Ameaça de bomba em Lourdes revela revolta do mal

    Policiais vasculham todo o Santuário.

    Luis Dufaur

    Por volta de 30.000 peregrinos foram evacuados com emergência ao meio-dia de domingo, festa da Assunção, do Santuário de Lourdes, após um falso alarme de bomba.

    Na data, o santuário estava particularmente concorrido pela importância da Assunção de Nossa Senhora e pelo fato de ser domingo, no meio das férias.

    “O alarme foi recebido na delegacia e anunciava que quatro bombas iriam explodir às 15:00 hs (18:00 hs horário de Brasília) nos Santuários”, segundo o responsável pelo serviço de imprensa dos santuários, Pierre Adias.

    Pierre Bidal, governador do departamento de Hauts Pyrénées, onde fica Lourdes, explicou que o telefonema foi feito desde uma cabine próxima do santuário por “um homem com forte pronúncia mediterrânea (do sul da França), que parecia bastante determinado”, informou o diário francês “Le Figaro”.

    “Creio que num santuário como Lourdes, com todo o simbolismo que está envolvido, é supremamente importante levar a sério a hipótese, sobretudo pelo fato de que este tipo de alarme é extraordinariamente raro”, explicou Bidal à imprensa.

    Os peregrinos foram convidados a sair do Santuário com mensagens em seis línguas. A evacuação ocorreu em perfeita calma, não tendo sido registrados nenhum incidente nem feridos.

    Aliás, um dos imponderáveis de Lourdes é a calma sobrenatural que se respira no local. Em outros lugares marcados por falsas religiões ou pela imoralidade, como Meca ou o Love Parade de Berlim, circunstâncias análogas geram pânicos irracionais com dezenas e até centenas de mortos.

    Equipes especializadas da polícia vasculharam todos os cantos, mas não encontraram nenhum objeto
    suspeito.

    O prefeito da cidade, Jean-Pierre Artiganave, elogiou “a dignidade e o respeito dos romeiros que aguardaram com

    A polícia agiu calmamente.

    tranqüilidade o fim das investigações e depois re-ingressaram calmamente no santuário”.

    Durante a intervenção das equipes anti-explosivos, os fiéis “cantaram e rezaram sem nenhuma forma de debandada”, grande perigo nessas circunstâncias e, tal vez, objetivo final da ameaça.

    Às 16:45 hs (21:45 hs de Brasília), após a investigação policial, o santuário foi reaberto e as devoções retomaram no mesmo dia e nos horários previstos.

    Em 12 de agosto de 1983, uma explosão provocada por mão desconhecida, destruiu uma estátua do Via Crucis.

    O Santuário ocupa 52 hectares e inclui 22 locais de devoção e dois hospitais para doentes.

    Em volta da Gruta das aparições há três basílicas: a da Imaculada Conceição (construída em 1871 no local mais elevado), a de Nossa Senhora do Rosário (de 1901, logo abaixo da anterior), e a de São Pio X (1958, subterrânea), além de várias capelas, como a cripta da basílica da Imaculada Conceição.

    Próximo da Gruta, nos locais das piscinas onde os fiéis podem cumprir o pedido de Nossa Senhora de se lavar, cerca de 400.000 pessoas tomam banho ao longo de todo o ano.

    O total das velas acessas atinge 750 toneladas.

    Em 2009, Lourdes recebeu 6,3 milhões de peregrinos vindos do mundo inteiro.

    O falso alarme evidencia o quanto o espírito das trevas e seus asseclas sentem-se prejudicados com a devoção a Nossa Senhora de Lourdes. E, ao mesmo tempo, patenteia a proteção d’Ela sobre o local de sua aparição, afastando as insídias do mal.