Muitos são aqueles que negam o papel civilizatório e impulsionador do verdadeiro progresso da Igreja Católica acusando-A, irracionalmente, de obscurantista, atrasada, retrógrada, inimiga da ciência etc., mas se se derem o trabalho de se locomover até o Oca (Parque do Ibirapuera), portão 3 e dispor de R$ 44,00 poderão ver a exposição “Esplendores do Vaticano” e terão a oportunidade de negar o óbvio diante dos objetos que provam o contrário.

Porém, os admiradores da verdade poderão fortalecer sua fé. É o que se pode depreender da leitura da reportagem que abaixo resumimos:

De olho no Vaticano

Silas Martí

São Paulo — Vindo direto das salas, depósitos e arquivos do Vaticano, um conjunto de cerca de 200 peças conta parte da história do cristianismo ao longo dos últimos 2.000 anos. Esse recorte de obras de arte, relíquias arqueológicas e objetos da Igreja Católica chega amanhã à Oca, em São Paulo, numa dessas exposições que têm tudo para causar grandes filas e arrebatar o público mais devoto.

“São objetos que não ficam expostos nem mesmo no Vaticano, muitos nunca saíram de lá”, diz o monsenhor Roberto Zagnoli, organizador da mostra. “Essas obras se pautam pela beleza, pela busca de uma espiritualidade comum entre os homens, que vai além da expressão da fé.”

Entre as peças, há obras de Michelangelo — um baixo-relevo da Pietà e uma réplica da escultura da basílica de São Pedro — que ajudam a entender o papel de mecenas exercido pela igreja e os laços entre arte e fé, já que o artista dedicou quase toda a vida a encomendas monumentais do alto clero. No caso do mestre renascentista, a escultura em baixo-relevo, uma obra do final de sua vida, contrasta com a perfeição das formas que ele buscou em sua juventude.

Rostos do cristianismo — Pirotecnias à parte, peças menores, como dois anjos em madeira dourada do ateliê de Gian Lorenzo Bernini, um dos maiores nomes do barroco e artífice da modernização urbana de Roma, também integram a exposição. Embora não haja grandes pinturas, quatro afrescos remanescentes da igreja de São Paulo, destruída num incêndio em 1823, e o rosto de Jesus Cristo pintado por Giovanni Francesco Barbieri, o Guercino, dão cara aos personagens do cristianismo. Guercino, aliás, retratou o rosto de Jesus como ele teria aparecido no sudário usado para enxugar seu sangue e suas lágrimas na Via Crucis.

“Essa é uma maneira tradicional de retratar a figura de Cristo, com as gotas de sangue sobre o rosto e a coroa de espinhos”, analisa Zagnoli. “Parece algo muito real, dá vontade de tocar.”

Esplendores do Vaticano; Quando abre amanhã; de seg. a dom., das 10h às 20h; até 23/12

Onde Oca (pq. Ibirapuera, portão 3, tel. 4003-5588); Quanto R$ 44,00.

7 COMENTÁRIOS

  1. Em Mt 16.18 JEsus referiu-se A SI MESMO, e não a Pedro. A ROCHA base da Igreja é o infalível Jesus, e jamais o falível Pedro (ele confirma em Atos 4.12). A verdadeira Igreja começou com Pedro e os demais apóstolos, sim, mas não é a PODRE pseudoigreja católica pseudoapostólica romana: esta entidade dirigida por papas assassinos, prevaricadores, imorais, idólatras, praticantes de prostituição, adultérios, simonias, genocídios, invasões, torturas com requintes de crueldade, massacres, execuções sumárias, com seus dogmas sem base bíblica, nasceu no ventre pagão de Constantino (que NUNCA foi cristão) em 313. Chamar Pedro de papa é uma ofensa a ele, a Jesus, aos demais apóstolos e à verdadeira Igreja peregrina e perseguida por Roma, que nunca foi império-estado, como a entidade católica romana. O que Jesus disse a Pedro em Mt 16.23, Ele CERTAMENTE DIRIA a muitos papas, bispos e padres em toda a história: “arreda, satanás! tu és para mim pedra de tropeço, porque não cogitas das coisas de Deus, e sim, das dos homens”. A Bíblia demonstra que Pedro era falível como todo ser humano, portanto, é abominável o decreto da infalibilidade papal, pois Pedro tinha fé e moral e fidelidade a Jesus e à Bíblia, qualidades que faltaram a todos os papas, desde o 1º (Constantino). Poderiam homens dirigidos pelo espírito santo produzir carnificinas como as cruzadas e a diabólica inquisição? Jesus deu carta branca para inventarem tantas coisas que não estão na Bíblia? NÃO. TODA a Escritura é inspirada por Deus (2 timóteo 3.16); não ultrapasseis o que está escrito (1 Corintios 4.6); Deus é absoluto e completo, portanto a Bíblia é a Sua Palavra absoluta e completa, não precisa ser emendada ou corrigida por homens sem fé (a fé verdadeira no Deus que não é representável por homens, objetos, estátuas, e não precisa de auxílio humano) e sem moral.

  2. Pronto, o “prots” retorna ao protestar por protestar.
    Novo aborrecimento para nós – suspiro. Aqui está a resposta Católica nº 1.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000 sobre o MESMO ASSUNTO:
    Mt 16, 18:” Tu és Pedro e sobre esta Pedra edificarei A Minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela”.
    JESUS é a Pedra Espiritual da Igreja e Pedro, com base no visto acima, é a Pedra Visível da Igreja, Pedro que foi martirizado em Roma. O túmulo de Pedro é, também do ponto de vista da engenharia, a pedra fundamental da Basílica da São Pedro, o MAIOR TEMPLO CATÓLICO DO MUNDO – e isto NÃO é por acaso: é Mt 16, 18 OSTENSIVAMENTE DEMONSTRADO!

    A verdadeira Igreja de CRISTO só poderia ser a que estivesse DESDE SEMPRE, ATÉ HOJE E PARA SEMPRE na História da humanidade D.C. – depois de CRISTO -, pois JESUS disse em Mt 28, 20: “Eis que estou convosco TODOS os dias até o fim do mundo”. Vou repetir: TODOS os dias. Repito de novo, pois faz 500 – quinhentos – anos que os protestantes “não entendem”: TODOS os dias. Mais uma vez: TODOS os dias. Atenção, aqui vai: TODOS os dias.

    Qual é a ÚNICA “denominação” que preenche esse NECESSÁRIO requisito?

    R.: A UNA – porque é uma só e a mesma -, SANTA – porque sua Base Fundadora é JESUS e JESUS é Santíssimo -, CATÓLICA – porque para TODOS os seres humanos -, APOSTÓLICA – porque dotada da Fé e da Sucessão dos Apóstolos – e Petrina ou Romana – porque em Roma está, historicamente, a Sede, onde Pedro sofreu o martírio para testemunhar até o extremo o martírio que JESUS sofreu em Jerusalém – IGREJA DE CRISTO, a única.

    Portanto, quem não aceita a NECESSÁRIA historicidade da Igreja de CRISTO também não acredita em JESUS, que se disse presente TODOS os dias, ou seja, o incrédulo “esquece” que JESUS indicou que em TODOS os dias as portas do inferno não prevaleceriam e não prevalecerão contra A – única – Igreja do Senhor.

    E o resto é recalque que NÃO PERDE UMA DESTE SITE – !! -, o resto sempre me torna AINDA MAIS Católico para a glória de DEUS!

  3. @Adelino Fernandes de Sousa
    Adelino. Com o devido respeito, não podemos contestar se a igreja católica é una, há controvérsias, santa, (será?), católica, podemos aceitar pois é mundial na sua expansão e costuma-se dizer que tudo que é mundial é universal, embora seja muita pretensão, qualquer coisa na terra se achar universal, (só Deus o é) apostólica, podemos aceitar, pois tem sua base doutrinária no ensino dos apóstolos embora desviando-se dele e criando muitos dogmas posteriormente, você se esqueceu do cognome “romana”, e é verdade, pois encontra-se sediada em Roma. Agora, dizer que tem sua cabeça em Roma, além de uma expressão herética, pois a cabeça da Igreja Universal e verdadeira, é JESUS e ele está no céu, é uma afirmação falsa, pois você diz que é sediada em Roma por instituição divina e eu pergunto: Onde você viu ou ouviu que Deus instituiu sua igreja com a cabeça em Roma?

  4. Ir para além das palavras e outras necessárias manifestações, esta da exposição de obras de arte belas e expressivas da experiência e da vida da Igreja – que é una, santa, católica, apostólica e com a sua Cabeça em Roma por instituição divina = características da verdadeira Igreja de Cristo – é uma bela e oportuna realização. Agora há que ir online levar a notícia aos nossos contactos sobre este evento de exposição em São Paulo. E por que não ir depois para outras cidades?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome