Legalização de drogas não diminuirá violência no México, afirmam analistas católicos

A legalização de um erro ou de um mal nunca será a solução para um problema.

Transcrevemos a seguir interessante artigo da ACI, divulgado no dia 25 de Novembro.

A legalização das drogas não é uma “estratégia idônea para reduzir o número de mortes e violência gerada pelo diário enfrentamento entre cartéis pelo controle da venda de droga”, afirmou o Conselho de Analistas Católicos do México (CAM).

Em um recente comunicado, publicado no Sistema Informativo da Arquidiocese do México (SIAME), o CAM exigiu que os “líderes de opinião e políticos” que estão a favor da legalização das drogas, deixem de “enganar à opinião pública referindo o término legal como sinônimo de lícito”.

Os analistas católicos também recordaram que a proposta da legalização de narcóticos é incorreta pois “não se está liberando de algo mau, a não ser legalizando ou autorizando a cultura de morte, como no caso da legalização do assassinato do concebido”.

“O estado tem que atuar pelo bem da pessoa” reclamou o CAM e precisamente por “a insegurança e o medo” que se estende pelo México, “exortamos à opinião pública favorecer iniciativas pró cultura da vida”.