Até aqui, pelo menos na Alemanha, a pensão paga ao parceiro(a) de uma aliança civil de pessoas do mesmo sexo (entenda-se homossexuais) era menor do que a garantida pelo casamento. A Corte decidiu que isso constitui uma discriminação em razão da orientação sexual. Efetivamente, é o que se encontra no artigo 21 da Carta dos Direitos Fundamentais da União Europeia, proclamada em 2007.

Os juízes da União Europeia julgaram que os homossexuais de Hamburgo tinham sido discriminados pela lei alemã, que impunha as mesmas obrigações aos parceiros e aos esposos casados, concluindo que as duas situações são “comparáveis”, segundo noticiaram a BBC de Londres e o EUObserver, bem como a página web Talpa brusseliensis christiana, da Federação Pró Europa Cristã.

Ainda que esse julgamento não entre em vigor de imediato, ele abre um precedente no sentido de estimular outros países a reconhecer as parcerias civis, chamadas impropriamente de “casamentos” homossexuais.

Então vemos como uma corte de juízes, de um conjunto de 27 nações – entre as quais algumas das mais importantes da Terra – decidem que dois homens ou duas mulheres que vivem juntos são “iguais” a um casal de homem-mulher desposados legitimamente perante a lei de Deus e a dos homens. Que poder tem eles para essa decisão contrária à lei natural?

— Excelentíssimos Senhores juízes: Vós, que julgais com tanta ligeireza os homens, não temeis ser julgados por Deus?

Essa decisão equiparando homossexuais que se unem, em última análise, apenas para fruir do prazer carnal, sem os incômodos da mãe ou do pai de família que têm de criar, nutrir, cuidar, sobretudo educar os seus filhos, não é em si uma grande injustiça?

Os homossexuais não vão se constituindo assim numa casta privilegiada, diante da qual todos os outros humanos têm de curvar-se como párias e dizer “amém”?

O pecado de homossexualidade figura na Bíblia, livro sagrado não só do judaísmo, mas também do Cristianismo. Erigir um estado de vida que viola os mandamentos dessas religiões, não é em si mesmo um insulto a todos os que as professam? Ou estarão todos os homens obrigados a reverenciar uma nova seita que se impõe ao mundo pela vontade de um punhado de políticos e de juízes?

Fala-se tanto em democracia. Que referendo ou consulta popular autoriza a impor assim uma lei contrária a costumes seculares? Ainda recentemente, os católicos poloneses recolheram em pouco tempo mais meio milhão de assinaturas contra o aborto. Seriam os homossexuais capazes de conseguir um apoio popular assim sem as fraudes com que inflam suas manifestações públicas, com o apoio de certa imprensa? Espero que ainda haja liberdade de opinião para pedir a Deus que livre a Europa e o Brasil desse pecado monstruoso.

6 COMENTÁRIOS

  1. Ressalto ainda que, não sou preconceituosa, afinal que “porcaria” de educadora seria eu. Ja temos prova o suficiente como resultados de muitas e muitas pesquisas que “ser homossexual” por problemas ocorridos na infância principalmente, é híper diferente de “se tornar homossexual” por alguém te convencer que “está na moda” ou que “é o MÁXIMO” ou mesmo pela idiotice de que isto “É UM DIREITO SEU”! Pior ainda, ser contra os princípios de Deus? Nem morta. Se o governo investisse realmente na educação certa o mundo não estaria passando por tantos sofrimentos como: mortes seguida de roubo, estupro, violência i-m-b-e-c-i-l-m-e-n-t-e cometida sem motivo aparente, entre tantos outros. A Igreja de Cristo acolhe a todos sem distinção de sexo, é só ser inteligente e dar uma estudada na bíblia: “Amo-vos! Mas “””detesto””” vossos pecados”!!!!!!!! E Santa Terezinha do Menino Jesus ainda dizia: “Os nosso pecados por mais feios e numerosos que sejam, desaparecem diante da bondade de Deus, como uma gotinha de água no oceano imenso.” “ARREPENDEI-VOS E CREDE NO EVANGELHO”. (Marcos 1: 14 – 15). Então para que tanta briga? Ora Senhores Presidentes (ex e atual), tomem vergonha na cara e oriente seu povo, que é este o vosso dever, mas com dignidade e não com “putaria” como estão fazendo.
    NÃO SOMOS PALHAÇOS!

  2. Também lhe parabenizo Jairo! Eu com certeza seria mais uma mãe a colocar meus filhos nesta escola “sem obrigação” de “aprender” ser gay!!!!!!!!

  3. Eu nunca tive preconceito, respeito os homossexuais, não os admiro, não ensino meus filhos a admirarem apenas a respeitarem, não convivo com eles por terem assuntos muito diferentes do meus, e não tem como dialogar são mundos diferentes, mas converso sim assuntos que são comuns a seres humanos, não entro em assunto polémico.
    Mas acreditem nenhum governante, nenhum juiz, vai me obrigar a deixar que a escola ensine a meus filhos que este desvio é normal., mas não vai mesmo, se necessário eu darei além da educação de berço, a educação académica.
    Já penso em reunir em associação com quantos pais forem necessário e montar uma escola particular sem ligação com o ministério da deseducação e contratar professores que vão ministrar a mesma educação que se tinha nos anos 60, não se assustem falo de matérias como historia, geografia, matemática, física, química,etc… sendo educação moral social e cívica uma matéria que fará parte integrante que formará patriotas, nossos governantes estão formando um povo ideológico para dar sustentação a sua maneira de governar para eles não interessa patriotismo tanto que fizeram nestes últimos 10 anos uma patriotomia, e estão avançando.
    Precisamos contra atacar urgente, hoje nem com as forças armadas podemos contar na defesa da nossa carta magna, eu já estou saindo da inércia e pensando numa solução, de parar essa ditadura lenta e continuada que está ai.

  4. “parcerias civis”, “aliança civil”: estas duas palavrinhas retiradas do texto já demonstram a grande diferença delas com relação ao “casamento religioso”, “sagrado matrimonio”, “enlace matrimonial”, “nupcias”.
    Muito além das diferenças estão as familias que compõem a geração de filhos próprios e fazem de tudo para educa-los, forma-los longe daquelas aberrações, e vem juizes estabelecer alguma isonomia com os verdadeiros casais – homem e mulher. A meu ver a discriminação e que vem pela iniciativa deles que dão causa ao preconceito que nao é racial, mesmo porque preferencia sexual não tem nada de racismo.

  5. Concordo inteiramente com o Gabriel. Nossa época tão cheia de preconceitos contra os privilégios, só tem uma exceção: aos homossexuais. Imposto goela abaixo pelas autoridades, porque o povo não apoia essa aberração. Prova? Por que tem medo de fazer um plebiscito para pedir a opinião geral? Que Deus nos livre da mesma sorte que caiu sobre Sodoma e sobre o império romano.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome