Catolicismo na Coreia do Sul não cessa de crescer

Missa de Natal numa igreja de Seul
Missa de Natal numa igreja de Seul

A Igreja Católica na Coreia do Sul cresceu 1,5% em 2013, de acordo com as estatísticas oficiais da Conferência Nacional dos Bispos, superando largamente o crescimento vegetativo da população. Dessa maneira, superou a fronteira dos 10% do país, atingindo 10,4%, noticiou a agência AsiaNews.

No grande conglomerado populacional representado pela capital Seul e suas cidades satélites se concentram 56,1% dos católicos do país.

Em 2013 foram batizados 118.830 catecúmenos, na sua maioria homens adultos (63.285). Também foram batizadas 25.589 crianças.

Ainda em 2013, foram ordenados 117 sacerdotes, 2,6% a mais do que o ano passado. O número de sacerdotes chegou a 4.901, com 36 bispos, dois Cardeais, 1.564 religiosos regulares e 10.173 freiras. Os fiéis totalizam 5.442.996 e foram atendidas 4.665.194 confissões.

Os números refletem uma tendência constante há bom número de anos. Mas existem fatores que preocupam.

Os maus exemplos, escândalos e confusões que provêm também do clero no exterior estão prejudicando o catolicismo coreano.

Em 2013 o número de casamentos caiu 6,2% e a frequência à Missa diminuiu 1,5% em relação ao ano anterior.