+dificulta+aprendizado+de+matematica+e+alvo+de+especialistas/n1597074737032.html

     
  2. D. J. Anacleto,

    Nossa, e o coitado do animal não sente fome e sede? É muito pior do que demorar para receber seu móvel. E fazer isso simplesmente por crueldade? Me poupe.

    Parece que seu deus é um sádico, que deixa crianças morrerem de fome mas não permite o uso de preservativos. Nada mais natural que seja pior ainda com animais. Não é de se espantar.

    Vá morar no Haiti e assistir seus 15 filhos agonizarem sem tratamento para diarréia ou outra doença idiota, e dê glória a Deus por levá-lo ao céu. Se se revoltar e blasfemar vai pro inferno.

     
  3. Que papo mais furado e já REFUTADO esse de “…os negros não tinham alma”. A Igreja JAMAIS afirmou isso, TANTO É que…EVANGELIZOU negros e índios. Ora, se não tivessem alma, não seriam evangelizados, isso é óbvio.

    Quanto aos animais, ninguém aqui defende crueldade, mas também NÃO os aceitamos no nosso nível. Morte aos mosquitos, às baratas e a todas as pragas. Quanto a animais domésticos, de estimação, fiquem no seu devido lugar: o ser humano primeiríssimo; aqueles depois.

     
  4. @D. J. Anacleto
    Comparação tão infeliz quanto o ponto de vista que a tem como veículo. Vejo este texto com os mesmos olhos de quem, no final do século XIX, via a igreja e os escravagistas afirmando veementemente que os negros não tinham alma. Repugnante.

     
  5. @Paulo Wuensch
    Pois então Sr. Paulo Wuensch, a tão aclamada “lei” (que este mundo tanto clama) para frear os humanos já está a caminho: chama-se CASTIGO DIVINO. E pelo andar da carroagem, está as portas da humanidade. Ela poderá levar humanos e também os amados, idolatrados, salve salve: flora, fauna e tudo o que estiver na frente, pois preferem agradar as próprias lumbrigas (movimentos feministas, aborto, eutanasia, casamento gay, inveja e cobiça dos bens alheios, “luta por igualdade, justiça e fraternidade”, a cultura ao “deus” corpo perfeito, a ilusão da juventude eterna etc) ao invés de criar vergonha na cara, tornar-se pessoa que realmente presta – TRABALHAR PARA O REINO DOS CÉUS, POIS TODOS DEIXAREMOS ESTE MUNDO PARA VIVER O QUE DEUS QUER PARA NÓS – OU VIVEREMOS O QUE NÓS ESCOLHERMOS PARA NÓS MESMOS: CÉU OU INFERNO. Pois se estão pensando que esta vida e este mundo é tudo o que se tem para viver…
    Equiparar fauna/ flora etc com os homens não vai resolver o problema, que álias sempre foi e será o de querer ser “deus” para tomar o lugar do próprio Deus para somente satisfazer as lumbrigas acima citadas.

     
  6. Aqui em Londrina uma loja exibe um cartaz na vitrine, dizendo que “os animais são anjos disfarçados”. Outro dia uma funcionária dali tentava pisar numa barata, na calçada. Perguntei como é que se atrevia a esmagar um anjo…

     
  7. Não vejo o citado artigo com os olhos que alguns outros o vêem… afinal acredito a aceito sim a existência do código de defesa dos animais, pois a civilização humana chegou a tal ponto de crueldade que comete contra a natureza, que foi necessário sim a criação de leis que protejam os animais!… Portanto, há a necessidade destas leis serem aplicadas contra os seres humanos, pois quando estes deixam de serem “humanos” para tornarem-se inumanos, com o sacrifício de animais em rituais de satanismo… ou mesmo a violência contra animais domésticos mantidos em cativeiro… há sim a necessidade da existência de leis para frear estes humanos, evitando o que se vê quase que diariamente em jornais, revistas, televisão, internet e outros meios de comunicação, sendo praticado em nome de um prazer egoísta e egocêntrico do homem em relação aos animais!…

     
  8. eu frequentava até o ano passado um restaurante vegano e via nele os pôsteres,produtos e adesivos contra um “novo preconceito” digamos que descoberto pelos defensores dos direitos animais: o ESPECISMO.
    Não se pode tratar bem um cão ou gato e matar para comer um boi, ou eliminar um gafanhoto que esteja destruindo sua plantação; os animais devem ser “TRATADOS DE FORMA IGUALITÁRIA.”
    ora, por que não vamos todos pastar?

     
  9. Comprei um móvel na LojasMM em julho, até hoje não vieram montá-lo, apesar da insistência do Procon, a seguir do Tribunal de P. Causas. No entanto, se alguém deixar um cachorro sem comer e sem água por apenas um dia, aparecem para cobrar, a mídia, a polícia, o meio ambiente, a vizinhança toda. No meu caso até agora ninguém se manifestou para ajudar ou exigir que essa Loja cumpra com sua obrigação e com a Lei… O povo está há dois mil anos com Barrabás; por isso não lamento mais qdo não encontram atendimento médico dos hospitais, sulfato ferroso nos Bostinhos de saúde, etc. Diz a Bíblia: “Quando um cego guia outro cego vão ambos para o abismo”. Falei !! Continuem elegendo seus próprios algozes…

     
  10. AU.
    aU AUAUAUUAauuau auuauau auauauua uauauauauuauauuuau auaua uauauau, ayuaya. Auauauauaua.a !
    auauauuauu auaua ua auauuaaa uaauua uauauau
    auauau
    auauaauuauau auauau, auauauua (ahaayuuauauauua) ahauauahauahauajajaahuaua.
    auauua.
    Auau

     
  11. Me parece muito ilustrante, eu tive a oportunidade de ver um Juiz federal afirmar que caçar perdizes é praticar crueldade com os animais mas…..ele, ao mesmo tempo, estava muito feliz na mesa de uma conhecida churrascaria ! Caçar umas perdizes com fim de esporte da caça e consumo de sua carne é crueldade mas matar bois para atender a sua cota diária de proteinas não há problemas. Está difícil não perder a paciência com a imbecilidade cada vez melhor distribuída nas sociedades urbanas.

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome