Coerência de Xi Jinping no marxismo: liberdade de Hong Kong na forca

1

China comunista estrangula liberdade em Hong Kong: somente candidatos pré aprovados pelo PCCh

A China comunista mostra, mais uma vez, seu medo das Urnas e reforça a ditadura em Hong Kong.

No Brasil, o povo pede voto auditável. Nos EUA, pede Integridade Eleitoral. Na China, Xi Jinping teme as urnas e guilhotina a liberdade de candidatos … não simpatizantes do PCCh. Hong Kong vai à forca.

O presidente vitalício (ditador) Xi Jinping sancionou uma alteração na Lei Básica, espécie de Constituição de Hong Kong, mudando dramaticamente o sistema eleitoral vigente na ex-colônia britânica.

O objetivo é impedir que candidatos de oposição ao poder central em Pequim sejam eleitos.

Como sempre acontece nos regimes comunistas, a mudança foi aprovada por unanimidade pelo Congresso Nacional do Povo.

Somente candidatos aprovados pelo PCCh

Pequim passará a ter poder de veto sobre toda e qualquer candidatura em Hong Kong por meio de análise prévia de um “comitê revisor”, cuja atribuição será avaliar quão “patriota” é determinado candidato.

O verdadeiro “patriota”, é claro, será todo aquele que, obsequiosamente, não representar um obstáculo aos interesses do Partido Comunista Chinês.

A líder de Hong Kong, Carrie Lam, uma testa de ferro de Xi Jinping, afirmou que “apoia fortemente” a mudança na legislação eleitoral imposta por Pequim.

Repercussão internacional

O secretário de Estado americano, Antony Blinken, acusou a China de “violar direitos humanos e aniquilar a democracia em Hong Kong”.

Para a União Europeia, a medida tem “consequências negativas de longo alcance para a democracia”.

O ministro das Relações Exteriores do Reino Unido, Dominic Raab, acusou o governo chinês de “violar claramente a Declaração Conjunta Sino-britânica”, de 1984, pacto para devolução da ex-colônia britânica à China, efetivada em 1997.

A China não tem palavra e viola os Acordos

Os simpatizantes da China, no Brasil, o governador Doria e petistas advogam uma maior intrusão do PCCh em nossa Pátria.

A BAND já firmou acordo com a Midia Estatal chinesa, passou a ser eco da ditadura comunista.

O embaixador chinês no Brasil tem repetidamente feito intromissões em assuntos internos de nosso País vociferando, à maneira comunista, contra qualquer parlamentar ou embaixador que ouse discordar da ditadura chinesa.

A medida ditatorial de Xi Jinping fere de morte o modelo “um país, dois sistemas”, que vigora até 2047, de acordo com o pacto firmado entre o Reino Unido e a China, há quase 40 anos.

Essa é a China que alguns políticos brasileiros confiam … até que suas próprias cabeças caiam na guilhotina.

Fonte: Estado de S. Paulo, quinta-feira, 13 de maio de 2021 – Notas & Informações

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta