Semana Santa em Islamabad, Paquistão
Semana Santa em Islamabad, Paquistão

O sonho do avô – que vive em país muçulmano – de algum dia ver o papa foi realizado pelo neto A., de 24 anos, por ocasião da Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro.

Ele é um dos 40 peregrinos de países onde há perseguição religiosa e conflitos armados que estão pedindo asilo ao governo brasileiro.

A. foi jurado de morte só por participar do evento. Por isso, ele não quer ir embora.

“Não posso voltar. Já avisaram que matam não só a mim, mas toda a minha família”, contava ontem, chorando, na Casa de Acolhida da Caritas Arquidiocesana do Rio, segundo reportagem de “OESP”.

“Estou triste por não ver mais o rosto da minha mãe antes de dormir, mas lá não consigo um bom emprego pelo simples fato de ser cristão, mesmo tendo estudado toda a minha vida e me formado em Artes e Jornalismo”.

Alguns trazem marcas de tortura no corpo. O histórico de mortes de familiares e de humilhações é comum. O contato com a família é raro: por telefone e internet. Pediram para não ter o nome nem nacionalidade publicados, para resguardar a integridade dos parentes que ficaram em seus países.

“Aqui as pessoas são muito felizes. É o paraíso. Na minha comunidade, se você é cristão e não muçulmano, não te dão nem um copo d’água. Sou coagido o tempo todo a virar muçulmano, mas podem cortar a minha cabeça que eu não viro, pois tenho muito orgulho da minha fé”, disse outro rapaz.

“Mataram meu pai e minha irmã quando ela tinha 7 anos. Minha mãe teve de fugir da nossa cidade”, relatou outro refugiado.

Os jovens já marcaram entrevistas na Polícia Federal para dar início ao processo de candidato a refugiado. Os casos serão analisados pelo Comitê Nacional para Refugiados (Conare).

Segundo Andrés Ramirez, representante no Brasil do Alto Comissariado da ONU para Refugiados, seus casos se enquadram na lei 9.474, que reconhece como refugiado todo indivíduo que com fundados temores de perseguição por motivos de religião “encontre-se fora de seu país e não possa ou não queira acolher-se à proteção de tal país.”

E ainda há quem diga que o Islã é uma “religião de paz”, e que a religião de Cristo pode subsistir de algum modo no paganismo.

7 COMENTÁRIOS

  1. Como Cristão brasileiro, do qual ama seu país fico preocupado com a situação do mesmo, esse governo só se preocupa em aprovar leis contrarias as verdades Cristãs, o Brasil já é comunista e muitos nem se dão conta disto o PT, só apoia quem não presta como os mensaleiros, cesare bastist e tantos outros bandidos esquerdistas, mas para dar asilo as pessoas de bem, o PT com toda sua cambada vira as costas e pensam que não prestaram contas a Deus por suas omissões, vejo que devemos como país do qual se diz Cristão e Católico, sabermos votar melhor, devemos mostrar que estamos descontentes com esse governo que está ai.

  2. Gustavo,

    Caro Gustavo,

    Concordo plenamente com voce e acrescento que, as pessoas que pedem refúgio ao Brasil sempre terão alguma decepção. Vide também o caso dos atletas cubanos nos Jogos Panamericanos do Rio de Janeiro. Que o “excelentíssimo” os deportou para a Ilha de If do Caribe.

    Um abraço

  3. Agora, imaginem o “barulho criado” se fossem CRISTÃOS perseguindo mulçumanos.

    SEMPRE LEMBRANDO QUE COMUNISMO E MISÉRIA ANDAM DE MÃOS DADAS COM
    COM A FALSA RELIGIÃO E MAIS, QUE AINDA HÁ AVE RARA QUE NÃO VOA,

    PAZ E BEM À TODOS.

  4. As entidades religiosas cristãs devem acompanhar estes casos de perto para que não seja cometido injustiça de de nosso governo enviá-los de volta a seus países de origem. Apesar da nossa pobreza estamos dispostos a ajudar. Conte com nossas orações e colaboração.

  5. Alguns dizem ser a Idade Média a idade das trevas, falam mal da Santa Religião Católica a qual sempre pregou a verdade de Nosso Senhor Jesus Cristo. No entanto, como admitir que, em pleno século XXI, era da modernidade absoluta, ainda haja perseguição religiosa no mundo? Isso é um horror e não podemos ficar omissos.

  6. É de cortar o coração ver jovens cristãos serem perseguidos barbaramente por seguirem a Cristo. O que nós estamos fazendo para protegê-los? Que cristãos somos nós?? Admira-me muito que os meios de comunicação não noticiem a carnificina de cristãos na Síria e nos países em que os muçulmanos são maioria. E o mais curioso é que noticiam as atrocidades cometidas só pelo Governo de Assad (ele protegia as minorias religiosas em seu País) e não falam dos horrores cometidos pelos rebeldes contra as minorias religiosas , sendo uma delas a dos cristãos. Temos o dever de divulgar e tentar fazer o possível para que o maior número de pessoas saiba o que ocorre com os nossos irmãos cristãos nesses países muçulmanos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome