O título em epigrafe foi tema de um seminário, realizado no dia 2 de outubro, no Parlamento Europeu em Bruxelas por iniciativa da COMECE (Comissão dos Episcopados da União Europeia) em cooperação com alguns membros dos Grupos parlamentares EPP e ECR.

A atualidade do assunto atraiu grande assistência, que ouviu atenta e estarrecida os relatos dos inúmeros tipos de perseguições a que os cristãos estão sujeitos no continente europeu.

O representante do Observatório sobre Intolerância e Discriminação contra os Cristãos na Europa citou surpreendentes estatísticas: “84% do vandalismo na França em 2010 foram dirigidos contra lugares cristãos; em 2006, 48% do clero no Reino Unido sofreram alguma forma de violência”. E acrescentou: “Os cristãos do Reino Unido sentem-se mais marginalizados do que nunca; 74% dizem que há mais discriminação contra os cristãos do que contra qualquer outro crente; mais de 60% acreditam que a marginalização aumenta no governo, no local de trabalho e na vida publica”.

Dr. Javier Borrego

A perseguição aos cristãos é um fato também nas instâncias da Comunidade Europeia e, como acontece em outros países, é perpetrada em grande medida pelo Poder Judiciário. Coube ao Dr. Javier Borrego, antigo juiz daCorte Europeia de Direitos Humanos, discorrer sobre este tema.

O jurista espanhol começou seu discurso fazendo o Sinal da Cruz, comentando em seguida: “Ter feito este sinal pode espantar a muitos, embora não causasse surpresa se fosse um muçulmano dizendo uma oração em árabe”. Segundo o magistrado, o tribunal europeu está ficando cada vez mais ideologizado, emitindo sentenças frívolas e propondo-se “o grande legislador da Europa; criando direito e fazendo engenharia social, algo que não é de sua atribuição”. Ele citou o famoso caso dos crucifixos na Itália, onde nenhuma autoridade nacional italiana foi ouvida, tendo mesmo alguns juízes europeus declarado com ironia: “Não se preocupem, em um ano não haverá mais crucifixos em lugares públicos da Europa”. No entanto, isso gerou uma saudável reação popular.

Por sua vez, chamou a atenção o discurso do jovem Mons. Florian Kolfhaus, da Secretaria de Estado da Santa Sé, salientando a enorme propaganda midiática contra a Santa Igreja e comparando-a com o caso muçulmano: “Há enorme rebuliço se desrespeitam a figura de Maomé, mas o que fazem quando o desrespeito é contra os católicos, contra Nosso Senhor ou o Santo Padre?”. E acrescentou: “Para nós, cristãos, não basta termos o direito de existir; temos que poder nos dirigir livre e abertamente a Nosso Senhor Jesus Cristo e dizer que Ele é a único Salvador. […] Nos Estados Unidos, para se ganhar a eleição, é necessário falar em Deus. Algo não anda bem na sociedade europeia”.

Houve também outras interessantes intervenções de deputados europeus, como a da deputada lituana Laima Liucija Andrikiene: “Os feriados cristãos desapareceram dos calendários enquanto subsistem as festas muçulmanas e judaicas. Para onde vamos? Qual deverá ser a nossa posição? O que devemos fazer para defender os nossos valores? […] Os católicos têm o direito de protestar. A liberdade de expressão, alegada em casos que ofendem os cristãos, tem de ter limite. Os lituanos estão perplexos, pois a perseguição antes soviética agora se apresenta com face mais humana”.

O deputado Charles Tannock, do Reino-Unido, não poupou críticas à União Europeia: “A perseguição pela UE é maior contra os cristãos. A discriminação dos cristãos é um tabu no Parlamento Europeu”. E mais adiante: “Duas mulheres no Reino Unido foram demitidas de seus empregos por portarem crucifixos, mas isso não ocorre com judeus ou muçulmanos”.

No mesmo sentido foi o discurso da deputada eslovaca Anna Zaborska: “É bom que os cristãos se mobilizem, a liberdade religiosa não é a mesma para todos e não é respeitada em todo o mundo. Há um desequilíbrio da União, da Comissão e do Parlamento [europeus] sobre a perseguição em relação aos muçulmanos e aos cristãos. A perseguição pode ser feita de maneira sutil. Por exemplo, este ano o Parlamento suprimiu de seu calendário a Assunção e Pentecostes; são pequenas coisas que se acumulam e que são símbolos de perseguição”.

Quanto às intervenções do público, merece destaque a de uma professora belga, que foi agredida mais de uma vez por muçulmanos em seu próprio país, por portar o Crucifixo.

O seminário foi concluído com as palavras do Mons. Piotr Mazurkiewicz, secretário-geral da COMECE, que salientou o problema do laicismo, uma verdadeira religião da não-religião: “Não se pode considerar como neutra uma decisão de retirar os crucifixos. Isto também significa uma tomada de posição religiosa […] a ação dos deputados faz-se necessária”.

 

16 COMENTÁRIOS

  1. Sem dúvida, a situação européia é sintoma apocaliptico! Cristo foi Cordeiro de Deus, mas não foi cordeiro das iniquidades do sistema social e religioso de seu tempo. Ele se contrapôs bravamente a elas, como se nota em algumas poucas passagens dos textos biblicos autorizados. E porisso foi crucificado! Embora obviamente sob a vontade de Deus, a atitude dele foi uma das causas de sua crucifixão. E nós, cristãos atuais, ridiculamente nos opomos a formas truculentas de defesa da fé, dado à falsa interpretação da mensagem de paz que Ele trouxe, disseminada nos Estados Ocidentais. Não podemos nos deter em repelir os abusos e as violências à nossa fé e Verdade, inclusive de forma veemente se for necessário, quando Deus e sua Palavra estiverem sendo vilipendiados pelos pagãos ou pelos “vendilhões do templo”!

     
  2. Reflexo de anos de uso de contraceptivos como noa alertou o Papa na decada de 60.
    Hoje ha mais registros de bebes nascidos com sobrenomes chineses na Italia do que italianos.
    Os italianos tem cerca de 1.4 bebes quando a taxa de reposicao seria de 2.1.
    A cultura europeia crista nao existira mais em algumas decadas.
    O Papa avisou…e ninguem escutou.
    http://www.youtube.com/watch?v=0JRU4m8RGRM

     
  3. Primeiramente quero pedir desculpas se eu vier ofender alguem. Mas o que a BIBLIA fala, é que nos ultimos tempos essas coisas iriam acontecer, ou seja, é INEVITÁVEL, não adianta esbravejar, lutar contra, a perseguição sempre ouve com a IGREJA de CRISTO, E hoje não sera diferente. A BÍBLIA diz que fomos reputados como OVELHAS para o MATADOURO por AMOR do seu NOME, e aquele que resistir ate o fim sera salvo. Por acaso alguem viu um verdadeiro CRISTÃO fazer querra para sobreviver? por causa do nome de JESUS CRISTO? que eu saiba os cristãos só fugiram ou se entregaram como MÁRTIRES. Se alguem vier me refutar, que venha com base bíblica, se não tem costume de LER a BÍBLIA, então por favor não refuti.

     
    • Refutando você com:

      João 26:51,Aqui Jesus ordena Pedro, quem embainhe a espada, mas não que se livre dela. Pois ele, Pedro, iria mais tarde utilizá-la como símbolo de sua autoridade sobre a única Igreja de seu mestre. Lucas 22, 35-36 “Disse-lhes pois: Mas agora, aquele que tiver bolsa, tome-a, como também o alforje; e, o que não tem ESPADA, venda a sua capa e compre-a..E Mateus 10,34 “Não cuideis que vim trazer a paz à terra; não vim trazer paz, MAS ESPADA;

      Gil, não confunda dá a outra face, como passividade perante o perigo! Se os primeiros cristãos lessem a sua postagem. Hoje nossas mulheres, mães, irmãs, esposas e outras, estariam usando burca, como todos nós do ocidente, estaríamos professando a fé islâmica. Mas graças à Deus, pela a libertação da Península Ibérica, pelos cristãos católicos com a ajuda divina, nada disso aconteceu.

       
  4. Lamentável essa violação dos Direito Humanos vindo da Europa… Todos os cristãos católicos e protestantes do mundo devem enviar protesto baseado na lei para esses governantes respeitarem cristãos também, claro. O povo cristão desses países deve votar em cristãos já que os políticos atuais estão revogando leis contra os mesmos… discriminando-os… Aumentar a Evangelização, cobrar a liberdade religiosa, de pensar e expressar-se responsavelmente… por exemplo.

     
  5. Os cristãos, por serem pacíficos, estão se tornando um pouco acomodados. Por acaso será preciso que Cristo volte antes do tempo para morrer de novo? É hora de fazermos alguma coisa, e urgente! Ser cristão não significa ficar parado no tempo; ser pacífico não significa deixar de encarar as realidades de nossa vida, enquanto somos trucidado em nossa liberdade de expressar a nossa fé. A perseguição religiosa é manifestada até em pequenos e isolados episódios particulares, eu mesma já passei por alguns: é o caso de uma piadinha ou julgamento malicioso de alguns ‘cristãos’ que se dizem evangélicos quando coloco uma blusa com estampa de algum santo ou da Virgem Maria, ou quando me veem rezando o terço enquanto espero o ônibus. Dar a outra face é perdoar, quando o perdão é pedido de modo sincero, não é ficar esperando apanhar de novo sem defesa. Alerta, meu povo! O Senhor prometeu que a Sua Igreja não será vencida jamais pelo inimigo, ainda que este inimigo se manifeste dentro desta mesma Igreja.

     
  6. Nosso Senhor deixou bem claro nos evangelhos dizendo; Acaso quando o filho do homem voltar encontrará fé sobre a terra? Estamos sendo envolvido pela doutrina do anticristo e o mundo está retornando aos princípios do paganismo . Está em ordem o crescimento da grande apostasia indicada pelos evangelhos. Ver este blog “http://www.hortodasoliveiras.com/2012/08/anti-cristo.html “

     
  7. Grandes capitalistas estão manipulando os muçulmanos e discriminando os cristãos para criar conflitos e impor restrições de direitos, leia-se: Governo Único na Europa e moeda única emitida por bancos particulares. Se conseguirem tomar o poder muçulmanos e imigrantes serão severamente perseguidos para dar falsa segurança à maioria. Essa pressão contra a maioria cristã é justamente para semear o medo e o ódio para o povo aceitar um regime totalitário.

     
  8. Tolerância tem limites: O direito de reagir em legítima defesa, por exemplo.
    É lamentável esses “dois pesos e duas medidas”: Tolerância para com o Islã; descaso e até perseguição aos cristãos. E isso na Europa! Não que fosse aceitável caso ocorresse na Índia ou China, mas lá os cristãos são ínfima minoria, e os governos são dirigidos por pessoas de outras religiões ou ateus. Agora, ocorrer isso na Europa?! Francamente, não dá para entender esse desarmamento moral e psicológico de alguns governantes e seus assessores diante do avanço do Islã. Por que essa perseguição besta contra o Cristianismo na Europa? A quem aproveita?

     
  9. O desrespeito aos cristãos começou contra o próprio Cristo e piorou quando a unidade da Igreja Católica foi atacada. Primeiro pelas heresias internas seguindo com o cisma e depois com revolta de Lutero que estabeleceu a igualdade no campo religioso e a Revolução Francesa a igualdade no campo social e político seguindo com a igualdade no campo econômico com o comunismo e agora a igualdade total com a religião ambientalista: o homem é igual ao animal. Uma análise que eu li nos ensinamentos do prof. Plinio.

     
  10. O islamismo, ao que parece, é a religião que mais cresce no mundo. Se for por adeptos, há que se respeitar. Se for por imposição. então devemos nos preparar para uma NOVA CRUZADA adaptada aos nossos tempos e às nossas necessidades … Tudo sem violência, com determinação, destemidamente… Há que ter FÉ no Cristianismo, e contar com E L E …

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here