Na China, PCCh “rompe” acordo secreto com o Vaticano

0

O Acordo Vaticano-Pequim (com cláusulas secretas), renovado por Roma em outubro, terá sido violado com a nomeação de um bispo pelo PCCh? Acordo secreto, não se conhecem as cláusulas …

A única coisa positiva que se sabe — com base em fatos notórios — é a contínua perseguição do Partido Comunista Chinês aos católicos fieis à Roma forçando-os (com base no Acordo) a se ingressarem na igreja patriótica lacaia do governo comunista.

Adaptação de foto de LifeSiteNews

A prisão do Cardeal Zen, a multa que lhe foi imposta pela China comunista bem comprovam as denúcias desse corajoso cardeal faz das perseguições religiosas — são fatos públicos. O PCCh não mudou sua atitude face à Religião Católica após o tal Acordo (secreto) Provisório.

Comenta LifeSiteNews: “A perseguição do PCCh aos cristãos tem sido tão manifesta nos últimos anos que o Congresso dos EUA e órgãos internacionais, como o Parlamento Europeu, chamaram a atenção para isso, repreendendo até mesmo o Vaticano por ignorar a situação dos católicos chineses e por sua falta de apoio a figuras proeminentes, como o Cardeal Zen.”

O PCCh usa do Acordo para forçar os católicos fieis à Roma a ingressarem na igreja do PCCh.

Ponto final, nisso se resumem as consquências do Acordo Provisório …

É hora de rompimento, não de manifestar insatisfação

“Ao expressar insatisfação com a última ação do PCCh em designar um bispo para uma diocese que não é reconhecida como tal por Roma, o Vatican News (site oficial do Vaticano) sugeriu em sua reportagem sobre o recente julgamento do Cardeal Joseph Zen que o PCCh não persegue os cristãos.

***

Não há poder humano, sobre a face da Terra, que possa impedir a Santa Igreja de manifestar a Fé em Cristo Nosso Senhor e pregar o Evangelho: Ide e evangelizai todos os povos, batizando-os em nome do Padre, do Filho e do Espírito Santo — esse é o Mandato Divino aos Apóstolos e seus sucessores.

Se motivos houvesse que justificassem o Acordo Provisório, uma ruptura — da parte do PCCh — como designar um bispo para uma diocese não reconhecida pelo Vaticano já seria motivo de cancelamento. E há tantas outras razões para que esse Acordo seja revogado e denunciada a peserguição religiosa na China comunista contra fieis, sacerdotes e bispos.

Nossa Senhora, imperatriz da China, liberte aquele povo das garras do comunismo.

Fonte: https://www.lifesitenews.com/news/vatican-suggests-communist-china-does-not-persecute-christians/?utm_source=top_news&utm_campaign=usa

Deixe uma resposta