A notícia abaixo dispensa comentários. Os negritos são nossos. Leia com atenção

Reforço na luta contra a homofobia

Anúncio de políticas para homossexuais e passeata marcam fim do primeiro dia do seminário UnB Fora do Armário!
Isabela Azevedo – Da Secretaria de Comunicação da UnB

A partir desta terça-feira, travestis e transexuais deverão ser chamados pelos nomes sociais, e não pelo nome masculino de batismo, em todo o serviço público federal. O anúncio foi feito esta tarde durante o seminário UnB Fora do Armário!, promovido pelo Diretório Central dos Estudantes (DCE), pela União Nacional dos Estudantes  e a organização Juventude ABGLT. O evento terminou com passeata contra a homofobia nos corredores do Instituto Central de Ciências da Universidade de Brasília.

O uso do nome social em vez do nome de batismo dos travestis e transexuais no funcionalismo público federal foi informado à platéia por Mitchelle Meira, coordenadora geral de promoção dos direitos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. A medida é tema de portaria do Ministério do Planejamento que será publicada no Diário Oficial. Ela recebeu a notícia durante o evento.

“Temos que saber que a pressão sobre os ministérios fortalece nossas políticas públicas e dá mais visibilidade ao movimento”, defendeu Mitchelle. A coordenadora ainda revelou que serão assinados, ainda este mês, a portaria que cria o Plano Nacional da Cidadania dos Direitos Humanos de LGBT, a portaria que institui o Comitê de Acompanhamento e de Monitoramento da Política GLBT, além do decreto que estabelece oficialmente o dia 17 de maio como a data nacional de combate à homofobia.

Fonte:  Textos: UnB Agência. Fotos: Luana Lleras/UnB Agência.

Não corrompam nossas crianças através da “Ideologia de Gênero”

A Ação Jovem do IPCO está promovendo uma campanha nacional de abaixo-assinados que serão enviados para o Presidente Michel Temer pedindo a exclusão da satânica "Ideologia de Gênero" da Base Nacional Comum Curricular - BNCC.

Clique aqui e assine já!

 

3 COMENTÁRIOS

  1. A cidade de Campinas, no interior de São Paulo, inaugurou a primeira escola gay,espaço para adolescentes dedicado à cultura gay e até aulas de defesa pessoal,O colégio é fruto de um contrato entre o Ministério da Cultura, o governo do Estado de São Paulo e uma ONG de apoio à diversidade sexual .Em três anos, prazo que dura o contrato,serão investidos R$ 180 mil.- Pergunta: por que não tem cultura cristã nas escolas publicas e defesa pessoal contra bulling e quanto de verba vai para as escolas anualmente?

     
  2. CRIME DE FALSIDADE IDEOLÓGICA (CÓDIGO PENAL)

    Art. 299 – Omitir, em documento público ou particular, declaração que dele devia constar, ou nele inserir ou fazer inserir declaração falsa ou diversa da que devia ser escrita, com o fim de prejudicar direito, criar obrigação ou alterar a verdade sobre fato juridicamente relevante:

    Pena – reclusão, de 1 (um) a 5 (cinco) anos, e multa, se o documento é público, e reclusão de 1 (um) a 3 (três) anos, e multa, se o documento é particular.

    DEFINIÇÃO DE CRIME É LEGISLAÇÃO DE COMPETÊNCIA FEDERAL (CONGRESSO E PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA). PORTANTO, NINGUÉM SERÁ A OBRIGADO A CHAMAR NINGUÉM POR “NOME SOCIAL”; É O QUE ESTIVER ESCRITO NA CARTEIRA DE IDENTIDADE; SE A PESSOA NÃO GOSTA DO PRÓPRIO NOME, OU MUDOU DE SEXO, E QUER SER CHAMADA POR OUTRO NOME, DEVE INGRESSAR COM AÇÃO JUDICIAL E AGUARDAR O TRÂNSITO EM JULGADO DA SENTENÇA. PORTARIA, PROVIMENTO DECISÃO DE MINISTÉRIO NENHUM TEM FORÇA PARA INTIMIDAR OU OBRIGAR SERVIDOR PÚBLICO OU QUEM QUER QUE SEJA A CHAMAR JOÃO DE MARIA. ANOTEM ESSE ARTIGO.

     
  3. Parece que essa gente da homofobia e dos direitos humanos quer excluir da sociedade todos os que são normais. Não hà grupo de pressão que defenda seus direitos, a Secretaria de Direitos Humanos não pensa neles, não hà Plano Nacional de Cidadania que os respeite, não hà Comitê de Acompanhamento e de Monitoramento, não hà data nacional que os enalteça, não hà passeata para exalta-los.
    Por que?
    Simplesmente porque são normais (e logo-logo perseguidos).
    Se um chefe de empresa estiver precisando de um empregado e, na lista dos pretendentes, houver um homossexual, uma lesbica, um travesti ou coisa que o valha, e o chefe de empresa escolher uma pessoa que não tenha esses comportamentos mas que êle julga competente para o pôsto, êle poderà ser perseguido por essa parafernàlia dos chamados “direitos humanos”.
    Nessa hora não existe a tão adorada igualdade. De antemão, homossexual, lesbica, travesti ou coisa que o valha jà entra na disputa em vantagem. E a competência que se dane.
    Gostaria de saber por que essa gente da homofobia e dos direitos humanos vivem semeando discordia no meio desse povo tão pacato como o nosso? Onde estão os fatos que justificam toda esta sarabanda demagogica?
    Sem fatos comprovados, cara feia para mim é fome!

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome