Harrison Butker: “O que você diria (filialmente) ao Papa?

PRECISAMOS SER SANTOS. NÃO PODEMOS DEIXAR O NAVIO. NÃO PODEMOS SAIR DA IGREJA

0

“PRECISAMOS SER SANTOS. NÃO PODEMOS DEIXAR O NAVIO. NÃO PODEMOS SAIR DA IGREJA»

Um dos maiores sinais da perenidade, vigor e atualidade do Rito Tradicional é que ele produz católicos à procura da Santidade. Muito ao contrário do que espalham os progressistas, esses católicos são humildes, são submissos, são dóceis e agradecidos ao ensino tradicional da Santa Igreja que os convida à perfeição, à santidade.

Eles recusam a rebelião, abominam a revolta, querem permanecer fieis à Santa Igreja.

Uma pergunta filial ao Papa

Essa é a experiência de todos os dias, nos mais diversos países: fidelidade e procura da santidade.

***

Essa é a declaração de Harrison Butker: “Quase sinto que não sou bem-vindo na Igreja por querer ir à missa em latim”.
Harrison Butker, kicker do Kansas City Chiefs, é o segundo na história da NFL em porcentagem de arremessos na carreira, com 90,0%, atrás apenas de Justin Tucke. Ele é um dos fiéis católicos afetados pelas Traditiones custodes e quis usar sua fama para ser porta-voz daqueles que se sentiram agredidos pelo simples fato de preferir assistir à Missa Tridentina.

Um processo de reconversão ao Catolicismo

(CNA/InfoCatólica) Butker já era conhecido por ter passado por um processo de “reconversão” ao catolicismo graças justamente à Missa Tridentina. Ele esteve intimamente ligado aos Cavaleiros de Colombo. Em 2019, foi divulgado o seguinte vídeo com seu depoimento:

Na semana passada, aproveitando uma entrevista por ocasião do Super Bowl, torneio que venceu com sua equipe em 2020, quis opinar sobre as restrições à missa e aos sacramentos segundo o rito anterior ao Novus Reforma Ordo imposta pelo Papa Francisco:
Por que você está falando de restrições à missa tradicional?

Acho que Deus definitivamente me deu uma plataforma. Isso me permitiu ser a voz de muitas pessoas que não podem expressar sua opinião. Eu me esforcei muito para ser o melhor kicker que posso ser e, por qualquer motivo, Deus me permitiu continuar a ter sucesso como kicker. Sou muito grato por isso… Meu sucesso no futebol me deu uma plataforma e sinto a responsabilidade de trazer à tona as várias questões que acredito que Deus quer que eu traga à luz.

E a Missa Tradicional Latina é definitivamente uma delas. É um assunto que me apaixona e, novamente, sinto a necessidade de dar voz a muitas pessoas que estão frustradas, que se sentem marginalizadas e que não têm como dizer nada. Sinto que posso ser a voz daqueles que se sentem perseguidos por seu amor aos sacramentos tradicionais.

Você usou a palavra “perseguido”. É assim que você se sente?

Sim. Quase sinto que não sou bem-vindo na Igreja por querer ir à missa em latim e por querer uma confirmação tradicional para meus filhos. Sinto que sou um católico de segunda categoria e não faço parte da Igreja porque quero participar do rito tradicional. Mas essa não é a realidade. Quero ser obediente à Igreja. Eu quero estar dentro da Igreja. Parece que estou sendo perseguido apenas por meu amor ao rito tradicional. E esse rito está sendo eliminado, infelizmente, e é muito triste.

Se você pudesse ter um encontro presencial com o Papa Francisco sobre as novas restrições, o que você diria a ele?

Eu diria:

“Santo Padre, todos os católicos com quem estive que têm devoção à Missa tradicional em latim e aos sacramentos tradicionais querem ser santos. Eles querem que seus filhos vão para o céu. Eles não estão tentando se voltar contra a Igreja. Eles não estão negando o Papado. Eles adoram ser católicos e querem ser santos e fazem o possível para sê-lo. E agora está sendo questionado se os católicos que preferem os sacramentos tradicionais como meio de salvação são bons católicos. E acho que isso realmente isola muitos católicos tradicionais.

PRECISAMOS SER SANTOS. NÃO PODEMOS DEIXAR O NAVIO. NÃO PODEMOS SAIR DA IGREJA

“Faz com que se sintam marginalizados e perseguidos. Pela minha própria experiência, são apenas pessoas que entendem que são pecadoras. Eles querem ter acesso aos sacramentos. Eles querem estar conectados aos sacramentos que nutriram inúmeros santos. E parece que estão sendo punidos por seu amor e devoção à fé e à Eucaristia e a todos os sacramentos da Igreja.”

Qual é a sua mensagem para os devotos de todo o mundo da Missa tradicional em latim?

Precisamos ser santos. Não podemos abandonar o navio. Não podemos sair da Igreja. Somos católicos romanos. Acho que devemos defender a verdade. Precisamos defender a igreja. No entanto, ao mesmo tempo, devemos ter caridade. Ainda temos que respeitar as posições que esses homens mantêm. Mas temos que perceber o que está acontecendo. Temos que nos tornar santos e deixar nossas vozes serem ouvidas da melhor maneira possível.

***

Mais uma vez, afirmações de fidelidade à Santa Igreja, amor à sua doutrina, desejo de santidade.

Harrison Butker explica, na entrevista, como se tornou acólito nas celebrações da missa tridentina. Primeiramente esteve acolitando celebrações no Novus Ordo e mais tarde sentiu-se atraído pelo rito tradicional. Ele confirma que o rito tridentino empolga os jovens.

Mais uma comprovação da arbitrariedade de progressistas cerceando a missa tridentina: pelos frutos se conhece a árvore.

Fonte: https://www.infocatolica.com/?t=noticia&cod=42690

Deixe uma resposta