Um fantasma ronda a América – o socialismo

Gustavo A. Solimeo

Um fantasma ronda a Europa – o fantasma do comunismo”. Esta é a famosa frase de abertura do Manifesto do Partido Comunista escrito por Karl Marx e Friedrich Engels em 1848.

Esta frase talvez pudesse ser parafraseada hoje: “Um fantasma ronda a América – o fantasma do socialismo”.

O comunismo está morto?

Falar sobre o comunismo é o mesmo que falar sobre o socialismo, pois o comunismo é apenas uma forma extrema de socialismo.

Após a queda do “Muro de Berlim”, em 1989-1990, muitos pensaram que o comunismo estava morto e poderia ser relegado à “lata de lixo da história”.

No entanto, o comunismo está realmente morto?

É difícil sustentar esta afirmação. Ao contrário, nem o socialismo nem o comunismo estão mortos. Na verdade, embora o poder político do comunismo e do socialismo tenha diminuído um tanto, é inegável que os seus aspectos culturais estão agora em um pico.

Muito mais importante do que a expansão política do comunismo / socialismo é a difusão das idéias e costumes que estão levando o mundo a abandonar a ordem natural e a civilização cristã. Tais idéias e costumes podem ser vistos por toda a parte em campanhas a favor do aborto, da eutanásia, do chamado “casamento” homossexual e outrasaberrações morais.

Alguém poderia perguntar: “O que essas questões morais têm a ver com o socialismo?” A resposta pode ser dada em dois níveis: da doutrina e dos fatos.

Uma abordagem teórica

Teoricamente, a resposta a esta pergunta é que o orgulho e a sensualidade desenfreada quebram as barreiras intelectuais e morais que preservam a ordem estabelecida por Deus no universo, abrindo assim as portas para o avanço do socialismo. Por sua vez, o socialismo fornece sistematização filosófica e apoio político para tais práticas. [1]

Em outras palavras, tudo o que favorece a imoralidade ou a revolta contra qualquer desigualdade favorece ipso facto o avanço do socialismo. Por outro lado, o socialismo favorece essas mesmas más tendências desenfreadas do homem decaído, mascarando-as sob a fachada de uma pseudo-filosofia e pseudo-ciência.

A resposta dos fatos

Outra resposta pode ser encontrada nos próprios fatos.

Não é por acaso que, logo ao chegar ao poder, os partidos socialistas tentam implementar a agenda homossexual, promover ou facilitar o aborto, impor rigorosas leis sobre crimes de ódio, ou avançar outras causas “politicamente corretas”.

Vamos citar apenas alguns exemplos recentes:

Portugal: O Parlamento aprovou recentemente uma lei que estabelece o “casamento” homossexual. No ano passado, o aborto foi introduzido.

Espanha: leis propondo o “casamento” homossexual e uma maior liberalização do aborto foram introduzidas nos últimos anos pelo governo socialista do primeiro-ministro José Luis Rodriguez Zapatero.

Inglaterra: Medidas semelhantes foram introduzidas pelo Partido Trabalhista de Tony Blair.

Brasil: O Presidente Lula (do Partido dos Trabalhadores) acaba de assinar o Decreto Presidencial n º 7.037, de 21 de dezembro de 2009, um abrangente pacote legislativo que inclui a expansão do aborto, legalização das uniões homossexuais, supressão de símbolos religiosos em repartições públicas, controle estatal, e outras características socialistas.

Alguns podem objetar que esses exemplos de socialismo aparecem em outras terras e não nos Estados Unidos, onde estas coisas nunca acontecem.

Sinais alarmantes: a América está virando à esquerda?

Infelizmente, a América não é nenhuma exceção. Quando o mundo inteiro está se movendo de forma quase imperceptível para o socialismo, os Estados Unidos estão acompanhando a tendência, como se pode ver por estes exemplos:

1. Nas escolas ensina-se aos alunos a doutrina da evolução como um dogma científico.

2. A presença de monumentos aos Dez Mandamentos está sendo banida da praça pública e a invocação de Deus é proibida nas salas de aula.

3. Um clima de luta de classes permeia as relações entre empregadores e empregados, professores e alunos, pais e filhos e assim por diante.

4. A sociedade massificada de hoje priva o homem de sua individualidade, como se pode ver por uma real ditadura da mídia que impõe o comportamento “politicamente correto”  e inibe a reação contra a permissividade desenfreada.

5. Forças imbuídas de uma metafísica igualitária procuram eliminar qualquer desigualdade, seja na família, na sociedade ou na Igreja.

6. O direito de propriedade privada está sendo progressivamente corroído por uma carga tributária crescente.

7. Finalmente podemos mencionar o programa de reforma do sistema de saúde, muitas vezes descrito como “socialista”. Na verdade, esta foi a avaliação da própria TFP, como na declaração intitulada “Intervenção Socialista no Setor Privado não é verdadeira reforma do sistema de saúde” (publicado como anúncio de página inteira no “Washington Times” de 22 de  setembro de 2009). Outros artigos da mídia e na Internet destacam este mesmo enfoque socialista. Para citar apenas alguns exemplos: “A filosofia socialista de Barack Obama” [2]; “O socialismo caminha sorrateiro numa América que dorme” [3]; “A reforma da saúde de Obama é socialismo” [4].

Assim, vemos o avanço do socialismo nos Estados Unidos da América. No entanto, a melhor maneira de avaliar esse avanço é definir exatamente o que é o socialismo.

Então, o que é socialismo?

O socialismo é descrito correntemente como um sistema de organização social e econômica baseado na propriedade coletiva ou estatal e na administração dos meios de produção pelo Estado. É também uma teoria filosófica e política, além de um movimento político que tenta estabelecer esse sistema. Assim, o socialismo é mais do que um sistema econômico. É um sistema doutrinário que se propõe uma grande mudança no estilo de vida das pessoas e nas estruturas sociais.

O filósofo jesuíta Padre Victor Cathrein corretamente sublinhou:

“Nós chamamos o socialismo um sistema de economia política, não porque  ele não leva também a muitas mudanças políticas e sociais, mas porque a linha geral do socialismo consiste na estatização da propriedade e na administração pública e distribuição de todos os bens”.

No entanto, “Os princípios fundamentais do socialismo não pertencem à ciência econômica, mas à ciência metafísica. Dentre seus princípios, o principal é a igualdade do homem …”.[5]

O socialismo é, portanto, muito mais do que um sistema econômico, social ou político: é uma visão de conjunto do homem e do universo. É o que os alemães chamam de Weltanshauung (uma visão abrangente do mundo e da vida humana; uma estrutura mental pela qual se interpreta o mundo)

É esta visão do mundo, fundada na metafísica igualitária, que será o objeto desta exposição.

Nota prévia: o socialismo e o comunismo

Do ponto de vista ideológico ou filosófico, não há diferença substancial, propriamente falando, entre o comunismo e o socialismo.

Por sinal, os próprios fundadores do moderno comunismo, Karl Marx e Friedrich Engels, chamavam-se “socialistas”. [6]

E a pátria-mãe do comunismo, a União Soviética, chamava-se União das Repúblicas Socialistas Soviéticas; do mesmo modo, a China comunista,  Cuba e Vietnã se definem como socialistas. [7]

Além disso, o socialismo pode ser aplicada em diferentes graus. Assim, na prática, pode haver diferença entre uma aplicação incompleta do socialismo e o comunismo, que é o socialismo levado até suas últimas conseqüências.

Portanto, para definir a doutrina socialista, podemos usar indistintamente  autores socialistas como autores mais conhecidos como comunistas.

Em nossa exposição, o resumo da ideologia socialista virá de fontes declaradamente socialistas ou de documentos pontifícios condenando essas doutrinas ou, ainda, da síntese de especialistas no socialismo. No entanto, para efeitos de concisão, as citações literais foram restritas a um mínimo.

A ideologia socialista

A ideologia socialista pode ser resumida em doze pontos principais:

1. Igualitarismo metafísico

O fundamento da ideologia socialista é igualitarismo metafísico. Isto significa que a idéia de igualdade absoluta é o pressuposto fundamental da visão socialista do homem, da sociedade e do universo. Todos os outros princípios da ideologia socialista derivam, de uma maneira ou de outra, deste princípio fundamental.

2. Evolucionismo materialista

Para o socialismo, existe uma força obscura da qual não podemos escapar, que leva a humanidade passo a passo para planos mais elevados da vida moral e social. A história é um progressivo processo de purificação. O socialismo − na sua expressão mais plena, o comunismo − é o fim desse processo. Embora o socialismo seja o resultado inevitável de forças subjacentes da vida social, política, cultural e econômica, podemos acelerar o progresso e a evolução através da luta de classes, da guerra cultural, ou de legislação. Na verdade, cada nova moda, currículo escolar, estilo artístico, lei, e assim por diante, que nos leve mais perto da cosmovisão socialista constitui um progresso; toda medida contrária é um retrocesso. [8]

3. Cosmovisão secularista e materialista

No universo não há nada além da matéria. Deus, a alma e a vida futura são apenas quimeras. Assim, o que importa é, com a ajuda da ciência, buscar a felicidade completa nesta vida, proporcionar a cada um a maior soma possível de prazer, e evitar, tanto quanto possível, qualquer esforço ou sofrimento. Como resultado, todos os obstáculos ou restrições a essa felicidade devem ser removidos, sejam eles religiosos, morais, culturais e assim por diante. [9]

4. Ateísmo

O evolucionismo materialista e a cosmovisão secularista e materialista têm como conseqüência lógica a exclusão de Deus. Além disso, a afirmação de um Deus infinito, onipotente e onisciente, choca frontalmente com o princípio da absoluta igualdade. Por conseguinte, deve ser rejeitado. [Na verdade, que maior desigualdade do que aquela entre o Criador e as simples criaturas?

5. Relativismo ético e cultural

Se Deus não existe e tudo está em constante evolução, não existem verdades absolutas ou moral revelada que estabelecem normas imutáveis de conduta que se aplicam a todos, em todos os lugares e sempre. [10] O certo e o errado, o bem e o mal, o feio e o bonito dependem do desenvolvimento sócio-econômico da humanidade.

6. Messianismo secularista

O socialismo não é apenas uma ideologia, mas muito mais, como visto antes. Tem um caráter messiânico, ou seja, oferece uma “mensagem de salvação” que não é a salvação eterna, mas apenas uma “salvação” temporal, uma “salvação” nesta terra, uma “salvação” alcançada não por meios sobrenaturais, mas por meios humanos. [11]

7. Desprezo da religião: “O ópio do povo”

Se não há Deus, nem redenção e “salvação” só nesta terra, a  conseqüência é: nenhuma religião.

Karl Marx resumiu o seu desprezo pela religião na numa frase que tristemente famosa: “A religião é o ópio do povo”. [12] Seu fiel seguidor Lenin desenvolveu essa idéia: “A religião é o ópio do povo. A religião é uma espécie de má aguardente espiritual na qual os escravos do capital afogam a sua imagem humana, as suas reivindicações de uma vida minimamente digna do homem”. [13]

Em outras palavras, a religião leva os homens a se desviarem da luta presente porque lhes promete a perspectiva de uma vida futura. [14]

Ao pregar restritivas normas de moral, a religião impede a liberdade absoluta. Acima de tudo a religião tem um caráter transcendental, ou seja, prega a existência de realidades fora da natureza ou não em conformidade com ela, o que  é totalmente incompatível com a ciência, o progresso e o mundo material.

8. Da idolatria do Estado à Anarquia

Os socialistas ensinam que, na atual fase da evolução humana, já é possível abolir a propriedade privada, a hierarquia social e a família. Eles pretendem fazer o Estado o único detentor de todos os direitos. Esse Estado, liderado pelos operários e camponeses, irá manter a completa igualdade entre os homens. No futuro, o universo e o homem vão evoluir de tal forma que mesmo o Estado vai desaparecer [15].

9. Igualitarismo Social, Político e Econômico

Todas as desigualdades, sejam elas de riqueza, prestígio, cultura, ou quaisquer outras, são injustas em si mesmas. O socialismo pretende impor a igualdade absoluta, por isso deve preliminarmente remover qualquer fonte de desigualdade social, político e  econômica.

10. Abolição da propriedade privada, do sistema salarial e da herança

Para conseguir a completa igualdade, abolição da propriedade privada, do sistema de salários e da herança. Manifesto Comunista (Marx-Engels – 1848): “A teoria dos comunistas pode ser resumida na frase: abolição da propriedade privada.”

11. Amor-livre − Hostilidade ao Matrimônio e à Família

Para o socialismo, a relação sexual é simplesmente uma função fisiológica, como qualquer outra. [16] Por conseguinte, não há nenhuma razão para restringi-la ao casamento. [17] Isto aplica-se ainda menos à forma presente de casamento − monogâmico e indissolúvel − entre um homem e uma mulher. [18]

12. Educação pelo Estado

Para impor a igualdade absoluta é necessário primeiramente remover uma fonte universal de desigualdade social: a educação desigual. Isso só pode ser feito tornando a educação uma atribuição do Estado e não mais da família. Por isso Engels em seu “catecismo” comunista, estabelece: “Educação de todas as crianças, a partir do momento em que podem passar sem os cuidados maternos, em estabelecimentos nacionais e a expensas do Estado. Combinar a educação e o trabalho fabril”. [19]

Conclusão: Total incompatibilidade entre o socialismo e a doutrina da Igreja

Em conclusão, o socialismo é incompatível com a doutrina católica:

• devido ao materialismo e ao ateísmo que lhe são inerentes;

• devido à sua concepção do universo e do homem;

• e porque ele ataca a propriedade privada e a família, duas instituições que são pilares da civilização cristã.

Essa conclusão tem um significado prático real. Muitas vezes, algumas das medidas propostas por socialistas podem parecer mais “moderadas” (na realidade, mais cautelosas e menos alarmantes), embora na realidade sejam, de uma maneira ou de outra, prejudiciais à família, ao direito de propriedade privada, à livre iniciativa, a legítimos interesses, em um palavra, à verdadeira liberdade dos filhos de Deus.

Se os católicos não têm idéias muito claras sobre a ideologia socialista e sobre os diferentes graus de aplicação do socialismo, e não estão conscientes de que mesmo o chamado “socialismo moderado” é incompatível com a doutrina católica e com o direito natural, poderiam ser tentados a aceitar algumas iniciativas socialistas como inofensivas ou até mesmo acharem que podem chegar a um compromisso.

Assim, há realmente um “fantasma” rondando a América: o fantasma do socialismo velado. Um “fantasma” que não é nada ilusório. É, de fato, um fantasma muito real, concreto e ativo.

Artigo baseado em palestra proferida pelo autor em 23 de janeiro de 2010 para os participantes da TFP Student Conference, em Spring Grove, Pennsylvania. Publicado originariamente em

http://www.tfp.org/tfp-home/catholic-perspective/a-specter-is-haunting-america-socialism.html

Traduzido e adaptado pelo autor.

________________________________________

NOTAS

[1] Cf. Plinio Corrêa de Oliveira, Revolução e Contra-Revolução, capítulo 7, n. 3. Disponível em

www.pliniocorreadeoliveira.info/RCR.pdf

[2] http://www.fff.org/blog/jghblog2008-06-12.asp

[3] http://www.investors.com/NewsAndAnalysis/Article.aspx?id=515934

[4] http://www.hutchinsonleader.com/commentary

-obamas-health-care-reform-Socialism-108

[5] Rev. Victor Cathrein, S.J, Socialism Exposed and Refuted − A Chapter from the Author’s Moral Philosophy, Translated from the German by Rev. James Conway, S.J. Second edition. Benziger Brothers, New York, Cincinnati, Chicago: 1902. Obtido em http://www.archive.org/stream/socialismexposed00cathuoft

/socialismexposed00cathuoft_djvu.txt

[6] Engels chegou mesmo a cunhar a expressão “socialismo científico” (Frederich Engels. Socialismo Utópico e Socialismo Científico, 1880) para descrever a teoria filosófico-sócio-político-econômica lançada por Karl Marx, em oposição aos “socialistas utópicos” (todos os outros, menos eles…).

Além disso, Engels, em seu “catecismo” comunista (Princípios Básicos do Comunismo − 1847), respondendo à pergunta: “Como se diferenciam os comunistas dos socialistas?” não discorda dos socialistas sobre os princípios, mas apenas sobre os métodos, ou o grau de radicalismo na aplicação dos princípios a situações concretas (Friedrich Engels, Princípios Básicos do Comunismo. Q. 24. Disponível em http://www.marxists.org/portugues/marx/1847/11/principios.htm).

[7] A Constituição da China estabelece: “Artigo 1.º − A República Popular da China é um Estado socialista subordinado à ditadura democrático-popular da classe operária e assente na aliança dos operários e camponeses. O sistema socialista é o sistema básico da República Popular da China. É proibida a sabotagem do sistema socialista por qualquer organização ou indivíduo. (Constituição de 4 de Dezembro de 1982 da República Popular da China. Disponível em http://bo.io.gov.mo/bo/i/1999/constituicao/index.asp#pr

Da mesma forma, a Constituição de Cuba comunista afirma: “Artículo 5º.- El Partido Comunista de Cuba, martiano y marxista-leninista, vanguardia organizada de la nación cubana, es la fuerza dirigente superior de la sociedad y del Estado, que organiza y orienta los esfuerzos comunes hacia los altos fines de la construcción del socialismo y el avance hacia la sociedad comunista.”(Constitución de la Republica de Cuba, em http://www.cuba.cu/gobierno/cuba.htm).

E a Constituição do Vietnã de 1992, estabelece: “Artigo 1. A República Socialista do Vietnã é um país independente e soberano, gozando unidade e integridade territorial, incluindo as suas águas continentais, ilhas territoriais e espaço aéreo. … Artigo 4 º. O Partido Comunista do Vietnã, a vanguarda da classe trabalhadora vietnamita, fiel representante dos direitos e interesses da classe trabalhadora, do povo trabalhador, e de toda a nação, atuando sob a doutrina marxista-leninista e o pensamento de Ho Chi Minh, é a principal força do Estado e da sociedade. “(Web Portal do Governo – Agência de Informação Online da República Socialista do Vietnã www.vietnam.gov.vn governo.

http://www.chinhphu.vn/portal/page?_pageid=439, 1096045 &

_dad = portal & _schema = PORTAL)

[8] Por exemplo, leis que protegem os valores tradicionais − como a família, a propriedade privada e a religião.

[9] De onde os famosos “movimentos de libertação”: Movimento de Libertação das Mulheres ou Women’s Lib (feminismo como uma forma de socialismo), movimentos de “libertação homossexual”, Teologia da Libertação e assim por diante.

[10] Upton Sinclair (1878-1968), escritor socialista norte-americano: “A nova moral é, portanto, uma moral de liberdade. Ela ensina que o homem é o senhor, ou deve vir a sê-lo; que não há nenhuma lei, senão a lei do seu próprio ser; que não deve haver nenhum controle sobre a sua vontade, exceto o que ele mesmo se impõe.

A nova moral é uma moral de alegria. Ela ensina que o verdadeiro prazer é o fim do ser e o padrão de toda a justiça.

A nova moral é uma moral da razão. Ela ensina que não há nenhuma autoridade acima da razão, nem é possível tal autoridade, porque, se tal viesse a aparecer, a razão teria para julgá-la, e aceitar ou rejeitá-la.

A nova moral é uma moral de desenvolvimento. Ela ensina que não pode mais haver uma lei imutável de conduta. “(Upton Sinclair, The Profits of Religion (Os Lucros da Religião).

Obtido em http://www.online-literature.com/upton_sinclair/profits-of-religion/

[11] Apenas uma amostra: “A Finlândia surge [1905-1906] com, proporcionalmente, o maior partido socialista do mundo … Ehrnrooth enfatiza a importância da dinâmica emocional baseada no ódio de classe e na inveja, um sentimento de injustiça, e a esperança de salvação na Terra. Em vez de esperar por um paraíso em vida após a morte, os trabalhadores finlandeses [ou seja, os socialistas] viram salvação na redistribuição da propriedade e na distribuição de bens e rendimentos, no nivelamento das condições humanas para criar uma nova sociedade sem classes socialista “. (Kalevi Pekka Hämäläinen. Recensão do livro Power of the Word, Force of Hatred: Socialist Revolutionary Doctrines and Their Effect in the Finnish Workers’ Movement, 1905-1914 (Poder da Palavra, força do Ódio: Doutrinas Socialistas Revolucionárias  e seu efeito no Movimento dos Trabalhadores finlandeses, 1905-1914) por Jari Ehrnrooth. In The American Historical Review, vol. 99, N º 4 (Out. 1994), p. 1339 Disponível em http://www.jstor .org/stable/2168860)

[12] Em alemão: “Die Religion … Sie ist das Opium des Volkes”, Karl Marx Crítica da Filosofia do Direito de Hegel (em alemão, Kritik des hegelschen Staatsrecchts), obra publicada em 1844.

[13] V. I. Lenin, O Socialismo e a Religião, artigo publicado no jornal Nóvaia Jizn, nº 28, 3 de dezembro de 1905. Disponível em http://www.marxists.org/portugues/lenin/1905/12/03.htm

[14] Não há dúvida de que a verdadeira religião desvia os homens da revolução social, mas não da luta para a implementação de uma verdadeira civilização, que é a civilização cristã, como declarou São Pio X (São Pio X, Carta Apostólica Notre Charge Apostolique [Nosso encargo apostólico] aos Bispos da França, 25 de agosto de 1910, n. 11).

[15] Será o reino da anarquia, que esses utopistas concebem como possível, sem causar transtorno ou confusão.

[16] August Bebel (1840–1913), teórico socialista alemão: “Em um livro publicado em Leipzig encontramos expresso o seguinte pensamento: ‘O impulso sexual não é nem moral nem imoral, é simplesmente natural como a fome e a sede. A natureza não conhece nada da moralidade’. Mas a sociedade organizada está muito longe de reconhecer a verdade desta sentença” (August Bebel. A Mulher e o Socialismo, Capítulo VII: A mulher como um Ser Sexual, # 1. Obtido em

http://www.marxists.org/archive/bebel/1879/woman-Socialism/ch07.htm)

[17] August Bebel: “A mulher pode amar quem ela quiser e por quanto tempo quiser. Se ela não estiver satisfeita com uma aliança, ela pode afrouxar o nó e abençoar algum outro com seu amor. Casada ou não, ela deve desfrutar de perfeita igualdade com o sexo forte” (August Bebel, Die Frau, p. 192, conforme resumido pelo Padre Victor Cathrein, SJ, Socialism… op. cit.. Obtido em

http://www.archive.org/stream/socialismexposed00cathuoft

/ Socialismexposed00cathuoft_djvu.txt

[18] Ainda Bebel: “O homem deve ser livre para dispor do mais forte instinto de sua natureza como de todos os outros instintos naturais. A satisfação do instinto sexual é um assunto pessoal de cada indivíduo, tal como a satisfação de qualquer outro apetite natural. Portanto, ninguém é obrigado a prestar contas de tal gratificação, e nenhum intermediário gratuito  está  autorizado a interferir no assunto. Prudência, educação e independência irão facilitar e orientar a escolha adequada. Se o desacordo, decepção ou insatisfação surgir, a moralidade [!] exige uma ruptura dessa  inatural e, consequentemente, imoral aliança. “(August Bebel, Die Frau, p. 192, citado pelo Pe. Cathrein, SJ, Socialism…, op. cit.

http://www.archive.org/stream/socialismexposed00cathuoft

/ Socialismexposed00cathuoft_djvu.txt )

[19] Friedrich Engels, Princípios Básicos do Comunismo (1847). Q. 18. Disponível em http://www.marxists.org/portugues/marx/1847/11/principios.htm

 

9 COMENTÁRIOS

  1. Gostaria de perguntar a especialistas, pois sou apenas um artista plástico não famoso e nem rico, sobre se é correto tomar o poder pelas mão dos trabalhadores e depois deixá-los sem liberdade econômica, dando essa liberdade aos políticos socialistas e ainda reprimir a classe que produz toda a riqueza e não é rico?

     
  2. Esse Hubert manifesta sua “TFPfobia” de uma maneira ridícula.

    Deus tenha piedade da alma dele! Mal sabe que está sendo ludibriado pelo discurso anti-cristão socialistóide de pessoas que não pestanejariam em arrancar-lhe a cabeça assim que parasse de fazer eco a tais pútridos jargões esgoelados pela turminha da esquerda latino-americana.

    Rezemos para que ele aprenda a ter seriedade, antes de começar a discutir; e que ele comece a estudar também – afinal, quem quer que saiba um pinguinho notará a fragilidade gelatinosa dos seus argumentos apresentados.

     
  3. A onda homossexual provém do feminismo, nada a ver com socialismo; os regimes socialistas, do soviético ao cubano e chines, sempre hostilizaram os gays.
    Inclusive o aborto, deriva diretamente do feminismo, embora também, por outro viés, pertença às praticas dos regimes socialistas.
    À rigor, o feminismo tem raízes independentes dos movimentos socialistas, muito embora, esses também o adotem.

     
  4. Vendilhões ,assasinos,mataram mulçumanos,judeus,ajudaram nazistas e querem falar de moral,de santos,ludribriando o povo com suas mensagens de caridade,eu sou a favor de DEUS sim,de Jesus Cristo, não sou a favor é vocês ,seus reacionários monarquistas ,que por voces o negfro continuaria escravo ,o pobre trabalhador tem que se contentar com o pouco que tem,patrão é patrão e ponto final,não ,não iremos exterminar vocês com armas ,mas sim com a palavra,com o exemplo,quando o povo perceber que DEUS é amor,DEUS é superação,DEUS é fraternidade e não propriedade privada e Valores das classes dominantes defendidos por vocês !
    Se adianta o tempo do império dos homens fraternos com DEUS,e o EStado Socialista,chega de intelectualzinhos falando de DEUS,e defendendo serem ricos do jeito que são,exploradores,pedofilos,reacionarios.

     
  5. Essa TFP do plinio é a mais breve expressão do reacionarismo imbecil e inocuo das igrejas mentirosas que falam de DEUS ,quando na realidade querem é manter seu papel de ludibriadores do povo ,mantendo seu ststus suas riquezas enquanto a maioria passa fome,voces devem é sim serem exterminados da face da terra e isso faremos !

     
  6. Excelente o artigo postado hoje, de Gustavo A. Solimeo – “Um fantasma ronda a América – O Socialismo”. Provera que fosse publicado no Brasil em forma de livro, pois, aqui no Nordeste a pregação socialista é marcante. Na recente Bienal Internacional do livro que se realizou em Fortaleza entre 9 e 18 de abil deste ano, o destaque na programação foi o “Seminário Cultura – Democracia e Socialismo na América Latina e Caribe”. Com expositores, cubanos, venezuelanos etc. Exultaria poder divulgar por estas terras nordestinas tão excelente trabalho de esclarecimento contra o Solialismo.

     
  7. Concuerdo totalmente con lo expuesto en el artículo precedente. Desgraciadamente, la opinión pública no advierte es que, como bien lo señala el autor, aún cuando haya menguado el poder político del comunismo, la revolución cultural neomarxista está en auge.
    Nos queda la oración, medio infalible; y una acción esclarecedora que no debe restringirse a la refutación doctrinaria, sino que debe comprender también desenmascarar sus tácticas insidiosas. Así como la divisa del demonio es “larvatus prodeo”(avanzo enmascarado, cfr. Etienne Couvert, “De la gnose a l’ oecumenisme”, Eds. Chire en Montreuil, 1983, pag 30); la
    misma pareciera ser la de su instrumento ideológico.-

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome