Nacional-2-1024x518

Frei Betto enaltece o D8243 — que ele considera fruto de iniciativas análogas anteriores — e lamenta que o mesmo seja editado somente 11 anos depois da ascensão do PT ao poder…

Sempre se admitiu — e com quanta razão! — que o pensamento do PT é marxista, e que sua meta última é a implantação do comunismo no Brasil. E isto explica-se facilmente, uma vez que esse partido é a expressão sociopolítica da corrente religiosa denominada “Teologia da Libertação”, a qual visa tornar o comunismo palatável aos católicos latinoamericanos.

Além das demonstrações de simpatia pelo comunismo havidas ao longo dos três governos petistas no âmbito externo — solidariedade em relação a ditadores do Irã, do Vietnã, de Cuba, da Venezuela etc. — a obra interna desses governos tem sido de demolição das instituições. Seu objetivo está consubstanciado no famigerado Programa Nacional de Direitos Humanos – 3 (PNDH-3), um dos documentos revolucionários mais amplos e radicais de que se tenha notícia, decretado no apagar das luzes do segundo mandato de Lula da Silva.

Pois bem, a recente edição de um dos postulados do PNDH-3 — o Decreto 8.243, assinado pela presidente Dilma em 23 de maio último, o qual estabelece a “Política Nacional de Participação Social” e o “Sistema Nacional de Participação Social” — está em vias de transformar o Brasil em um país comunista, onde os verdadeiros interlocutores do governo serão os mal-chamados “Movimentos Sociais”. Exatamente como aconteceu na Rússia, quando foi criado um poder paralelo — o dos sovietes — que depois prevaleceu sobre os demais poderes e implantou o regime comunista antinatural e anticristão que escravizou não somente aquela nação, mas diversas outras por muitas décadas.

Se alguém ainda tiver alguma dúvida sobre o que pretende o governo petista com o referido Decreto 8.243, leia as declarações de Frei Betto, publicadas em 14-7-2014 no site da “Rede Brasil Atual” (RBA) sob o título “Para Frei Betto, Política Nacional de Participação Social fortalece a democracia”. Sublinhamos algumas partes das declarações e chamamos a atenção para o fato de que os esquerdistas sempre falam arteiramente em “aprimorar a democracia” para evitarem de dizer “implantar o socialismo ou o comunismo”.

Eis a notícia:

“São Paulo — Para o assessor de movimentos sociais, Frei Betto, a Política Nacional de Participação Social, decreto assinado pela presidenta Dilma Rousseff no dia 23 de maio, é um avanço democrático que deve fortalecer a participação da sociedade civil na construção de políticas públicas. Em seu comentário hoje (14-7) à Rádio Brasil Atual, o escritor ressalta que o decreto vai de encontro às demandas apresentadas pela sociedade.

“‘Esse decreto obriga todos os órgãos e entidades da administração pública federal, direta e indireta, de consulta pública antes de qualquer decisão de interesse da sociedade civil’, explica. O objetivo da política é consolidar a participação social como método de governo e obrigar que todos os ministérios e agências reguladoras consultem a população. ‘Trata-se de um passo importante para aprimorar a democracia brasileira.’

“A PNPS — recém-instituída por meio do Decreto Presidencial nº 8.243 e que vem despertando forte resistência da oposição ao governo federal no Congresso — tem o objetivo de fortalecer e articular os mecanismos de diálogo entre a administração pública federal e a sociedade civil. Para isso, o decreto define dez conceitos: sociedade civil, conselho de políticas públicas, comissão de políticas públicas, conferência nacional, ouvidoria pública federal, mesa de diálogo, fórum interconselhos, audiência pública, consulta pública e ambiente virtual de participação social.

“O decreto busca estimular as instâncias já existentes de democracia participativa para que a formulação, implementação, monitoramento e avaliação das políticas públicas tenham participação popular.

“‘A única coisa que a gente lamenta é que esse fruto das manifestações seja colhido somente 11 anos depois de o PT chegar à presidência da República e às vésperas das eleições’, prosseguiu Frei Betto. Segundo seu comentário, Lula tentou, com a criação do Conselho da Presidência da República em 2003, órgão que contava com a participação de representes de todos os segmentos da sociedade para diálogo com o poder executivo, quebrar a ‘ponte exclusiva’ entre o Palácio do Planalto e o Congresso Nacional.

“‘Havia lá sindicalistas, representantes do MST, empresários, comerciantes, enfim. Mas com o tempo ele tornou-se um espaço no qual apenas o empresariado tinha voz’. O assessor de movimentos sociais enfatiza que a implementação do decreto deve melhorar o diálogo entre o governo e sociedade civil.

“Frei Betto critica ainda que muitos deputados federais e senadores não consultem suas bases eleitorais e exerçam atividades públicas em função de interesses privados. ‘A política de participação social introduz nas estruturas do Estado brasileiro um mecanismo de consulta popular’, avalia.”

*       *       *

Parece-nos oportuno transcrever aqui o parágrafo final do incisivo e esclarecedor Comunicado difundido pelo Instituto Plinio Corrêa de Oliveira sobre este desagregador Decreto presidencial:

“Caso não seja derrubado, o Decreto nº 8.243 terá operado uma transformação radical nas instituições do Estado de Direito, esvaziando o regime de democracia representativa, deixando o País refém de minorias radicais de esquerda e de ativistas, abrindo as portas para a tão almejada fórmula do atropelo e do arbítrio, típica dos regimes bolivarianos”.

Assistiremos passivamente a essa obra de demolição premeditada? Ou, fazendo uso dos meios legais e pacíficos, tudo envidaremos para impedir que a solércia de uns poucos substitua pela foice e o martelo a cruz protetora que o Criador estampou no Cruzeiro do Sul que brilha no alto do nosso firmamento?

7 COMENTÁRIOS

  1. A CNBB NASCEU SOB O ESQUERDISMO!
    DAÍ, APOIANDO O 8.243!
    Afinal, que esperar dessa instituição se nasceu sob influxo de comunistas, disfarçados de religiosos?
    Evidentemente, deverão por causa da ideologia a que se vincularam, ainda que disfarçadamente se passando de católica, apoiar todos os seus projetos, daí o 8.243 faz parte do contexto de subversão em que se enfiaram!
    O caso de D Hélder, que seria agente na KGB infiltrado na Igreja e junto a ele uma verdadeira legião de idem vermelhos?
    Basta ver a tchurma que se seguiu a sua existência, como os irmãos Lorscheider, D Arns, D Clemente Isnard, D Luciano Mendes etc, sem contar os sacerdotes ás centenas da TL-CNBB nas diversas ramificações como CIMI, CPT, MST e CEB – onde nasceu o PT – a CBJP…
    Enquanto infelizmente a CNBB seria esquerdista – embora os bispos sejam autônomos, mas como quase nenhum reage a seus procedimentos – e por meio de D Leonardo Steiner ainda elogia o vermelho do PSOL, dos anarquistas dos Black Blocs, Plinio de Arruda Sampaio como “modelo de católico atuante na política” e tempos atrás apoiou, como queria o PT, o PLC 003/2013, referente ao aborto, como pode o país ser cristão sob um governo comunista e melhorar no âmbito geral se os piores maus exemplos provêm de altos hierárquicos apoiando os entes da destruição e miséria, da bandeira do martelo e foice e da estrela de 5 pontas que é o pentagrama satãnico?
    Mais um péssimo exemplo: o caso das muitas repreensíveis fotos e colóquios de D Claudio Hummes numa intensa “amizade fraternal”, melhor seria “amizade infernal” com Lula, frei Beto e outros idem, os quais são apologistas dos carniceiros da humanidade, como Fidel Castro, Stálin, Lênin…
    Parece que se esqueceram, desinteressam ou não estão nem aí, o mais provável, das condenações os últimos 10 papas só até Bento XVI fizeram a quem se associa a comunistas; religiosos, então, é bom nem falar pelo escândalo proporcionado!
    E essa “Reforma Politica” da CNBB-PT em dioceses (socialistas)? Só existem grupos e associações marxistas enfiados nisso, assim como ela, mais um!
    Procurem no You Tube: PADRE RODRIGO MARIA DETONA O PT, A CNBB E OS CATÓLICOS QUE VOTAM EM COMUNISTAS.
    Ele não será dos que poderão ser condenados como covardes, de Ap 21,8, os que puxarão a fila dos condenados ao inferno!

  2. Este caso da sra. Maria Ângela Simões Seneghini, não é aquele da intervenção deu padre na invasão, padre este que foi feito bispo em Marabá , no Estado do Pará ? “Acampamento Canaã” é um nome que sugere mão eclesiástica nesta invasão.
    Quanto ao artigo do sr. Hélio Viana, concordo plenamente. Só lembro que essa questão de “democracia direta” lembra-me o dito do Lula a respeito da Venezuela, onde existe : ” democracia até demais”.

  3. Do Partido das Trevas só se pode esperar isso mesmo. Um dia eles serão lançados no ostracismo pelo Pastor e Bispo das nossas almas, o Soberano Senhor Jesus, o Cristo do Deus Altíssimo.

  4. Primeira oportunidade que visualizo uma nota apontando o radicalismo dos defensores da ocupação da terra pelos proscritos do “mst”?
    Há tempos atrás foi destacado uma nota de desapropriação de fazenda produtiva pertencente à Sra. Maria Angela Simões Semeghini (Acre), conforme texto abaixo. Porém ao corresponder com a mesma, a invasão foi capitaneada pelo paráco local.
    ________________________________________
    De: MARIA ANGELA SIMOES SEMEGHINI [mailto:[email protected]]
    Enviada em: sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013 05:50
    Para: Amauri.Olivera
    Assunto: Re: RES: ATA INCRA

    Amauri,
    Estes lotes foram licitados no ano 1977, os lotes tinham em média 500,00 ha (quinnhentos hectares) cada. Creio que toda a gleba totalizava uns 400 lotes. No edital de licitação tinha como clausula o plantio de cacau em pelo menos 50% da área e quando houvesse o plantio de 125,00 ha seriam liberados de clausulas resolutivas.
    A Fazenda Arroba foi formada pela anexação dos lotes 284, 285, 286, 311,312,313,314 e 315 da Gleba Burareiro – Ariquemes – RO, totalizando mais ou menos 3000,00 ha.
    Para você ter uma visualização deles imagine os 284,285 e 286 ao norte e os outros ao sul; sendo o 284 dividindo com o 311, 285 com o 312, 286 com o 313 e após o 314 e 315. Colocados exatamente nesta ordem da direita para a esquerda.
    Nas vendas posteriores, inclusive a minha, a divisão não obedeceu a esta divisão originária.
    Os lotes 284, 285, 286, 311 e parte do 312 “era” a reserva legal da fazenda, devidamente registrada na matricula do imóvel desde 1994.
    E é exatamente nestes lotes que esta localizado o Acampamento Canaã. É a minha área e a do Tucci. Sendo a minha área metade pasto e a outra metade “era” mata, devidamente averbada e com o Projeto de Manejo Florestal também averbado. E área do Tucci “era” toda em mata consorciada com cacau. Curiosidade agrícola – cacau só se desenvolve em mata, obrigatoriamente tem que ser consorcio mata e cacau. E em 1999 foi inciada a recuperação do cacau.
    A grosso modo restou parte do 312 ao 315, toda em pastagem, sem reserva legal e que nunca foi invadida.
    Esta parte do lote 312 e parte do 313 é que forma a Fazenda Araras, lembra-se que foi derrubada a cerca e não cortada como as minhas, a fazenda da reportagem de dezembro 2012.
    Esta é a situação geográfica da fazenda. Explicando o que você comenta como “impedidos”.
    Em 2012 o proprietário da Fazenda Araras, comentou ter conseguido a “liberação das clausulas resolutivas do lote 312”.
    Fiquei intrigada com a assertiva e me pus a investigar:
    Descobri que ele havia encaminhado ao Cartório de Registro de Imóveis de Ariquemes, oficio de liberação das clausulas resolutivas do lote 312, datado de 1999 e expedido pelo Incra – Porto Velho. Neste mesmo cartório eu localizei mais dois oficios liberando os lotes 284 e 285, também do ano de 1999, que não haviam sido averbados na matricula do imóvel, por falta de pagamento dos emolumentos cartorários. Obviamente providenciei a averbação. Obs. todas estes três oficios identificavam como proprietário da área Sr. Venceslau de Jesus Bernardes.
    Parte do lote 313, e os lotes 314 e 315, pertence a Etelvina Quedevez de Freitas, e estavam sendo georeferenciados pelo Incra. Fui procurada para assinar como confrontante, me neguei, pois toda a área estava sob judice (Justiça Federal – ação proposta pelo Incra e na justiça estadual processos de reintegração de posse).
    Esta era a situação fática até outubro de 2012. Por que fática?
    Em julho de 2012 houve uma tensa audiência, em Porto Velho, na Justiça Federal, porque havia sido liberado, pelo Incra, a colocação de energia eletrica na área invadida. Ao ser inquirido pelo Juiz o Incra pediu uma “audiência de conciliação” com os proprietários. No dia desta audiência já havia ocorrido o assassinato do Sr. Stivanin, ameaças aos meus empregados etc.
    O Juiz, que também era do processo do Sr. Stivanin, determinou que o “Incra resolvesse o problema em 30 dias”. Obviamente que ele pediu prorrogação duas vezes deste prazo e só se manifestou em outubro.
    Nesta manifestação que ocorre o inusitado: pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário é refeito os três ofícios datados de 1999 e em nome do seu Venceslau e uma semana após é feito mais um oficio liberando das clausulas resolutivas o lote 315 e pior em nome do licitante originário do ano de 1977.
    E mais, fizeram vistoria em todas as áreas e em resumo ficou consignado que minha área e a do Tucci eram improdutivas (exatamente as invadidas) com um pequeno grande detalhe, no laudo feito em minha terra, consta um mapa com a divisão dos lotes e o nome dos “proprietarios invasores”, ou seja, dos beneficiados pela reforma agrária. E as outras duas propriedades, que nunca foram invadidas, com produtividade excelente.
    Juridicamente falando, área invadidas não podem ser vistoriadas, para fins de reforma agrária pelo prazo de 02 anos após a desocupação. E, se houver novas invasões este prazo sobe para 04 anos.
    Resumindo – a fazenda era formada por 08 lotes. Destes 04 foram liberados das clausulas resolutivas (03 lotes em 1999 e um lote em 2012), segundo o Incra são estes os que podem ser adquiridos para a reforma agrária.
    Não vou me desculpar mais pelos meus jornais. Reconheço falo demais. Espero ter sido claro tanto quanto faladeira.
    Angela
    Ps. tudo documentado, provavelmente tenha aqui os oficios e mapa da área, precisando é só pedir.
    Espero que com a mesma veemência que desafiam os ecologistas votem sua atenção para as injustiças em nome da ocupação da terra

Deixe um comentário!