Bispos do Colorado contra o “mandato de vacinas”

3

“DENVER (LifeSiteNews) – Os bispos católicos do Colorado divulgaram um modelo de carta de isenção religiosa das injeções experimentais COVID-19 para católicos, declarando que “continuam a apoiar isenções religiosas de todo e qualquer mandato de vacina”.”

Não, à vacina obrigatória

Direito de decidir sobre vacina

As feministas, as pró aborto insistem no slogan do direito de decidir sobre o próprio corpo como se o nascituro não fosse outro ser. Posição errada do ponto de vista humano e, sobretudo, religioso porque importa em infanticídio e pecado gravíssimo.

Entretanto, para efeito de passaporte-vacina, mandato de vacina, imposição de vacina parece não valer o “direito de decidir” sobre a própria saúde.

Destacamos essa oportuna declaração dos bispos católicos do Colorado

A carta de 5 de agosto, assinada pelo arcebispo Samuel Aquila de Denver, junto com os bispos Stephen Berg de Pueblo e James Golka de Colorado Springs e o bispo auxiliar Jorge Rodriguez de Denver, começou repetindo as declarações anteriores da hierarquia do Colorado de que “o uso de alguns COVID-19 vacinas são moralmente aceitáveis ​​em certas circunstâncias. ” No entanto, os bispos rapidamente acrescentaram que estavam cientes e “entendiam” que muitas pessoas decidem não receber as injeções com base em “convicções bem fundamentadas“.

A carta foi enviada depois que o prefeito de Denver, Michael Hancock, declarou em 2 de agosto que “todos os funcionários da cidade” junto com funcionários do setor privado em “ambientes de alto risco” estariam sujeitos à vacinação obrigatória até 30 de setembro. A ordem afeta mais de 10.000 indivíduos e vem apesar de Hancock admitindo que cerca de 70% dos elegíveis já haviam tomado a injeção.

Consciência individual

No entanto, a ordem concedeu espaço para aqueles que detinham isenções médicas ou religiosas da vacina. “Os empregadores devem fornecer acomodações razoáveis ​​para qualquer pessoal que tenha isenções médicas ou religiosas da vacinação COVID19.”

Os bispos saudaram esta última frase, alertando as pessoas para “permanecerem vigilantes quando qualquer burocracia tentar impor requisitos uniformes e abrangentes a um grupo de pessoas em áreas de consciência pessoal“.

Dignidade dada por Deus ao homem

“No caso da vacina COVID-19, estamos convencidos de que o governo não deve impor intervenções médicas a um indivíduo ou grupo de pessoas”, escreveu o clero, referindo-se às muitas “violações dos direitos humanos e uma perda de respeito para com cada pessoa da Dignidade dada por Deus ”, que historicamente acompanha mandatos que ignoram a liberdade de consciência.

Continuando, a carta fornecia um breve resumo do conselho moral dado a respeito das injeções de COVID-19 contaminadas por aborto, um resumo que os bispos disseram que poderia levar um católico a julgar “certo ou errado receber certas vacinas por uma variedade de razões , e não há nenhuma lei ou norma da Igreja que obrigue um católico a receber uma vacina – incluindo as vacinas COVID-19. ”

Descrevendo a injeção de COVID-19 como “uma questão profundamente pessoal”, os bispos exortaram os católicos a “seguir sua consciência”, acrescentando que, se eles discernissem não tomar a injeção, “não deveriam ser penalizados por isso”.

Modelo de carta de isenção religiosa

Como prova de seu compromisso em “apoiar isenções religiosas” de “todos os mandatos de vacinas”, os bispos forneceram um modelo de carta que os católicos podem fazer com que seus pastores assinem quando buscam uma isenção religiosa de um mandato de vacina.

Este ensino moral da Igreja Católica afirma que “uma pessoa pode ser obrigada (moralmente) a recusar uma intervenção médica, incluindo uma vacinação, se sua consciência vier a este julgamento.”

Referindo-se a documentos e declarações recentes do Vaticano, da Pontifícia Academia para a Vida, da Conferência dos Bispos Católicos dos Estados Unidos e do catecismo moderno, os bispos lembraram que a vacinação em si deve ser voluntária.

Além disso, eles observaram o “dever moral” de recusar “produtos médicos, incluindo certas vacinas, que são criados a partir de linhagens de células humanas derivadas do aborto”. Baseando-se em argumentos morais apresentados por documentos recentes, os bispos acrescentaram que “é permitido usar tais vacinas apenas em condições específicas de casos – se não houver outras alternativas disponíveis e a intenção for preservar a vida”.

No entanto, os bispos deixaram a decisão moral para cada indivíduo, declarando que tal avaliação pessoal de “se os benefícios de uma intervenção médica superam os efeitos colaterais indesejáveis ​​devem ser respeitados, a menos que contradigam os ensinamentos morais católicos autorizados”. Se uma pessoa discerne de acordo com sua consciência, ela deve seguir isso, uma vez que os bispos reiteram o ensino católico de que “uma pessoa é moralmente obrigada a obedecer à sua consciência”.

O modelo (de carta) sugeria que um católico poderia recusar a vacinação por motivos morais, devido ao vínculo com o aborto, ou por motivos de “proporcionalidade terapêutica”, pela qual uma pessoa decide “se os benefícios de uma intervenção médica superam os efeitos colaterais indesejáveis e encargos à luz do bem integral da pessoa, incluindo bens espirituais, psicológicos e corporais. ”

Os bispos do Colorado já emitiram duas cartas sobre as vacinas COVID-19, nas quais declararam que “algumas” das injeções são “moralmente aceitáveis ​​sob certas circunstâncias”. O próprio Arcebispo Aquila recebeu a Moderna COVID-19.

***

A Carta dos Bispos do Colorado vem reafirmar o direito do homem sobre si mesmo. O Estado não é anterior ao indivíduo e não tem o direito de obrigar o cidadão à vacinação compulsória.

A Pandemia está sendo ocasião para ditadura-vacina, cerceamento das liberdades individuais, a até criando um novo apartheid — não mais de raças — entre vacinados e não vacinados.

Nossa Senhora, saúde dos enfermos, rogue pelo Brasil para que essa ditadutra-vacina não venha a ser implantada pelos governadores de esquerda e do falso Centrão.

Fonte: Colorado bishops issue religious exemption letter for COVID shots, urging people to ‘follow their conscience’ – LifeSite (lifesitenews.com)

3 COMENTÁRIOS

  1. […] Descrevendo a injeção de COVID-19 como “uma questão profundamente pessoal”, os bispos exortaram os católicos a “seguir sua consciência”, acrescentando que, se eles discernissem não tomar a injeção, “não deveriam ser penalizados por isso”. Bispos do Colorado contra o “mandato de vacinas” – Instituto Plinio Corrêa de Oli… […]

  2. Olá! É verdade que certas vacinas foram fitas com fetos abortados? Se for quais vacinas foram feitas? Seria correto moralmente tomá-las?

  3. O maior peso que vem de fora e está sobre nossas cabeças é o peso da lavagem Cerebral!

    Fatos bem recentes na política brasileira. Veja:
    A “Copa das Copas®” do PT® em vez de se construir hospitais, construiu-se prédios inúteis! A Copa das Copas®, do PT© e de lula©.

    Existe um câncer que está em partido políticos. Uma vigarice patogênica, que nos pega por publicidade e propaganda bem elaborada. Estilo João Santana. Eis:

    A propaganda e publicidade de marketing político ao estilo de João Santana? Sim! por muitos e muitos anos a fio. Cansativo e uma verdadeira “lavagem cerebral” política. Tornar o barango do PT, “elegante” (do PT®).

    O Brasil vive consequência de nosso passado político bem atual (2 décadas).
    Fome, falta de moraria, atraso, breguices, escolas ruins, falta de hospitais: concreto…
    O resto são frasinhas® poderosas:

    Nada se fez em 13 anos para esse mal brasileiro horroroso. Apenas propagandas e propagandas e publicidade. Frasinhas.

    Qual o poder constante da propaganda ininterrupta do PT®?
    Apenas um frio slogan, o LUGAR DE FALA do Petismo® (tal qual “Danoninho© Vale por Um Bifinho”/Ou: “Skol®: a Cerveja que desce Redondo”/Ainda: “Fiat® Touro: Brutalmente Lindo”). Apenas signos dessubstancializados. Sem corporeidade.

    Aqui a superficialidade do PETISMO®:
    Signos descorporificados. Sem substância. Não tem nada a ver com um projeto de Nação. Propaganda:
    Nem tudo que é legal é honesto. O PT® nos induz ao engodo com facilidade. Antro de vigarismo. Sobretudo na UFMG.

Deixe uma resposta