30 garrafas de Westvleteren XII com seus copos e a caixa (no fundo) para presente
30 garrafas de Westvleteren XII com seus copos
e a caixa (no fundo) para presente

A cerveja Westvleteren XII, produzida na Abadia de São Sixto de Westvleteren (Bélgica), há anos vem sendo eleita a melhor do mundo por milhares de especialistas.

Em conseqüência, os pedidos dessa bebida se multiplicaram, a cerveja se esgotou e muitos clientes exigiram aumento de produção.

A abadia, contudo, não pretende elevar a produção. “Para nós, a vida na abadia vem primeiro, não a cervejaria” — explicou o monge Mark Bode ao jornal “De Morgen”.

Na abadia, cerca de 30 monges trapistas levam uma vida de reclusão, orações e trabalho manual.

Neste ano (2013) a cerveja Westvleteren XII voltou a ser apontada como “a melhor cerveja do mundo” (“Best Beer in the World”). Confira no siteRatebeer.

A imprensa especializada se pergunta como isso pode ser possível, superando em qualidade os maiores holdings e empresas de cerveja do mundo.

Muitos pequenos fabricantes especializados tentam imitar seus procedimentos.

Uma das maiores dificuldades dos monges de São Sixto é que a Westvleteren é tão procurada que se esgota logo.

Os monges trapistas ficam então obrigados a vender quantias limitadas por cliente.

Os monges não acostumam dar entrevistas e a mídia em geral se sente incomodada não sendo recebida.

Também os frades não fazem propaganda de suas cervejas. Acresce o fato que a cerveja monástica é vendida sem etiqueta desde 1945.

Porém, para cortar o caminho a maledicências, o monge Mark Bode ratificou à imprensa que a abadia não tem intenção de aumentar a produção malgrado a demanda.

“Nós fazemos a cerveja para viver, mas nós não vivemos para fazer cerveja”, esclareceu. O eventual lucro excedente é destinado a obras de caridade.

Os monges de São Sixto não ligam para a fama justamente conquistada pelas suas cervejas.

Os visitantes não-monásticos da abadia em geral são dissuadidos para não entrar, mas podem encontrar informação num centro sobre a abadia e as cervejas.

Os frades desejam produzir só o necessário para a comunidade poder prosseguir sua vida de oração, silencio e contemplação.

Restos ainda vivos da Idade Média, época que no ensinamento de S.S.Leão XIII, a filosofia do Evangelho impregnava as instituições e a civilização produziu frutos superiores a toda expectativa.

 

2 COMENTÁRIOS

  1. Uma vez, por essas andanças Brasil afora, experimentei uma cerveja holandesa. Pude constatar como a cerveja brasileira é uma droga.
    A destes monges deve ser muito e muito superior.

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here