Desse Papa, nascido no século IV, também nada se sabe de sua vida antes de ser eleito para a Sé de Pedro. Segundo o Liber Pontificalis ele nasceu em Albano, e seu pai chamava-se Inocêncio. Ele cresceu entre o clero romano e no serviço da Igreja. Nesse tempo governava a nave de Pedro o papa Santo Anastácio I, romano por nascimento, que havia ficado Papa em 399. Lembrado principalmente por sua condenação do Origenismo, ele tinha entre seus amigos Santo Agostinho, São Jerônimo e São Paulino. São Jerônimo fala dele como de um homem de grande santidade, que era rico em sua pobreza. Viveu no tempo das invasões bárbaras. Governou a Igreja apenas quatro anos.

Depois da morte de Anastácio, em dezembro de 401, Inocêncio foi unanimemente escolhido para sucedê-lo.

O novo Papa mostrou-se ardoroso defensor das prerrogativas papais, assegurou ao bispo de Tessalônica a preeminência sobre os outros bispos da Ilíria oriental, continuou a obra de São Cirício na organização da disciplina eclesiástica (celibato eclesiástico, administração dos Sacramentos e jurisdição dos sínodos provinciais), e procurou, embora em vão, estabelecer a paz entre o fraco imperador Honório e Alarico, rei dos godos, e interveio em favor de São João Crisóstomo exilado.

Quando cinco bispos africanos, entre eles Santo Agostinho, escreveram uma carta a Inocêncio relativa às suas posições em matéria do Pelagianismo, Inocêncio, em sua resposta, louvou-os porque, respeitando a autoridade da Sé Apostólica, apelaram ao Papa. Ele rejeitou os ensinamentos de Pelágio, e confirmou as decisões tomadas pelos Sínodos africanos.

Também vê-se sua influência num drástico decreto que o imperador Honório lançou em Roma, em 22 de fevereiro de 407, contra os hereges maniqueus, montanistas e priscilianos.

Devido à munificência de uma rica matrona romana, Vestina, Inocente pôde construir e decorar ricamente uma igreja dedicada aos Santos Gervásio e Protásio.

Foi durante seu pontificado que ocorreu o cerco e a captura de Roma pelos godos sob Alarico (408-410). E quando o líder bárbaro declarou que só se retiraria se os romanos apresentassem uma proposta de paz que lhe fosse favorável, uma embaixada de romanos da qual fazia parte o Sumo Pontífice, foi até o imperador Honório, em Ravena, para tentar, se possível, que ele fizesse paz com os godos. Entretanto, apesar de todos os esforços de Inocêncio, ele não foi ouvido. Os bárbaros recomeçaram então o cerco de Roma, de modo que o Papa e os outros embaixadores não puderem retornar à Cidade Eterna, que foi tomada e saqueada em 410.

O Papa Inocêncio faleceu no ano 417, e foi sepultado numa basílica sobre a catacumba de Pontiano, e desde logo foi venerado como santo. Ele foi um homem muito enérgico e ativo, e altamente dotado como governante, que cumpriu admiravelmente os deveres de seu ofício.

Gostaria de receber as atualizações em seu email?

Basta digitar o seu endereço de email abaixo e clicar em “Assinar”.